Bom dia ADVFN - Variação do PIB trimestral no Brasil e volta do feriado nos EUA na agenda

LinkedIn

Esse é o Bom dia, Investidor!  01 de Junho de 2021, com tudo o que você precisa saber antes da Bolsa abrir!

Bolsas mundiais: as bolsas mundiais sobem após a divulgação de indicadores positivos sobre os Estados Unidos em maio.

Na Ásia, os mercados fecharam em sua maioria em altas, quando foi divulgado o índice PMI (Índice do Gerente de Compras) Caixin/Markit de manufatura da China, que marcou 52 pontos, acima da expectativa de uma leitura de 51,9 pontos de analistas ouvidos pela agência internacional de notícias Reuters. O índice de abril havia pontuado 51,9. O PMI oficial relativo a maio, divulgado na segunda, marcou 51 pontos, levemente abaixo dos 51,1 pontos esperados por analistas ouvidos pela Reuters. O índice Shanghai composto, da China continental, fechou com alta de 0,26% na terça, enquanto que o componente Shenzhen, também da China, subiu 0,25%. O Hang Seng Index, de Hong Kong, subiu 0,9%. O Nikkei, do Japão, recuou 0,16%, enquanto que o Kospi, da Coreia do Sul, fechou em alta de 56%. O indicador de ações da Ásia-Pacífico da MSCI subiu para o nível mais alto em mais de um mês, com o otimismo auxiliado por relatórios de sinalização de retomada da atividade econômica apesar do avanço da Covid em alguns países.

Na Europa, os índices europeus operam em alta. Na segunda-feira, as principais bolsas europeias fecharam em baixas, após uma sessão amena, marcada por feriados nacionais no Reino Unido e nos Estados Unidos e por dados sobre inflação na Alemanha e na Espanha. Nesta terça, o otimismo com a recuperação da economia da região contribui para que as bolsas europeias tenham altas, depois de acumularem em maio seu quarto mês consecutivo de ganhos. O índice PMI IHS Markit final de manufatura relativo a maio indicou que a atividade na Zona do Euro atingiu o patamar recorde de 63,1 pontos, frente a 62,9 pontos em abril, superando a estimativa inicial de 62,8 pontos. No Reino Unido, a atividade fabril subiu a 65,6 pontos em maio, frente a 60,9 pontos em abril, a alta mais acentuada desde o início do registro do indicador, e um sinal de ressurgência da indústria do país com novos pedidos. Nesta terça, o índice Eurostoxx, que reúne as ações de 600 empresas de todos os principais setores de 17 países europeus, sobe 0,9%, atingindo um novo patamar recordes. O setor de recursos básicos lidera os ganhos, com alta de 3,2%. Todos os setores e principais bolsas operam em território positivo. Na segunda, a Comissão Europeia, órgão executivo da União Europeia, propôs que turistas vacinados sejam eximidos de realizar medidas de testagem ou quarentena enquanto estiverem viajando entre países europeus. O movimento a favor do afrouxamento de restrições de viagens vem em meio ao avanço da vacinação no continente.

Nos Estados Unidosos índices futuros americanos têm leves altas no momento, com a reabertura das bolsas após um feriado. As últimas sessões de maio foram marcadas pela divulgação de indicadores positivos relativos ao mês.  Os investidores aguardam os principais dados dos EUA (payroll) na sexta-feira, para ajudar a avaliar os caminhos e a velocidade da recuperação. O petróleo dispara depois que a aliança OPEP + previu um novo aperto na oferta da commoditie. As commodities, do minério de ferro ao cobre, também aumentaram, um lembrete dos custos crescentes que estão alimentando preocupações sobre a inflação mais rápida e possíveis reduções nos estímulos.

==> Acompanhe os mercados mundiais pela ADVFN (aqui)

Os futuros internacionais de petróleo WTI (NYMEX:CLM21) estão sendo negociados a US$ 68,06, com alta de 2,62%. O Brent (NYMEX:BZ) opera em alta de 1,93%, negociado a US$ 70,66.

Bitcoin (COIN:BTCUSD) é negociado a US$ 36.213,66 (+0,21%). O ouro (COMEX:GCM21) é negociado a US$ 1.908,20 por onça-troy (+0,15%).

