Petrobras assina contrato com Keppel Shipyard Limited para a construção da P-78

LinkedIn

A Petrobras assinou contrato com a empresa Keppel Shipyard Limited para a construção da P-78, que será a sétima unidade instalada no campo de Búzios, no pré-sal da Bacia de Santos.

O comunicado foi feito pela petroleira (BOV:PETR3) (BOV:PETR4) nesta segunda-feira (10). Confira o comunicado na íntegra.

A nova unidade, cuja entrega está prevista para 2024, terá capacidade de processamento de 180 mil barris de óleo/dia e 7,2 milhões de m³ de gás diários.

A P-78 será uma plataforma do tipo FPSO, ou seja, uma unidade flutuante que produz, armazena e transfere petróleo.

Segundo o comunicado da estatal, o contrato prevê atendimento ao conteúdo local de 25% com serviços a serem executados no Brasil por meio de parceria ou subcontratação de empresas nacionais.

O projeto prevê interligação de 13 poços ao FPSO, sendo 6 produtores e 7 injetores, através de uma infraestrutura submarina composta por dutos rígidos de produção e de injeção e dutos flexíveis de serviços.

Búzios

O campo de Búzios, descoberto em 2010, é o maior campo de petróleo em águas profundas do mundo. É um ativo de classe mundial, com reservas substanciais, baixo risco e baixo custo de extração.

Deve chegar ao final da década com a produção diária acima de 2 milhões de barris de óleo equivalente por dia, tornando-se o ativo da Petrobras com maior produção.

Atualmente, há quatro unidades em operação em Búzios que respondem por mais de 20% da produção total da Petrobras.

A quinta e sexta plataformas previstas para o campo (FPSOs Almirante Barroso e Almirante Tamandaré) estão em construção e a oitava e nona unidades (FPSOs P-79 e P-80) estão em processo de contratação.

A Petrobras pretende divulgar os resultados do 1T21 no dia 13 de maio

Lucro líquido de R$ 7,1 bilhões em 2020, queda de 82,3%

Petrobras registrou lucro de R$ 7,1 bilhões em 2020, queda de 82,3% em relação ao montante de 2019. A redução foi atribuída a alguns fatores como a queda de 35% do preço do petróleo, maiores perdas de valor de ativos, menores ganhos com desinvestimentos e desvalorização de 31% do dólar frente ao real.

O presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, afirmou em sua provável última Carta do Presidente na divulgação do resultado do exercício de 2020, que entregou a recuperação em “J” que havia prometido, e que a empresa teve um desempenho excepcional em 2020, apesar do ambiente desafiador da pandemia de covid-19.

Deixe um comentário