Clubes de futebol da Série A do Campeonato Brasileiro vão lançar criptomoedas em parceria com a startup Liqi

LinkedIn

O futebol brasileiro deve expandir em breve sua atuação no mercado de criptomoedas com o lançamento de criptomoedas oficiais de dois clubes da Série A do Campeonato Brasileiro em parceria com a startup Liqi.

A parceria da Liqi, que é de propriedade de Daniel Coquieri, CEO da exchange brasileira BitcoinToYou, deve ser acertada com dois clubes do Nordeste, com nomes ainda não revelados.

A Liqi anunciou recentemente o lançamento da criptomoeda oficial do Cruzeiro, que atualmente joga a Série B do Brasileirão. O Cruzeiro Token segue os mesmos moldes da iniciativa do Vasco da Gama com a exchange cripto Mercado Bitcoin, com as criptomoedas lastreadas no mecanismo de solidariedade da FIFA, que destina uma parte da transação de jogadores aos clubes formadores.

Segundo Coquieri disse ao BeInCrypto, as iniciativas de Vasco e Cruzeiro abriram caminhos para as criptomoedas no meio esportivo:

“Iniciativas como a do Vasco e a nossa do Cruzeiro começam a abrir a cabeça do dirigente e da gestão do clube para novas formas de acesso a capital.”

Quatro times do Nordeste jogam a atual temporada da Série A do Campeonato Brasileiro: Bahia, Ceará, Fortaleza e Sport. Os tokens lastreados no mecanismo de solidariedade da FIFA buscam antecipar o recebimento sobre os direitos sobre jogadores formados nos clubes. Os donos dos tokens também recolhem parte dos recebimentos sempre que os jogadores envolvidos são envolvidos em negociações internacionais.

Coquieri também destaca que a tokenização poderá no futuro atingir outras receitas dos clubes do futebol, como cotas de TV, patrocínio de TV e mensalidades de sócio-torcedor.

No caso do Cruzeiro Token, também da Liqi, a iniciativa já arrecadou R$ 700 mil em uma semana, com meta final de R$ 6 milhões.

Outros clubes também têm iniciativas importantes no mercado de criptomoedas. O Atlético Mineiro entrou para o mercado de tokens não fungíveis com o licenciamento de seus jogadores para a plataforma de fantasy game Sorare, arrecadando mais de R$ 1 milhão, leiloou uma obra de arte em NFT baseada na defesa histórica do goleiro Victor na Libertadores de 2013 e agora vai lançar uma série de camisas históricas digitais na aguardada plataforma NFT da Binance.

Já o Flamengo firmou uma parceria com a empresa blockchain brasileira MOSS, que é dona do token MCO2, lastreado em tokens de carbono. A MOSS estampa os uniformes profissionais de basquete e futebol do Flamengo e vai compensar toda a emissão de carbono do clube através do MCO2.

Por Lucas Caram

Deixe um comentário