⇒ Bitcoin – Acompanhe o Mundo Cripto na ADVFN

Minério de ferro: Contratos futuros do minério de ferro negociados na bolsa de Dalian com alta de 7,29%, cotados a 1169,5 iuanes, equivalente hoje a US$ 183,33.

Coronavírus

A OMS rebatiza variantes da Covid-19. a variante B.1.1.7, previamente identificada no Reino Unido, foi denominada Alpha, B.1.351, identificada pela primeira vez na África do Sul, tornou-se Beta e a variante P.1, detectada no Brasil, Gamma. A OMS também deu dois nomes diferentes às subvariantes de B.1.617 que devastaram a Índia e se espalharam para outros países: B.1.617.2 foi chamado de Delta e B.1.617.1 de Kappa.

O mundo registra 170.475.816 de casos de coronavírus e 3.544.272 mortes, confirmadas pela Universidade Johns Hopkins.

Painel Vacinas Covid-19 Brasil:  Doses Distribuídas pela União: 96.954.279. Doses aplicadas: 62.957.371.

Brasil registrou 860 óbitos causados pela covid-19 na últimas 24 horas, de acordo com dados do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass). Com os registros, 462.791 vidas foram perdidas para a doença, com um total de 16.545.554 registros desde o início da pandemia.

O diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, afirmou que a decisão de aprovação da Organização Mundial da Saúde (OMS) sobre a vacina Coronavac deve sair esta semana, possivelmente entre dia  1º, e quarta-feira, 2. Segundo ele, os dados para a aprovação do imunizante já foram enviados e, portanto, o estudo realizado em Serrana (SP) não influencia a aprovação. “Ajudam, mas os dados já estão lá”, pontuou. Em coletiva de imprensa na segunda-feira, 31, no Instituto Butantan, Covas mostrou otimismo para a aprovação do imunizante. “Eu tenho certeza que a vacina será autorizada e poderá ser distribuída ao mundo inteiro”, afirmou. O diretor do Butantan ainda avaliou que, se a vacinação no País permanecer no ritmo atual, a previsão da imunização das duas doses das 50 milhões de pessoas de grupos prioritários previstas pelo Plano Nacional de Imunização (PNI) deve ser finalizada entre final de setembro e começo de outubro. Ele afirmou que lotes adicionais da vacina da Coronavac podem mudar a previsão, mas pondera que, até o atual momento, a previsão é para o final do ano.

Brasil

O governo vai endurecer “temporariamente” as regras de entrada no País de tripulações marítimas estrangeiras de qualquer nacionalidade por recomendação da Anvisa. A portaria editada pelo governo visa a impedir “o ingresso, por via aérea ou aquaviária, de tripulação marítima para exercício de funções específicas a bordo de embarcação ou plataforma em operação”. A portaria não delimita até quando essa proibição vai durar.

Poderes

A Fiocruz assina nesta terça-feira, 1º, o contrato de transferência tecnológica para a produção do Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA) da vacina da AstraZeneca no Brasil. Este passo é essencial para a autonomia do País na fabricação de vacinas contra a covid-19. Atualmente, o IFA necessário à produção do imunizante é importado da China, o que tem causado atrasos na produção. A presidente da Fiocruz, Nísia Trindade, e o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, vão participar da cerimônia de assinatura do contrato, em Brasília. De acordo com o site da presidência da República, o evento acontecerá às 17h e contará também com a presença do presidente Jair Bolsonaro.

O senador Flávio Bolsonaro se filiou na segunda-feira, 31, ao Patriota e indicou que o presidente Jair Bolsonaro, em campanha pela reeleição, seguirá o mesmo caminho. Embora o presidente não tenha anunciado seu novo partido, a filiação é dada como praticamente certa e já provocou racha interno.

A CPI da Pandemia ouve, nesta terça-feira, a médica Nise Yamaguchi. Ela será questionada sobre a defesa que faz em relação ao uso da cloroquina – medicamento sem eficácia comprovada para combater a Covid-19 – e ao tratamento precoce contra a doença.

Justiça

PGR pede ao STF abertura de inquérito contra o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles.

