Ecorodovias: melhora no fluxo das estradas em 2021 mas queda de 9,5% durante a pandemia

LinkedIn

A concessionária Ecorodovias divulgou um balanço mostrando que o tráfego nas estradas está se recuperando em 2021, mas ainda não foi suficiente para reverter as perdas acumuladas nos onze meses de pandemia.

O relatório foi divulgado pela concessionária (BOV:ECOR3) nesta terça-feira (16). Os resultados aqui apresentados são gerenciais e sujeitos a revisão.

O fluxo consolidado de veículos pesados e leves pagantes de pedágios neste ano, até 14 de fevereiro, já supera em 5% o registrado no mesmo período do ano passado.

Já o fluxo consolidado desde o começo da crise sanitária (desde 16/03/20 até 14/02/21) ainda está 4,8% abaixo do registrado no mesmo período do ano anterior (18/03/19 a 16/02/20).

No Estado de São Paulo, onde estão as rodovias com maior movimentação do grupo, a concessão Ecovias dos Imigrantes, que liga a capital paulista à Baixada Santista pelo sistema Anchieta-Imigrantes, viu redução de 8,1% no volume total de veículos, incluindo leves e pesados, durante esse período.

Na Ecopistas, concessionária das rodovias do sistema Ayrton Senna-Carvalho Pinto, que faz a ligação entre a capital paulista, Vale do Paraíba e litoral norte do Estado, o tráfego foi 17,4% menor do que o visto um ano atrás.

A Ecovia Caminho do Mar, estrada entre Curitiba e o porto de Paranaguá, no Paraná, é a única que tem tido um saldo positivo em todo o período, aumentando o número de veículos pedagiados em 2,3%, graças ao movimento dos caminhões que abastecem o porto. Já na Ecocataratas, que liga o interior do Estado (Guarapuava) até Foz do Iguaçu, a movimentação caiu 9,1%.

A Ecosul, que administra as rodovias do polo rodoviário de Pelotas, no Rio Grande do Sul, viu o volume cair 8,9%, a Eco101, que corta o Espírito Santo de norte a sul, teve o tráfego 3,7% maior, sendo que somente em novembro esse número se tornou positivo, e a Ecoponte, que administra a ponte Rio-Niterói, perdeu 17,8% do volume de carros passando por seus pedágios no período.

A Ecorodovias também publicou o volume do tráfego em termos comparáveis, excluindo desse cálculo a cobrança de pedágio na Eco135, Eco050 e Ecovias do Cerrado, estradas que passaram a ingressar o grupo mais recentemente e/ou tiveram inaugurações de novas praças de pedágio nos últimos trimestres.

Se fossem incluídas na comparação anual, a queda do tráfego total dos veículos nas estradas sob concessão da Ecorodovias seria de 5,0% no período destacado.

Nesses termos, o tráfego acumula baixa de 3,8% em 2021. O resultado, entretanto, também representa uma melhora. Desde a chegada da pandemia, houve uma retração de 9,5%.

A Ecorodovias pretende divulgar os resultados do 4T20 e referente ao ano de 2020 no dia 25 de fevereiro.

Lucro líquido de R$ 89,2 milhões no 3T20, 53% superior ao 3T19

O balanço do terceiro trimestre deste ano da Ecorodovias veio marcado por um lucro líquido de R$ 89,2 milhões, desempenho 53,2% superior ao registrado no mesmo período de 2019. No acumulado dos nove primeiros meses de 2020, o lucro líquido é de R$ 276,7 milhões, contra R$ 199,5 milhões de um ano antes.

Deixe um comentário