Candidatos no Brasil declaram até R$ 0,55 em Bitcoin durante as eleições de 2020

LinkedIn

Enquanto os Estados Unidos postergam o resultado da votação presidencial entre Joe Biden e Donald Trump nesta quinta-feira (5), as eleições de 2020 se aproximam no Brasil e alguns candidatos declararam entre os bens que possuem investimentos em Bitcoin.

Assim, de R$ 0,55 à R$ 300 mil, mais de 50 candidatos brasileiros possuem algum saldo em criptomoedas que foi declarado como bem para o Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Dentre os brasileiros que declararam criptomoedas como bens nas eleições de 2020 está Pedro Jácome de Freitas, que disputa uma vaga para vereador em Recife (PE). O candidato apresentou declaração ao TSE e diz que possui apenas R$ 0,55 em Bitcoin.

Candidatos com Bitcoin nas eleições

Os candidatos às eleições 2020 no Brasil tiveram até o dia 27 de setembro de 2020 para entregarem a declaração de bens ao TSE. Dessa forma, cerca de 55 candidatos para os cargos de vereador e prefeito disseram que também possuem investimentos em Bitcoin.

No total, os candidatos de todo o Brasil possuem quase R$ 2,7 milhões em criptomoedas. Enquanto o candidato ao cargo de vereador em Recife, Pedro Jacomé Freitas possui R$ 0,55 em Bitcoin, existem candidatos com até R$ 300 mil em criptomoedas.

Assim, o candidato a vereança de Recife (PE) foi o candidato que declaração a menor quantia em criptomoedas nas eleições de 2020, de acordo com o TSE.

Em contrapartida, o candidato que pretende continuar no cargo de vereador em São Paulo (SP), Daniel Annenberg é quem possui mais Bitcoin dentre todos que disputam as eleições em 2020 no Brasil.

No caso de Daniel Annenberg, o candidato declarou que possui R$ 300 mil em Bitcoin na declaração apresentada ao TSE. Além do vereador de São Paulo (SP), o candidato a prefeito em Santos (SP) conhecido como ‘Bayard’ foi um dos que declarou ter mais investimentos em criptomoedas do Brasil.

Embora não tenha descrito se o investimento é em Bitcoin, segundo o TSE Bayard Freitas Umbuzeiro Filho possui cerca de R$ 209 mil em criptomoedas investidos na empresa BWA, investigada como sendo pirâmide financeira.

Outras criptomoedas

Além de investimentos em Bitcoin, candidatos às eleições em 2020 no Brasil possuem outras criptomoedas que foram declaradas como bens. Em alguns casos, o bem foi declarado com outros itens, como dinheiro na poupança.

No entanto, existem alguns candidatos que podem ter investido em criptomoedas que possuem ligação com negócios considerados fraudulentos. Assim, além do candidato para a prefeitura de Santos (SP) que investiu na BWA, existem outros candidatos com criptomoedas que podem não ter valor algum no mercado.

Esse é o caso do candidato para vereador em Vinhedo (SP) Luís Gustavo Sauerbronn. De acordo com a divulgação de bens do médico que concorre ao pleito, ele possui R$ 820 em criptomoedas TPK.

A Treep Token (TPK) foi criada pela GenBit para pagar clientes que estão com saques em atraso na plataforma. Assim como a BWA, a GenBit é investigada por atuar no mercado financeiro de forma semelhante a uma pirâmide financeira.

As eleições 2020 no Brasil acontecem no dia 15 de novembro de 2020, dia em que está marcado o primeiro turno que pode eleger candidatos que também são investidores de Bitcoin. De acordo com a Justiça Eleitoral, nas cidades que possuem o segundo turno a votação está prevista para o dia 29 de novembro.

Deixe um comentário