Petrobras registra surtos de covid-19 na Bacia de Campos

LinkedIn

Mais duas plataformas da Petrobras na Bacia de Campos registraram surtos de Covid-19, levando ao desembarque de 28 pessoas de 26 de dezembro até a última quarta-feira, afirmou em nota nesta sexta-feira a Federação Única dos Petroleiros (FUP), com dados do Sindipetro-NF.

Na Bacia de Campos, de 26 de dezembro a 1º de janeiro, teriam sido desembarcados 14 trabalhadores da plataforma P-61, que opera no campo de Papa-Terra, que testaram positivo, segundo a FUP.

Além disso, a federação afirmou que na P-35, no campo de Marlim, outras 14 pessoas foram desembarcadas com suspeita da doença entre 4 de janeiro e a última quarta-feira.

Procurada, a Petrobras (BOV:PETR3) (BOV:PETR4) confirmou apenas que ocorreram desembarques pontuais por suspeita de Covid-19 nas plataformas citadas, mas não entrou em detalhes.

A Petrobras não comentou sobre eventual impacto na produção.

A petroleira reiterou ainda que sempre que um caso suspeito é identificado em unidade offshore, o colaborador com sintomas e todos os seus contactantes – mesmo que assintomáticos – desembarcam para teste em terra, com acompanhamento das equipes de saúde da Petrobras e orientação para isolamento.

“A companhia adota procedimentos robustos em todas as suas unidades desde o início da pandemia. Todas as ações têm base em evidências científicas e orientações de autoridades sanitárias”, afirmou a Petrobras, que destacou ter realizado mais de 450 mil testes para Covid-19 nos colaboradores de suas unidades próprias em todo o país.

A FUP afirmou ainda que levantamento do Sindicato dos Petroleiros Unificado de São Paulo (Sindipetro-SP), com dados do Ministério de Minas e Energia, apontaram 1.605 novos casos de infecção entre trabalhadores da Petrobras, entre 3 de novembro de 2020 e 4 de janeiro de 2021.

“A quantidade de casos apontada pelo Sindipetro-SP mostra que o número registrado em dois meses já supera a soma de contaminação entre petroleiros registrada nos quatro primeiros meses da pandemia no Brasil”, afirmou a FUP, em nota.

Segundo a FUP, entre 26 de fevereiro (data da confirmação do primeiro caso da doença no país) e 29 de junho, foram confirmados 1.547 trabalhadores da Petrobras contaminados.

Em nota, a Petrobras frisou que diante do aumento no número de casos de Covid-19 em várias regiões do Brasil, a companhia está reforçando as ações de prevenção ao coronavírus, inclusive com medidas adicionais, como prorrogação do teletrabalho, novas ações de conscientização, dentre outras.

Desembarques continuam

A Petrobras ultrapassou os quatro mil funcionários infectados pelo covid-19, sendo 3.730 já recuperados, aumentando a insatisfação dos empregados em relação às medidas de prevenção à doença.

De acordo com o Sindicato dos Petroleiros do Norte Fluminense (Sindipetro-RJ), as notícias de desembarque das plataformas por infecção têm sido constantes.

De acordo com o Boletim de Acompanhamento Semanal de Covid, dos 46.416 empregados da empresa, 280 tiveram o teste confirmado e estão em quarentena, enquanto 17 empregados estão internados. No total, 4.010 trabalhadores da companhia tiveram a doença até a última segunda-feira e três morreram.

Nesta sexta, 16 trabalhadores desembarcaram da plataforma P-35, na bacia de Campos, com a confirmação de dois casos positivos e cinco negativos. Outros nove ainda aguardam o resultado.

Segundo o Sindipetro-NF, os empregados lotados na plataforma P-61, na mesma bacia, solicitaram à empresa uma nova testagem geral a bordo, depois de resultado de falsos negativos que ficaram evidenciados pela contaminação de 30% dos trabalhadores da unidade.

“Hoje o sindicato foi notificado que mais cinco trabalhadores com suspeita de covid desembarcaram da P-61”, informou o Sindipetro-RJ em nota. A Petrobras confirmou as informações do sindicato, mas destacou que diante do aumento no número de casos de Covid-19 em várias regiões do Brasil, a companhia está reforçando as ações de prevenção ao coronavírus.

“A Petrobras informa que ocorreram desembarques pontuais por suspeita de Covid-19 nas plataformas citadas. Sempre que um caso suspeito é identificado em unidade offshore, o colaborador com sintomas e todos os seus contactantes – mesmo que assintomáticos – desembarcam para teste em terra, com acompanhamento das equipes de saúde da Petrobras e orientação para isolamento”, informou a estatal em nota.

Além das medidas preventivas já adotadas desde o início da pandemia – como ampla testagem; monitoramento de saúde pré-embarque e pré-turno, medidas de higienização, distanciamento e uso obrigatório de máscara nas unidades – a companhia informa que implementou procedimentos adicionais.

“O teletrabalho foi prorrogado para todas as atividades que podem ser realizadas de forma remota até 31 de março de 2021; estão sendo reforçadas as ações de conscientização e orientação para os colaboradores sobre cuidados individuais; e as barreiras preventivas estão sendo fortalecidas nas unidades operacionais”, disse a companhia.

Deixe um comentário