Bom dia ADVFN - Dados sobre emprego nos EUA e CPI recebe o ministro da Saúde

LinkedIn

Esse é o Bom dia, Investidor!  06 de Maio de 2021, com tudo o que você precisa saber antes da Bolsa abrir!

Bolsas mundiais: os índices futuros americanos têm alta, enquanto que as bolsas europeias caem. As bolsas asiáticas fecharam em sua maioria em altas na volta do feriado em economias importantes. Os investidores aguardam sinais sobre emprego na economia americana.

Na Ásia, os mercados fecharam predominantemente em alta. O Japão liderou os ganhos no continente, uma vez que os negócios foram retomados após os feriados, com Hong Kong como outro destaque de alta. As ações da Austrália e da China reduziram seus ganhos depois que as autoridades chinesas anunciaram uma suspensão formal do diálogo econômico com a Austrália, em um movimento amplamente simbólico com a intenção de sinalizar a crescente frustração de Pequim com a capital Canberra.

Na Europa, os índices europeus têm tendência de queda, com o índice Eurostoxx, que reúne as ações de 600 empresas de todos os principais setores de 17 países europeus recuando. Investidores aguardam o anúncio da política monetária do Banco da Inglaterra pela tarde. A expectativa é de que o banco mantenha políticas de estímulo econômico, e a taxa de juros referencial inalteradas, apesar de indícios de aceleração da economia do Reino Unido.

Nos Estados Unidosos índices futuros americanos apresentam tendência de alta. Na quarta-feira, o índice Dow Jones chegou a subir 200 pontos, um recorde de valorização, e fechou com alta de 97 pontos, também um recorde. O S&P subiu 0,1%, enquanto que o Nasdaq Composto perdeu 0,4%. Esses índices foram prejudicados por empresas do setor de tecnologia. Netflix, Amazon e Facebook estão entre os nomes que perderam mais de 1% na quarta-feira. Investidores aguardam a divulgação de dados sobre desemprego. Na quarta, o vice-presidente do Federal Reserve, Richard Clarida, afirmou à rede de notícias CNBC que, com a melhora do quadro de emprego nos Estados Unidos, é necessário que haja progresso considerável antes de o Banco Central se sentir confortável o suficiente para retirar todo o auxílio que vem promovendo desde o início da pandemia, que interrompeu o maior período de expansão da história da economia americana.

==> Acompanhe os mercados mundiais pela ADVFN (aqui)

Os futuros internacionais de petróleo WTI (NYMEX:CL\M21) estão sendo negociados a US$ 65,37, com baixa de 0,44%. O Brent (NYMEX:BZ) opera em baixa de 0,30%, negociado a US$ 68,75.

Bitcoin (COIN:BTCUSD) é negociado a US$ 57.309,16 (+3,5). O ouro (COMEX:GC\M21) é negociado a US$ 1.793,15 por onça-troy (+0,50%).

⇒ Bitcoin – Acompanhe o Mundo Cripto na ADVFN

Minério de ferro: Contratos futuros do minério de ferro negociados na bolsa de Dalian com queda de 6,81%, cotados a 1184 iuanes, equivalente hoje a US$ 182,88.

Coronavírus

A Índia registrou o recorde de quase 4.000 mortes por covid-19 e 412.000 novos contágios em 24 horas, de acordo com dados oficiais publicados nesta quinta-feira (6). Os números do ministério da Saúde contabilizam 3.980 óbitos e 412.262 casos em apenas um dia, o que eleva a 230.168 o número de vítimas fatais e a 21,1 milhões as infecções registradas na Índia desde o início da pandemia. Alguns especialistas consideram que os números oficiais estão muito abaixo da realidade.

O mundo registra 154.624.876 de casos de coronavírus e 3.232.878 mortes, confirmadas pela Universidade Johns Hopkins.

Painel Vacinas Covid-19 Brasil:  Doses Distribuídas pela União: 71.387.120. Doses aplicadas: 45.273.825.

Brasil registrou  2.811 óbitos causados pela covid-19, de acordo com dados do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) divulgados na quarta-feira, 5.  Com os registros, 414.399 vidas foram perdidas para a doença. O levantamento do Conass, que compila dados de secretarias de Saúde dos 26 Estados e do Distrito Federal apontou ainda 73.295 novos casos de covid-19 em 24 horas, com um total de 14.930.183 registros desde o início da pandemia.

Brasil

A Câmara dos Deputados aprovou na noite de quarta-feira (5) o texto-base do Projeto de Lei 4139/21, do Senado Federal, que torna permanente o Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe), criado para socorrer o setor durante a pandemia de covid-19. Como houve alterações no texto original, a matéria retorna ao Senado.As micro e pequenas empresas beneficiadas pelo programa, quando de sua criação, assumiram o compromisso de preservar o número de funcionários e puderam utilizar os recursos para financiar a atividade empresarial, como investimentos e capital de giro para despesas operacionais.

