BofA aponta demanda fraca em resultados do 4T20 da M. Dias Branco e mantém recomendação neutra

LinkedIn

O Bank of America (BofA) aponta a demanda fraca e a inflação de preços como os principais vilões dos resultados reportados pela M. Dias Branco (BOV:MDIA3), dona de marcas como Adria, Piraquê e Vitarella, no quarto trimestre de 2020. O BofA manteve recomendação neutra, com preço-alvo em R$ 39, com alta de 34% sobre a cotação atual de R$ 28,91 do papel.

Os analistas do BofA, que consideraram fracos os resultados reportados pela empresa, afirmaram que o último trimestre do ano passado provou ser um período desafiador para o segmento.

“A ajuda financeira federal foi parcialmente extinta e a alta inflação dos alimentos levou as famílias a priorizarem outros produtos essenciais ou de maior valor agregado, como proteínas”, afirmaram os analistas Isabella Simonato, Guilherme Palhares e Fernando Olvera em relatório.

Para o BofA, a tendência que é o cenário de queda nos volumes persista no início deste ano. “Embora o novo programa de ajuda federal deva começar a ser pago no segundo trimestre de 2021, acreditamos que os sucessivos ‘lockdows’ no país e o alto desemprego, provavelmente, não se traduzirão em altos volumes”, afirmaram os analistas do banco de investimento.

Ainda na visão do BofA, os maiores custos de insumos relacionados aos preços das commodities e o real fraco pressionaram o lucro antes de juros, impostos, amortização e depreciação (Ebitda, na sigla em inglês), que totalizou R$ 46 milhões, 75% abaixo das estimativas do próprio BofA.

Lucro líquido de R$ 763,8 milhões, alta de 37,2%

A M. Dias Branco, maior fabricante de biscoitos e massas do Brasil, dona de 19 marcas — incluindo Vitarella, Richester, Fortaleza, Piraquê, Isabela, Estrela e Adria —, encerrou o ano de 2020 com lucro líquido de R$ 763,8 milhões, alta de 37,2% na comparação com o ano de 2019.

Os resultados da M.Dias Branco (BOV:MDIA3) referentes suas operações do quarto trimestre de 2020 foram divulgados no dia 31/03/2021. Confira o Press Release completo!

⇒ Confira a agenda completa da divulgação dos resultados do 4T20 e referente ao ano de 2020. Confira a cobertura completa de todos os balanços referente ao ano de 2020 das empresas negociadas na B3.

A companhia, assim como outras empresas do setor de alimentos, teve o desempenho nos três primeiros trimestres do ano passado impulsionado, em parte, pelo aumento na demanda doméstica por seus produtos, uma vez que as medidas de isolamento social resultaram no fechamento de food service e exigiram mais refeições em casa.

O Ebtida – lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização – somou R$ 974,3 milhões no ano de 2020, com crescimento de 26,2% na comparação anual.

A receita líquida cresceu 18,8%, atingindo R$ 7,3 bilhões, com crescimento em todos os trimestres do ano. Destaque para o período que compreende o segundo e o terceiro trimestre, quando observamos maior nível de demanda no Brasil.

As vendas de biscoitos avançaram 11,7%, para 574,6 mil toneladas. As vendas de massas, por sua vez, aumentaram 22%, para 451,1 mil toneladas.

4T20

A M. Dias Branco, maior fabricante de biscoitos e massas alimentícias do país, encerrou o quarto trimestre do ano com lucro líquido de R$ 209 milhões, valor 21,1% abaixo do lucro apurado no mesmo período de 2019.

“Observamos desaceleração do nosso crescimento, fruto do arrefecimento da demanda e dos reajustes nos preços, especialmente na região de defesa (Norte e Nordeste)”, destacou a M. Dias em comunicado divulgado para imprensa e investidores. O resultado da M. Dias Branco interrompe um ciclo de quatro altas consecutivas no lucro líquido.

O Ebtida – lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização – recuou 33,5%, para R$ 289,2 milhões.

Deixe um comentário