Empresas chinesas manifestaram preocupação a reguladores sobre a proposta de aquisição

LinkedIn

Empresas chinesas de tecnologia, que incluem a Huawei Technologies, manifestaram preocupação a reguladores sobre a proposta de aquisição da Arm pela Nvidia, disseram pessoas a par do assunto, o que coloca em risco o acordo de US$ 40 bilhões no setor de semicondutores.

Várias das empresas de tecnologia mais influentes da China têm pressionado a Administração Estatal de Regulamentação do Mercado para rejeitar a transação ou impor condições para garantir seu acesso à tecnologia da Arm, disseram as pessoas.

A principal preocupação é que a Nvidia possa obrigar a empresa britânica a bloquear clientes chineses, disseram as pessoas, que não quiseram ser identificadas.

O temor da China é que a Arm – cujos designs e arquitetura de semicondutores são centrais para a maioria dos eletrônicos do mundo, de smartphones a supercomputadores – se torne mais um alvo na disputa EUAChina pela supremacia tecnológica.

 A Nvidia está comprando a empresa britânica do conglomerado japonês SoftBank, o que a coloca sob jurisdição dos EUA e teoricamente ameaça seu apreciado status de parte neutra na indústria de chips.

Qualquer revisão do acordo em Pequim provavelmente será influenciada pela percepção de que os EUA tentam cada vez mais frear as maiores empresas de tecnologia chinesas.

O governo chinês tem poder de aprovar o acordo, porque a China é o maior mercado mundial de semicondutores, com importações anuais de cerca de US$ 300 bilhões em chips.

Essa dependência do silício estrangeiro pode convencer reguladores locais a tentar obter grandes concessões da Nvidia para preservar o relacionamento com a Arm, por exemplo, mantendo o negócio independente e separado.

“Duvido porque a China facilitaria, já que permitir que a Nvidia assuma o controle da Arm poderia piorar o acesso da Huawei ao design de chips da empresa do Reino Unido”, disse Anthea Lai, analista da Bloomberg Intelligence. Os designs da Arm são fundamentais para uma infinidade de produtos da empresa.

A Nvidia está comprando a empresa britânica do conglomerado japonês SoftBank, o que a coloca sob jurisdição dos EUA e teoricamente ameaça seu apreciado status de parte neutra na indústria de chips.

Um representante da Huawei não quis comentar. A agência reguladora chinesa não respondeu a ligações e a um pedido de comentários por fax.

Representantes da Nvidia destacaram comentários feitos neste mês pelo CEO Jensen Huang, que mostrou confiança de que o negócio será aprovado.

“Assim que explicarmos a razão da transação e nossos planos, reguladores no mundo todo perceberão que essas são duas empresas complementares”, disse Huang em conferência de desenvolvedores da Arm. “As duas empresas sendo complementares quando combinadas criarão inovações, o que é bom para o mercado.”

Deixe um comentário