Mater Dei estreia em queda de 3,67% na B3

LinkedIn

A Mater Dei estreou na Bolsa nesta sexta-feira (16) em queda. Os ativos fecharam em baixa de 3,67%, a R$ 16,80. Na mínima do dia, os papéis chegaram a perder 6,25%, a R$ 16,35. O volume financeiro foi de R$ 146,3 milhões.

A companhia (BOV:MATD3), líder em Minas Gerais em serviços hospitalares e oncológicos, levantou na última quarta-feira (14) cerca de R$ 1,4 bilhão em sua oferta pública inicial de ações (IPO), após aceitar um desconto de 20% sobre a faixa indicativa para a operação, de R$ 21,80. O preço da oferta foi de R$ 17,44 por ação.

A companhia vendeu 92,8 milhões de ações, sendo seu free float de 23%.

A rede de hospitais tem a intenção de usar os recursos arrecadados para investir na expansão inorgânica, comprando novos ativos em praças estratégicas, e para custear a construção de novos hospitais (em projetos greenfield).

Assim, com a oferta, a companhia, que pretende ser uma consolidadora do setor, se vê capitalizada para realizar sua expansão através de fusões e aquisições. Ela ainda conta com um amplo espaço para alavancagem para executar suas operações.

Pressão por todos os lados

O valor do IPO ficou abaixo das expectativas da Mater Dei – o plano era arrecadar algo em torno de R$ 1,9 bilhão – por dois fatores. O primeiro é a situação atual do mercado. Com a alta volatilidade e incertezas econômicas, os investidores estão um pouco mais cautelosos em seus aportes, especialmente quando se trata de uma novata.

Fora que muitos estrangeiros migraram seus recursos para outros locais, principalmente os Estados Unidos, cuja economia dá sinais de retomada.

O segundo ponto tem a ver com a dinâmica do segmento de saúde. Há uma fila enorme de companhias deste mercado prontas para entrar na B3, ou que estrearam recentemente. Temos outras duas redes hospitalares com ofertas na praça, o Hospital Kare e a Kora Saúde, além da farmacêutica Blau.

Deixe um comentário