Poderes

 O presidente Jair Bolsonaro decidiu vetar o projeto de lei que prorrogava o prazo final para entrega da declaração do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF) para o dia 31 de julho de 2021. Com o veto, está mantida a data de 31 de maio como prazo limite para prestação de contas com o Fisco. Em nota divulgada na quarta-feira, 5, a Secretaria Geral da Presidência da República diz que a proposta de mudança foi “vetada por causar um desequilíbrio do fluxo de recursos”. O veto foi uma recomendação feita pelo Ministério da Economia. O prazo original para envio das declarações, bem como o pagamento da primeira cota do imposto, era 30 de abril. Por causa da pandemia da covid-19, a Receita Federal já tinha adiado a data limite para 31 de maio. No ano passado, pela mesma razão, o governo ampliou o prazo para envio dos documentos de 30 de abril para 30 de junho.

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, será questionado nesta quinta-feira, 6, sobre o fato do Ministério da Saúde ter divulgado a compra de um número de doses de vacinas maior que o realmente contratado. Senadores que integram a CPI da Covid disseram que este será um dos principais questionamentos a Queiroga durante seu depoimento.

Justiça

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Marco Aurélio Mello classificou como um “arroubo de retórica” o discurso em que o presidente Jair Bolsonaro ameaçou editar um decreto contra as medidas restritivas adotadas por prefeitos e governadores. “Foi um arroubo de retórica. Vivemos em uma República, numa democracia em que, evidentemente, não se pode afastar do Judiciário. Foi um arroubo de retórica. Precisamos dar um desconto e não acirrar os ânimos”, afirmou o ministro.

Economia

Para conter a escalada mais recente da inflação no Brasil, o Banco Central elevou na quarta-feira, 5, a Selic (a taxa básica de juros), de 2,75% para 3,50% ao ano. Esse foi o segundo aumento consecutivo de 0,75 ponto porcentual, em um movimento iniciado em março deste ano. Ao anunciar a decisão, o BC também sinalizou a intenção de promover novo aumento no próximo mês, para 4,25% ao ano. A alta de juros ocorre apesar das dificuldades do Brasil para reativar a atividade econômica. Por trás da decisão do BC está o receio de que a inflação possa acelerar, em especial no próximo ano – que passou a ser a principal referência da instituição em sua decisão sobre os juros.

Agenda Econômica

🗓 AGENDA ECONÔMICA 🗓

🇬🇧 PMI composto e de serviço mensal (05h30)
🇪🇺 Variação das vendas no varejo mensal e anual (06h00)
🇬🇧 BoE – Decisão da taxa de juros (09h00) :star:
:us: Pedidos de seguro-desemprego semanal (09h30) :star:
🇧🇷 Tesouro Nacional – Leilão de títulos (10h30)
🇧🇷 Banco Central – Lucro líquido recorrente (18h00) :star:
Ibovespa e dólar no último pregão:

Ibovespa:  

Referência do mercado brasileiro, o índice encerrou o dia em alta de 1,58%, aos 119.564,44 pontos, na mínima o Ibovespa ficou em 117.733,86 e na máxima 119.293,42 pontos. O volume financeiro somou R$ 34,3 bilhões. O Ibovespa encerrou o pregão apoiado no avanço dos papéis da Petrobras e da Gerdau, em alta de quase 6% após divulgar resultado trimestral acima das expectativas do mercado.

Maiores altas do Ibovespa

GGBR4: +5,51% a R$ 34,45
GOAU4: +5,46% a R$ 15,45
BRKM5: +5,02% a R$ 52,09
USIM5: +4,47% a R$ 22,90
GOLL4: +4,40% a R$ 24,19

Maiores baixas do Ibovespa

RENT3: -1,82% a R$ 61,60
EMBR3: -1,26% a R$ 15,71
TAEE11: -1,18% a R$ 40,09
CPFE3: -0,80% a R$ 27,30
ENBR3: -0,80% a R$ 18,50

Dólar    

dólar comercial: encerrou em baixa de –1,21% sendo cotado a R$ 5,365 para venda e a R$ 5,364 para compra, o que levou o real ao topo dos ganhos entre as principais moedas. O movimento refletiu posicionamento do mercado em prol de um Banco Central mais duro com a inflação.

Ifix   

IFIX , o índice fechou em queda de 0,04%, aos 2.855,05 pontos. A mínima do dia para o índice foi de 2.853,99 pontos, enquanto a máxima bateu em 2.861,76 pontos. No acumulado de maio o IFIX registra queda de 0,21%, no ano cai 0,51%. A movimentação financeira foi de R$ 261,74 milhões.

Fonte: CNN, CNBC, Infomoney, TC, G1, Agência Brasil e BDM, estadão.

Deixe um comentário