JBS: por meio de sua controladora Seara, companhia adquire ativos da Bunge no Brasil

LinkedIn

A JBS informou em fato relevante que concluiu a aquisição dos ativos de margarina e maionese da Bunge no Brasil, por meio de sua controlada Seara.

O comunicado foi feito pela JBS (BOV:JBSS3) nesta segunda-feira.

O negócio inclui a compra de três unidades produtivas que pertenciam à Bunge e estão localizadas em Gaspar (SC), São Paulo (SP) e Suape (PE). A expectativa é que a operação agregue 1,2 bilhão de reais à receita anual da Seara.

A Bunge, trading de commodities e processadora de alimentos, concordou em vender seus ativos de margarina e maionese no país para a Seara Alimentos, subsidiária da JBS, em dezembro do ano passado.

A JBS disse à época que pagaria 700 milhões de reais à Bunge pelos ativos.

A aquisição dá à JBS os direitos sobre marcas como Delícia, Primor e Gradina, fortalecendo a posição da companhia no mercado de margarinas no Brasil, também otimizando sua plataforma de distribuição, segundo o comunicado.

A JBS disse que a operação está em linha com a estratégia da empresa de expandir seu portfólio de produtos de maior valor agregado e com marca.

“A aquisição fortalece a posição da Seara no mercado de margarinas no Brasil e trará ao consumidor inovação e mais opções de qualidade”, disse em nota o CEO da Seara e da JBS América do Sul, Wesley Batista Filho.

Lucro líquido de R$ 3,1 bilhões, maior faturamento trimestral da história

JBS reportou o maior faturamento trimestral da história, com lucro líquido de R$ 3,1 bilhões, quase nove vezes o resultado do trimestre de 2019, quando a empresa divulgou R$ 356 milhões.

A JBS afirmou que a divisão brasileira de alimentos processados Seara viu o Ebitda ajustado subir 55,4%, enquanto as operações com carne suína e de frango nos Estados Unidos registraram saltos de 64,7% e 48,9%, respectivamente, apoiadas na desvalorização do real ante o dólar.

Deixe um comentário