Economia

Apesar de, publicamente, estar em “campanha” pela aprovação da reforma administrativa, o ministro da Economia, Paulo Guedes, disse ao presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), que o presidente Jair Bolsonaro não quer a aprovação da proposta da reforma administrativa, que muda as regras para o funcionalismo público brasileiro, e não trabalhará por ela. Segundo apurou o Estadão/Broadcast, Guedes confidenciou a contrariedade de Bolsonaro a Pacheco em encontro na semana passada, o que motivou o presidente do Senado a questionar, publicamente, o comprometimento do governo com a reforma.

Agenda Econômica

:de: Variação nas vendas no varejo mensal e anual (03h00)

:de: PMI industrial mensal (04h55)
:de: Taxa de desemprego mensal (04h55)
🇪🇺 PMI industrial mensal (05h00)
🇬🇧 PMI industrial mensal (05h00)
🇪🇺 Índice de preços ao consumidor mensal e anual (06h00)
🇪🇺 Taxa de desemprego mensal (06h00)
🇧🇷 Índice IPC-S semanal (08h00)
🇧🇷 Variação do PIB trimestral (09h00):star:
🇧🇷 Índice de preços ao produtor mensal e anual (09h00)
🇧🇷 PMI industrial mensal (10h00)
:us: PMI industrial mensal (10h45)
:us: Variação de gastos com construção mensal (11h00)
:us: PMI ISM industrial mensal (11h00) :star:
:us: Índice ISM de emprego manufatureiro (11h00) :star:
:us: Índice de atividade industrial FED Dallas mensal (11h30)
🇧🇷 Balança comercial semanal (15h00)
🇧🇷 B3- Vencimento de opções sobre Índice Brasil-50 (17h00):star:
Ibovespa e dólar no último pregão:

Ibovespa:  

Referência do mercado brasileiro, o índice encerrou o dia em alta de 0,52% aos 126.215,73  pontos, na mínima o Ibovespa ficou em 125.539,68 e na máxima 126.101,86 pontos. O volume financeiro somou R$ 19,3 bilhões.

No último pregão de maio, o Ibovespa renovou as máximas e fechou impulsionado pelo avanço em papéis de siderúrgicas e empresas de energia em dia de Bolsas fechadas nos Estados Unidos pelo feriado do Memorial Day.

Entre os principais destaques do dia estão as ações Vale, Cosan e Eneva: a primeira acompanha a recuperação nos preços do minério de ferro no mercado internacional, enquanto as demais empresas de energia térmica foram impulsionadas pelo risco hídrico no contexto doméstico.

Maiores altas do Ibovespa

CSAN3: +6,61% a R$ 23,37
ENEV3: +4,59% a R$ 18,46
RADL3: +3,11% a R$ 28,18
VALE3: +2,86% a R$ 114,78
TOTS3: +2,74% a R$ 34,47

Maiores baixas do Ibovespa

BRKM5: -3,23% a R$ 50,07
EQTL3: -2,71% a R$ 24,73
IGTA3: -2,61% a R$ 43,25
SBSP3: -2,08% a R$ 39,13
ENGI11: -1,59% a R$ 46,47

Dólar    

dólar comercial: encerrou a segunda-feira em alta de 0,25% sendo cotado a R$ 5,225 para venda e a R$ 5,224 para compra, na reta final dos negócios, o dólar voltou a oscilar sem direção única frente ao real em sessão esvaziada de notícias, de indicadores e de poucos negócios em meio ao feriado nos Estados Unidos e no Reino Unido, o que resulta em liquidez reduzida.

Mais cedo, o pregão foi marcado pela disputa da taxa Ptax de fim de mês no mercado doméstico, o que provocou forte volatilidade na taxa de câmbio na primeira parte dos negócios. Com isso, a moeda caminha para encerrar em queda pelo segundo mês seguido, de pelo menos 3,5%.

Juros

No mercado de juros futuros, o DI para janeiro de 2022 subiu três pontos-base a 5,07%, o DI para janeiro de 2023 teve alta de oito pontos-base a 6,69%, o DI para janeiro de 2025 avançou seis pontos-base a 7,89% e o DI para janeiro de 2027 registrou variação positiva de três pontos-base a 8,49%.

 

Fonte: CNN, CNBC, Infomoney, TC, G1, Agência Brasil e BDM, estadão.

Deixe um comentário