Mitre (MTRE3): lucro líquido de R$ 49,1 milhões em 2020, alta de 53,4%

LinkedIn

A Mitre registrou lucro líquido de R$ 49,1 milhões no ano, 53,4% superior ao ano anterior.

Os resultados da Mitre (BOV:MTRE3) referentes suas operações do quarto trimestre de 2020 foram divulgados no dia 15/03/2021.

⇒ Confira a agenda completa da divulgação dos resultados do 4T20 e referente ao ano de 2020. Confira a cobertura completa de todos os balanços referente ao ano de 2020 das empresas negociadas na B3.

Em 2020, a receita somou R$ 411,3 milhões, 31,9% superior à registrada em 2019 “em função do aumento no número de lançamentos, alto índice de velocidade de vendas e da manutenção da evolução das obras, que estão todas antecipadas.”

 

Com isso, o Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) chegou a R$ 11,827 milhões, avanço de 26,9% ante mesmo período do ano anterior.

A margem líquida da incorporadora e construtora foi de 14,6%, comparada a 4,3% um ano antes. A Mitre atribui os aumentos à eficiência no controle das despesas, ao ótimo desempenho de vendas nos lançamentos, ao ganho de margens nos produtos, à evolução das obras e ao bom resultado financeiro.

No ano de 2020, o Retorno sobre Patrimônio Líquido Médio (ROAE) da empresa foi de 9,2%, contra 61,7% em 2019.

“Considerando que esse valor ainda sofre distorção e é negativamente impactado pelo recente aumento no Patrimônio Líquido, com a entrada dos recursos do IPO [oferta pública inicial de ações] da companhia, em fevereiro de 2020, pode-se afirmar que o retorno da companhia foi bastante elevado”, destacou a Mitre.

4T20

A Mitre teve lucro líquido de R$ 22,56 milhões no quarto trimestre de 2020, alta de 329,3% ante igual período de 2019.

A receita líquida foi de R$ 154,761 milhões no período, alta de 26,8%.

De outubro a dezembro de 2020, a R$ 463,749 milhões em VGV (Valor Geral de Vendas), distribuídos em quatro empreendimentos e 930 unidades, uma expansão de 46,0% e 47,4%, em VGV e em unidades, respectivamente, em comparação ao mesmo período de 2019.

Do total lançado, 522 já foram vendidas, confirmando um VSO (Venda sobre Oferta) de 46,9% no no trimestre. O indicador apresento um recuo de 14,5 pontos percentuais, “resultado do alto volume de lançamentos realizados pela companhia nos últimos dois trimestres que aumentaram o estoque ofertado.”

 

VISÃO DO MERCADO

Bradesco BBI

O Bradesco BBI classificou os resultados da Mitre como sólidos tanto para o quarto trimestre como para o ano de 2020 como um todo. O banco destacou os lançamentos equivalentes a R$ 920 milhões em 2020, 30,4% acima do ano anterior. As vendas ficaram em R$ 607 milhões, alta de 31,6% na comparação anual.

A margem bruta ficou levemente abaixo da estimativa do Bradesco, enquanto o faturamento líquido ficou em linha com sua estimativa. O banco diz que continua a preferir outras empresas, como a Trisul, devido aos riscos da Mitre com sua estratégia de crescimento rápido.

Bradesco BBI mantém avaliação neutra para a Mitre, com preço-alvo de R$ 19,00.

Credit Suisse

 

O Credit Suisse comentou os resultados da Mitre para o quarto trimestre, que classificou como fortes, 9% acima de sua estimativa, e um crescimento de 27% na comparação anual. O banco diz que a empresa continua em direção a suas metas após a oferta pública inicial de ações, atingindo um retorno sobre o capital investido de 9% em 2020, meta que o banco esperava que fosse atingida apenas em 2021.

O banco espera que novos resultados positivos surjam, apesar de desafios operacionais.

Credit Suisse mantém recomendação de compra, com preço-alvo de R$ 17,00.

Deixe um comentário