As ações da Lyft sobem conforme a empresa prevê lucro EBITDA até o final de 2021

LinkedIn

A Lyft divulgou o balanço do terceiro trimestre após o pregão de terça-feira (10).

Veja como Lyft se saiu em relação às expectativas comparáveis ​​de Wall Street para o período encerrado em 30 de setembro de 2020:

  • Prejuízo por ação (ajustado): US$ 1,46
  • Receita:  US$ 499,7 milhões, contra US$ 486,6 milhões esperados
  • Passageiros ativos:  12,5 milhões
  • Receita por passageiro ativo:  US$ 39,94

A empresa informou um prejuízo líquido de US$ 460 milhões no trimestre, quase inalterado em relação aos US$ 463 milhões que perdeu um ano atrás. No entanto, a receita e o número de passageiros da empresa aumentaram significativamente em relação aos resultados do último trimestre de US$ 339 milhões e 8,7 milhões de passageiros, sugerindo uma recuperação notável no compartilhamento de passeios durante o trimestre, embora ambos os números ainda estejam abaixo do ano anterior.

Os executivos da empresa disseram que a Lyft espera se tornar um EBITDA lucrativo no quarto trimestre de 2021, mesmo que haja uma recuperação mais lenta do que o esperado e com um volume de viagens ligeiramente menor do que o observado pela empresa no final de 2019.

As ações da Lyft dispararam cerca de 26% na segunda-feira (09) com notícias positivas sobre uma potencial vacina contra o coronavírus da Pfizer e BioNTech, mas perderam cerca de 4% desse ganho antes do fechamento na terça-feira.

As ações da Lyft também aumentaram graças a uma votação aprovada na Califórnia, autorizando aplicativos de transporte e entrega a continuar tratando motoristas e trabalhadores de entrega como contratados independentes, não como funcionários em tempo integral. Empresas como Lyft, Uber, DoorDash, Instacart e outras gastaram US$ 205 milhões para que sua medida eleitoral, a Proposta 22, fosse aprovada pelos eleitores.

Lyft não se saiu tão bem quanto seu principal concorrente, o Uber, em meio à pandemia nos Estados Unidos. Isso porque Lyft ainda não construiu o negócio de entrega de alimentos e mercearias que ajudou o Uber a substituir a receita perdida com a redução de viagens, deslocamentos e recreação, com entregas para pessoas que receberam ordens ou optaram por ficar em casa.

No entanto, na terça-feira, os executivos da Lyft disseram que a empresa está trabalhando na expansão da entrega e consultoria com uma variedade de varejistas e restaurantes.

O presidente da Lyft, John Zimmer, criticou o Uber Eats por tirar cerca de 20% a 30% da receita dos restaurantes para refeições pedidas em sua plataforma. Lyft pretende ser mais um parceiro que trabalha em um nível b2b com restaurantes e varejistas. “Não vamos ficar entre você e seu cliente, ao contrário de outras plataformas”, disse ele em uma ligação para discutir os resultados.

Os executivos da Lyft também elogiaram o crescimento em seus negócios de aluguel de veículos e serviço de transporte médico não emergencial, ao mesmo tempo em que enfatizaram a necessidade de disciplina contínua nos gastos gerais.

A empresa implementou uma reestruturação no segundo trimestre. Hoje, está contratando lentamente, evitando gastos com serviços de terceiros e procurando medidas de segurança que possam ajudar a empresa a reduzir seus custos de seguro a longo prazo, disseram o CFO Bryan Roberts e o CEO Logan Green da Lyft na terça-feira.

As ações da Lyft subiram até 6% na manhã de quarta-feira. No momento da publicação (11:46 – horário de Brasília), as açōes estavam em uma alta de 4,7% e o último preço á US$ 37,76.

CapturadeTela2020-11-11às11.47.52Gráfico candle anual (por semanas) da LYFT – br.advfn.com

Deixe um comentário