Startup de Bitcoin apoiada pela Visa vai lançar aplicativo de pagamentos integrado com a Lightning Network

LinkedIn

A Zap, uma startup de pagamentos da Lightning Network apoiada pela Visa por meio de seu programa Fintech Fast Track, anunciou na quarta-feira o lançamento do Strike Global, um aplicativo de pagamentos e remessas que usa a tecnologia Bitcoin de segunda camada.

Um anúncio do CEO Jack Mallers aprofunda as diferenças entre os mecanismos de transferência fiat padrão e o mecanismo acionado por relâmpago no Strike Global. Mallers concentrou-se nas remessas, um negócio de bilhões de dólares que ainda é amplamente repassado por intermediários caros.

O Strike Global não é muito diferente dos aplicativos tradicionais de fintech, mas usa a Lightning Network para fins de liquidação. Isso significa que os pagamentos podem ser essencialmente instantâneos e com uma fração do custo dos meios de pagamento tradicionais.

O Strike Global tem dois tipos de transferência, dependendo da localização do destinatário. Para países com um sistema bancário desenvolvido, o Strike permite que os usuários enviem pagamentos sem passar pelo Bitcoin (BTC). Strike retirará automaticamente dinheiro da conta bancária do usuário, trocará por BTC e, em seguida, trocará de volta para a moeda fiduciária do destinatário e para o sistema bancário.

O sistema pega carona na infraestrutura existente de troca de Bitcoin, que já permite remessas muito mais baratas e mais simples se os usuários estiverem dispostos a acessá-las manualmente. Uma vez que as trocas nacionais são geralmente integradas ao sistema bancário local, o uso de Bitcoin ou outras criptomoedas permite taxas de conversão muito mais baratas em comparação com as transações bancárias internacionais.

Para países sem sistemas bancários desenvolvidos, o Strike permite que os usuários mantenham seu dinheiro em Bitcoin ou Tether (USDT). A criptomoeda pode então ser trocada por dinheiro local ou fiduciário por meio de soluções ad-hoc como ATMs Bitcoin, LocalBitcoins e outros. O Strike simplifica muitos dos processos de troca no back-end para tornar a experiência semelhante a outros aplicativos fintech.

A startup fez parceria com a Bittrex para integrar os usuários da exchange no Strike e na Lightning Network. No primeiro trimestre de 2021, ela espera concluir os testes beta públicos e privados, bem como emitir cartões Visa Strike nos Estados Unidos. No segundo trimestre, espera lançar cartões na União Europeia e no Reino Unido.

O lançamento ocorre conforme as empresas começam a aumentar a adoção de tecnologias Bitcoin mais recentes. Kraken prometeu introduzir uma integração Lightning em 2021, enquanto Binance recentemente adicionou suporte de endereço SegWit para Bitcoin.

Por Andrey Shevchenko

Deixe um comentário