BCE sinaliza impressão de dinheiro mais rápida para combater aumento nos rendimentos

LinkedIn

O Banco Central Europeu sinalizou impressão de dinheiro mais rápida nesta quinta-feira para conter os custos de empréstimos da zona do euro, mas não conseguiu adicionar poder de fogo ao seu já agressivo pacote de combate à pandemia.

Preocupado que um aumento nos rendimentos dos títulos possa atrapalhar a recuperação nos 19 países que compartilham o euro, o BCE disse que usaria seu Programa de Compra de Emergência Pandêmica de 1,85 trilhão de forma mais generosa nos próximos meses para impedir qualquer aumento injustificado nos custos de financiamento da dívida.

“O Conselho do BCE espera que as compras ao abrigo do PEPP no próximo trimestre sejam realizadas a um ritmo significativamente mais elevado do que durante os primeiros meses deste ano”, disse o BCE em comunicado após a sua reunião regular de política.

A movimentação amplamente esperada ocorre após um aumento constante nos rendimentos desde o início do ano, que em grande parte refletiu uma movimentação semelhante nos títulos do Tesouro dos EUA, em vez de refletir as melhores perspectivas econômicas em toda a zona do euro.

O crescimento é, na verdade, mais fraco do que o previsto, pois uma nova onda de pandemia de coronavírus e um lançamento dolorosamente lento da vacina estão exigindo bloqueios mais longos, desafiando as expectativas de uma recuperação rápida na primavera.

O apoio fiscal do bloco também é modesto em comparação com o pacote de ajuda de US $ 1,9 trilhão aprovado pelo Congresso dos Estados Unidos.

“O Conselho do BCE comprará com flexibilidade de acordo com as condições de mercado e com vista a evitar um endurecimento das condições de financiamento”, afirmou o BCE.

Mas também manteve sua orientação anterior de que sua cota de PEPP não necessariamente será utilizada na íntegra, se as condições de mercado permitirem.

A presidente do BCE, Christine Lagarde, explicará a decisão política do banco e revelará novas projeções econômicas em uma entrevista coletiva às 13h30.

IMPLEMENTAÇÃO

Para o BCE, o truque será implementar seu compromisso renovado com condições de financiamento favoráveis.

Não pode parecer micro-administrar os rendimentos dos títulos, já que isso amarraria suas mãos no futuro e geraria acusações de que está protegendo os governos das forças do mercado.

Os formuladores de políticas também têm o cuidado de não exagerar no aumento dos rendimentos, que ainda são baixos para a maioria dos padrões. A curva de juros alemã, benchmark para o bloco de 19 países, ainda está em terreno negativo até 20 anos.

Os rendimentos alemães de 10 anos estão apenas cerca de 30 pontos base mais altos desde o início do ano e os spreads entre os títulos alemães e periféricos estão amplamente estáveis.

Mas o BCE também precisa tranquilizar os investidores, que começaram a duvidar de seu compromisso depois que os volumes de compra de títulos realmente diminuíram nas últimas duas semanas, confundindo as expectativas de que usará sua tão enfatizada “flexibilidade” para impulsionar a atividade do mercado.

O poder de fogo não será um problema, já que o banco ainda tem uma cota de 1 trilhão de euros para comprar títulos até março próximo, então a questão é como o BCE usará sua flexibilidade.

Outro obstáculo para Lagarde será explicar quais medidas específicas o banco considerará ao orientar os mercados. O economista-chefe do BCE, Philip Lane, apontou para a curva de rendimento soberana ponderada pelo PIB e os swaps indexados da noite para o dia, mas outros formuladores de políticas especificaram medidas diferentes.

Com a decisão de quinta-feira, a taxa básica do BCE deverá permanecer em uma baixa recorde de -0,5%. O envelope total para o Programa de Compra de Emergência Pandêmica também se manteve inalterado em 1,85 trilhões de euros.

(Com informações da Reuters)

Deixe um comentário