Urba, companhia de loteamento da MRV, deve fazer IPO

LinkedIn

A MRV está prestes a anunciar o IPO da Urba, uma oferta que deve levantar R$ 1 bilhão para a empresa de loteamentos numa época em que a pandemia aumentou a procura por casas e em que a Caixa voltou a financiar o segmento.

A companhia já mandatou o BTG Pactual (líder), Santander, Bradesco e Itaú como coordenadores da oferta, que deve acontecer em outubro.

A construtora (BOV:MRVE3) informou o mercado após o pregão desta terça-feira (18). “A potencial oferta da Urba se insere no contexto de reforçar a expansão das atividades da companhia”, afirmou a MRV.

A MRV esclareceu, no entanto, que a efetiva realização da eventual oferta está sujeita, entre outros fatores, à obtenção das respectivas aprovações societárias aplicáveis, a condições políticas e macroeconômica favoráveis, incluindo em relação à volatilidade do mercado em decorrência da pandemia do COVID-19, ao interesse de investidores nacionais e estrangeiros, dentre outros fatores alheios à vontade da companhia.

A oferta será 100% primária, e os recursos serão usados para a compra de terrenos e capital de giro. A Urba deve faturar R$ 100 milhões este ano com a venda de 1.000 lotes, mas tem potencial para chegar a 15.000/ano nos próximos sete anos.

A Urba pode atuar sozinha — criando loteamentos abertos ou fechados (com muro e guarita) — ou dividir o projeto com a MRV, que pode construir casas (com preços entre R$ 140 mil e R$ 200 mil) ou edifícios em sua parte do terreno.

Capitalizada, a Urba vai alocar tempo e capital em áreas na chamada ‘saia da cidade’ — terrenos de mais de 1 milhão de metros quadrados tipicamente no limite do município, e até agora negligenciados pela MRV.

MRV tem 52% da Urba, e uma holding da família Menin tem outros 25%. José Felipe Diniz, um sócio dos Menin com 30 anos de experiência em loteamentos, tem 15%, e os executivos, 8%.

O IPO pode acontecer num momento em que a pandemia aumentou a procura por casas — o que levou a Caixa a olhar para o segmento.

No início do mês, a Caixa voltou a financiar lotes urbanizados para o cliente final, o que reduz substancialmente o valor da prestação.

Conheça a Urba

A Urba atua no setor de empreendimentos imobiliários com planejamento urbano e loteamentos de alta qualidade. A empresa — que vende lotes entre R$ 60 mil e R$ 100 mil — começou em 2012 como uma startup dentro da MRV. A companhia testou muito o mercado e passou a ver o nicho de loteamentos como parte de sua estratégia para diversificar seu negócio. Mas o fluxo de legalização de terrenos foi lento, e a Urba só ganhou massa crítica em seu landbank nos últimos anos.

A Urba se beneficia da presença da MRV em 167 cidades e do overhead de sua controladora, que lhe presta serviços de backoffice, cobrança e tecnologia. Em cada cidade, o time local da MRV ajuda a Urba a prospectar terrenos e desenvolver projetos — a companhia desenvolveu uma governança específica para administrar potenciais conflitos.

Três anos atrás, a MRV fez uma concorrência para escolher a firma de engenharia para construir a Arena MRV — o estádio ‘state of the art’ em Belo Horizonte que será o campo do Atlético Mineiro e onde a MRV terá ’naming rights’. Durante o processo, que envolveu quatro empresas, a família Menin se impressionou com Erika Matsumoto, uma executiva da Racional Engenharia, que acabou ganhando a concorrência. No início deste ano, quando souberam que Erika estava deixando a Racional, os Menin convenceram a executiva a se tornar CEO da Urba.

 

Fonte Brazil Journal e Comunicado MRV

Deixe um comentário