Raízen reafirma à CVM e à B3 interesse em IPO mas depende de aprovação dos acionistas e de outras condições

LinkedIn

A Raízen divulgou resposta a questionamento realizado pela Comissão de Valor Mobiliários e à B3, acerca do teor da notícia veiculada pelo jornal O Estado de São Paulo, em 5 de maio de 2021, sob o título “Raízen deve protocolar em junho maior IPO do ano”.

O comunicado foi feito pela empresa nesta quinta-feira (06). Veja o comunicado.

Na matéria, oi jornal diz que a “Raízen, joint venture da Cosan e Shell, se prepara para protocolar o pedido de oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) na CVM no começo de junho; a oferta ficará entre R$ 10 bilhões e R$ 13 bilhões e já atrai investidores estrangeiros que investem em seus controladores”.

A empresa argumentou que segue “analisando a viabilidade de uma possível listagem por meio de uma oferta pública inicial de ações e que, para tanto, tem a intenção de deixar todos os atos preparatórios finalizados para a realização da possível operação.

Mas “tal oferta, seus termos e condições, depende da aprovação final dos acionistas da Companhia, bem como de inúmeras condições de mercado alheias à sua vontade”.

A B3 pretende divulgar os resultados do 1T21 no dia 06 de maio.

Lucro líquido de R$ 4,2 bilhões em 2020, crescimento de 52,98%

A B3 registrou lucro líquido de R$ 4,2 bilhões em 2020, crescimento de 52,98% na comparação com o lucro de R$ 2,7 bilhões de 2019.

⇒ Confira a agenda completa da divulgação dos resultados do 4T20 e referente ao ano de 2020. Confira a cobertura completa de todos os balanços referente ao ano de 2020 das empresas negociadas na B3.

A receita da companhia fechou o ano passado em R$ 9,3 bilhões. O resultado representa crescimento de 41,83% ante a cifra de R$ 6,6 bilhões na comparação anual.

Deixe um comentário