BCE aborda euro mais forte e diz que vai ‘monitorar cuidadosamente’ a taxa de câmbio

LinkedIn

O Banco Central Europeu disse que discutiu a recente valorização do euro em sua reunião de política na quinta-feira e vai “monitorar cuidadosamente” a taxa de câmbio daqui para frente.

O euro atingiu a maior alta em 1 semana de $ 1,1902 durante a coletiva de imprensa após a decisão política. Ele subiu mais de 5% em relação ao dólar norte-americano desde o início de julho e analistas questionam se isso poderia levar a uma flexibilização monetária adicional por parte do BCE. Uma moeda mais forte torna as importações mais baratas, afetando os exportadores da zona do euro e apertando as condições financeiras para a economia em geral.

“O Conselho do BCE discutiu a apreciação do euro, mas como sabem, não temos como alvo a taxa de câmbio”, disse a Presidente do BCE, Christine Lagarde, numa conferência de imprensa na quinta-feira.

O mandato do BCE é garantir a estabilidade de preços, no entanto, grandes oscilações nas taxas de câmbio podem impactar a inflação.

Como resultado, Lagarde acrescentou que o BCE “terá que monitorar cuidadosamente esse assunto”.

Euro continua subindo

O euro também recebeu um impulso na quinta-feira, quando Lagarde anunciou uma recuperação econômica “forte” na área do euro.

“Os dados recebidos desde nossa última reunião de política monetária em julho sugerem uma forte recuperação da atividade amplamente em linha com as expectativas anteriores”, disse ela.

“A demanda doméstica da zona do euro registrou uma recuperação significativa dos níveis baixos”, acrescentou ela, enquanto alertava que “a elevada incerteza sobre as perspectivas econômicas continua a pesar sobre os gastos do consumidor e o investimento empresarial”.

Nesse contexto, o banco central revisou ligeiramente para cima sua projeção de crescimento para 2020. O produto interno bruto agora deve cair 8% neste ano, ante uma estimativa de junho de -8,7%. Para 2021, o BCE espera que o PIB cresça 5% e 3,2% no ano seguinte.

Neste cenário, o BCE decidiu quinta-feira manter suas taxas de juros e programa de estímulo ao coronavírus inalterados. A taxa de juro das operações principais de refinanciamento, da facilidade permanente de cedência de liquidez e da facilidade permanente de depósito do BCE mantém-se em 0,00%, 0,25% e -0,50%, respectivamente. Enquanto o Programa de Compra de Emergência Pandêmica do banco permanece em um total de 1,35 trilhão de euros (US $ 1,6 trilhão).

Apesar de uma leitura de inflação surpreendentemente baixa em agosto, a mais baixa desde 2001, o que levantou dúvidas sobre se o BCE terá que fazer mais para renovar a economia do euro.

Embora o BCE tenha decidido contra qualquer ação política importante na quinta-feira, a presidente do BCE admitiu que seu atual programa de estímulo ao coronavírus provavelmente seria usado na íntegra.

“Certamente, nas atuais circunstâncias, é muito provável que todo o envelope do PEPP seja usado”, disse ela.

Em junho, o BCE aumentou seu programa de estímulo ao coronavírus de 750 bilhões de euros para 1,35 trilhão de euros, para durar pelo menos até junho de 2021. Os analistas esperam um aumento no valor total do programa antes do final do ano.

Fonte CNBC

Deixe um comentário