Preocupação com disseminação do Covid-19 pesa sobre o sentimento dos investidores

LinkedIn

ÁSIA: As bolsas asiáticas fecharam majoritariamente em baixa nesta terça-feira, após tombo em Wall Street.

O índice Hang Seng de Hong Kong fechou em queda de 0,53%. As ações da Alibaba em Hong Kong subiram 0,67% depois que a Ant Group, definiu o preço de suas ações na segunda-feira. A oferta pública inicial da sua filial em Xangai e Hong Kong será a maior de todos os tempos. Enquanto isso, as ações do HSBC listadas em Hong Kong dispararam 4,81%. O maior banco da Europa em ativos divulgou na terça-feira um lucro antes dos impostos maior do que o esperado no terceiro trimestre.

O S & P / ASX 200 caiu 1,7% para fechar em 6.051 pontos e lideraram as perdas entre os principais mercados da região. Entre as mineradoras, BHP caiu 2%, Rio Tinto recuou 2,2% e Fortescue Metals fechou em baixa de 2,3%. As produtoras de petróleo também caíram. Santos recuou 3,5% e Woodside Petroleum caiu 3,4%.

Na China Continental, as bolsas recuperaram de quedas iniciais e fecharam em alta: o composto de Xangai subiu 0,10%, enquanto o Shenzhen Component subiu 0,59%. Os lucros das empresas industriais da China em setembro aumentaram 10,1% no comparativo anual, de acordo com o Escritório Nacional de Estatísticas do país.

No Japão, o Nikkei encerrou seu dia de negociação em baixa de 0,04%, em 23.485,80 pontos, enquanto o índice Topix caiu cerca de 0,1%.

O Kospi da Coreia do Sul caiu 0,56%, apesar de dados econômico serem ligeiramente melhores do que o esperado. O produto interno bruto da Coreia do Sul cresceu 1,9% no terceiro trimestre em relação ao trimestre anterior, após uma queda trimestral de 3,2% entre abril e junho. As fortes exportações lideraram a recuperação, disseram economistas.

O índice MSCI para Ásia-Pacífico exceto Japão caiu 0,27%.

EUROPA: As bolsas europeias recuaram na manhã de terça-feira, com os investidores continuando a monitorar a rápida disseminação do coronavírus em todo o continente e digerindo uma nova rodada de lucros corporativos.

Depois de cair 1,8% na segunda-feira, o Stoxx Europe 600 recua 0,47%. Os bancos resistem à tendência com base em balanços sólidos, enquanto as empresas de recursos básicos lideram as perdas no pan-índice.

O alemão DAX 30 cai 0,42%, o francês CAC 40 recua 1%, enquanto o IBEX 35 da Espanha e o FTSE MIB da Itália caem 0,38% e 0,49%, respectivamente.

Em Londres, o FTSE 100 avança ligeiros 0,07%. Entre as mineradoras listadas na LSE, Anglo American e BHP caem 1,4% cada, enquanto Rio Tinto perde 1,1%. Em sentido contrário, a produtora de cobre Antofagasta avança 0,5%. Enter as empresas de petróleo, BP sobe 1,6% e Royal Dutch Shell cai 1,1%.

Novos recorde em casos diários da Covid-19 foram vistos nos EUA, Rússia e França nos últimos dias, enquanto o Reino Unido deve estender seu alerta para categoria mais alto em mais cidades e a chanceler alemã, Angela Merkel, alertou colegas que a Alemanha está à beira de perder o controle do vírus, de acordo com o The Guardian.

No entanto, houve algumas notícias promissoras no campo das vacinas. A gigante farmacêutica britânica AstraZeneca disse na segunda-feira que sua potencial vacina contra o Covid-19 produziu uma resposta imunológica semelhante tanto em adultos mais velhos e entre os mais jovens.

O Reino Unido avisou que o tempo está se esgotando, enquanto o principal negociador da União Europeia, Michel Barnier, viaja para Londres no intuito de continuar as negociações do Brexit, com os dois lados divergindo fortemente em questões-chave em sua tentativa de garantir um novo acordo comercial até o final do ano.

EUA: Os futuros dos índices de ações dos EUA avançam no início da manhã desta terça-feira, após uma grande liquidação no dia anterior, alimentada pelo aumento dos casos de Covid-19 nos EUA e agravado pela expectativa de que um pacote de estímulo de Washington não saia antes da eleição, que é daqui a uma semana.

Na segunda-feira, as bolsas americanas registraram sua pior sessão desde o início de setembro, em meio a um aumento nos casos da Covid-19 em todo o país. O Dow Jones Industrial Average caiu quase 650 pontos, queda de 2,29%, seu pior dia desde 3 de setembro e fechando abaixo de 28.000 pontos pela primeira vez desde 6 de outubro.

O S&P 500 caiu 1,86%, puxado para baixo por ações que dependem de uma reabertura da economia, como companhias aéreas, cruzeiros e varejistas. O Nasdaq Composite caiu 1,64%.

Sexta e sábado tiveram picos Covid-19, acima de 83.000 casos, de acordo com dados da Universidade Johns Hopkins. Os dados de domingo também mostraram que o país registrou uma média recorde de 68.767 casos por dia nos últimos sete dias.

Wall Street também está monitorando as negociações do pacote de ajuda ao coronavírus. O porta-voz da presidente da Câmara, Nancy Pelosi, disse no Twitter que a líder democrata continua “otimista” sobre um acordo pré-eleitoral após contato telefônico de segunda-feira com o secretário do Tesouro, Steven Mnuchin. No entanto, o porta-voz Drew Hammill disse que os democratas ainda estão esperando que a Casa Branca aceite sua redação em torno dos testes da Covid-19 e que “o progresso depende da concordância do líder McConnell com uma legislação bipartidária abrangente”.

Com menos de uma semana de negociações no mês de outubro, o Dow caiu ligeiramente no mês, enquanto o S&P 500 e o Nasdaq subiram 1,1% e 1,7%, respectivamente.

Segundo analistas, o maior risco é a ameaça de uma eleição contestada e o país não saber quem foi o vencedor da eleição presidencial na próxima terça-feira à noite.

Uma série de empresas relatarão seus balanços trimestrais na terça-feira. 3M e a Caterpillar devem divulgar antes do sino de abertura, assim como as gigantes da área de saúde Eli Lilly, Merck & Co. e Pfizer, além da BP, Harley-Davidson, JetBlue e Raytheon Technologies também reportam na manhã de terça-feira.

Wall Street também está se preparando para os balanços da Microsoft após o sino de fechamento. A gigante da tecnologia viu a receita crescer 13% no último trimestre, apesar da pandemia. Advanced Micro Devices e Chubb também reportam após o fechamento na terça-feira.

O Índice de Confiança do Consumidor do Conference Board para outubro será divulgado às 11h00. Analistas ouvidos pela FactSet esperam uma leitura de 102,3, após a leitura de 101,8 em setembro.

No mesmo horário, está prevista a divulgação do Índice de manufatura de Richmond.

ÍNDICES FUTUROS – 7h50:
Dow: +0,40%
SP500: +0,47%
NASDAQ: +0,51%

OBSERVAÇÃO: Este material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado e a europeia no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados.

Deixe um comentário