Movida (MOVI3) 3T20: lucro líquido dá marcha a ré e cai 38%

LinkedIn

A Movida se movimentou em direção contrária ao bom desempenho de lucro líquido no terceiro trimestre de 2020. Isso porque ela registrou um lucro líquido de R$ 37,2 milhões, resultado 38,2% inferior ao do mesmo período do ano passado.

Os resultados da Movida (BOV:MOVI3) referentes às suas operações do terceiro trimestre de 2020 foram divulgados no dia 10/11/2020.

→ A Movida atua nos segmentos de locação de aluguel de carros, venda de seminovos e de gestão de terceirização de frotas de veículos leves. Desde 2006 no mercado, a Movida Aluguel de Carros conta com a frota mais nova do Brasil e dispõe de lojas nas principais cidades e aeroportos do país. Adquirida em 2013 pelo Grupo JSL, hoje faz parte da empresa Movida Participações, criada em 2015 para administrar as operações da companhia. Confira a análise completa da empresa com informações exclusivas.

O Ebitda (lucro antes de juro, impostos, depreciação e amortização) somou R$ 213,2 milhões no terceiro trimestre deste ano, alta de 13,6% em relação ao terceiro trimestre de 2019.

A margem Ebtida ficou em 54%, equivalente a uma alta de 8,8 pontos percentuais sobre o 3T19.

Já a receita líquida atingiu R$ 1,035 bilhão, crescimento de 3,6% na comparação ano a ano.

Em se tratando do lucro bruto, este caiu 9,6% no terceiro trimestre, totalizando R$ 219,4 milhões. A margem bruta ficou em 55,6%, baixa de 2,9 pontos percentuais. Segundo a empresa, essa queda da margem se explica pelo menor faturamento e aumento da depreciação, que também repercutiu no Ebitda.

Outras informações do balanço

A taxa de ocupação foi recorde no período: de 82,7%, uma evolução de 6,6 pontos percentuais em relação ao mesmo período de 2019, com uma frota final de 67.978 carros e ticket médio de R$ 70,00.

A venda de carros seminovos foi reduzida para voltar ao giro sustentável do ativo, refletindo um crescimento líquido de mais de 3 mil carros no 3T20 em relação ao 2T20.

A compra total foi de 18.242 carros, equivalendo a um capex bruto de R$ 976,1 milhões com ticket médio expandindo 17% na comparação anual devido ao mix de modelos. Assim, o capex líquido foi de R$ 328 milhões no trimestre deste ano, contra um capex negativo de R$ 426 milhões no segundo trimestre de 2020.

A dívida líquida da empresa encerrou o terceiro trimestre deste ano em R$ 2,132 bilhões.

Deixe um comentário