O YouTube terá fundo de US$ 100 milhões para as pessoas que fizerem vídeos populares para o Shorts

LinkedIn

O YouTube anunciou na terça-feira (11) um fundo de US$ 100 milhões que vai pagar os criadores mais populares de seu competidor do TikTok, o Shorts.

“O Shorts Fund é apenas o primeiro passo em nossa jornada para construir um modelo de monetização de longo prazo para Shorts no YouTube”, disse a empresa em um blog. O YouTube acrescentou que o fundo será lançado nos próximos meses.

O fundo surge no momento em que o YouTube, de propriedade do Google, tenta aumentar sua base de usuários e criadores para seu produto de vídeo curto, que é a resposta da empresa aos primeiros concorrentes de mídia social móvel, como TikTok, Snap e Instagram’s Reels. O YouTube é o último a usar um fundo de criador designado para tentar cortejar influenciadores em sua plataforma móvel.

Em seu relatório de lucros do primeiro trimestre, a Alphabet (NASDAQ:GOOGL), controladora do Google, disse que o YouTube  gerou US$ 6,01 bilhões em receita de publicidade durante o trimestre. Isso representa um aumento de quase 50% em uma base ano a ano de US$ 4 bilhões.

O CEO da Alphabet (BOV:GOGL34), Sundar Pichai, disse na teleconferência sobre os lucros da empresa que Shorts está obtendo 6,5 bilhões de visualizações diárias em todo o mundo. A empresa se recusou a fornecer estatísticas mais recentes para bases de usuários globais e dos Estados Unidos. O YouTube lançou Shorts para todos os usuários dos EUA no início deste mês, após o lançamento em beta no início do ano.

A empresa disse que distribuirá o fundo criador de US$ 100 milhões a partir dos próximos meses e até 2022.

Qualquer pessoa é elegível para participar do fundo criando Shorts “únicos” que “encantam a comunidade do YouTube”, de acordo com a postagem do blog. O YouTube disse que alcançará milhares de criadores todos os meses que receberam mais engajamento e visualizações. Também pedirá a esses criadores que compartilhem feedback sobre a plataforma.

Um porta-voz da empresa se recusou a compartilhar detalhes sobre quanto os criadores podem ganhar, ou as métricas que determinarão quem receberá o pagamento, e disse que a empresa divulgará mais informações nos próximos meses.

O YouTube disse que os criadores qualificados não precisam fazer parte de seu Programa de Parcerias (Partner Program), o programa existente que permite que os criadores monetizem seus vídeos no YouTube.

Deixe um comentário