Confira a agenda econômica da semana (14 a 18 de junho): FOMC, Copom - Taxa Selic, IGP-10…

LinkedIn

A agenda da próxima semana será marcada pela Superquarta, com as decisões de política monetária do Federal Reserve nos EUA e do Comitê de Política Monetária no Brasil. Mas haverá também decisões de juros na China e no Japão, dados de atividade e inflação e os vencimentos dos mercados de opções e futuros no Brasil e nos Estados Unidos. O principal evento será a reunião do FOMC, que deve manter os juros e as recompras de títulos, mas poderá dar alguma indicação de início da discussão sobre a retirada dos estímulos.

A expectativa de alguma sinalização do FOMC aumenta depois dos dados mais fortes de inflação e de declarações de alguns diretores de que é melhor começar a discutir a retirada dos estímulos mais cedo do que tarde. Além disso, o Fed deverá divulgar na quarta-feira a revisão quadrimestral de suas projeções para atividade, emprego, inflação e juros no chamado Dot Plots, e que devem ser influenciadas pelos dados mais recentes de melhora da economia com o avanço da vacinação e pela alta dos preços.

Também o recado do comunicado do Copom, que vai indicar se o ritmo de alta dos juros seguirá em 0,75 ponto e, mais que isso, se o ajuste dos juros será parcial, ou seja, se a Selic vai parar em uma taxa estimulativa para a economia, abaixo da neutra, em torno de 6%. Com a aceleração da inflação do IPCA, dos IGPs e nas expectativas do mercado, e a recuperação da economia, cresce a aposta que o BC vai ter de levar o juro para a taxa neutra, mais perto de 7,0%.

Segunda-feira (14/06/2021)

Na segunda-feira, o Índice de Atividade do BC de abril consolidando os números da indústria, varejo e serviços do IBGE deve reforçar as expectativas de que o crescimento econômico segue sustentado. No mesmo dia, sai a Produção Industrial do euro de abril.

China- Feriado do festival do Banco-Dragão
🇯🇵 Produção industrial mensal e anual (01h30)
🇪🇺 Produção industrial mensal e anual (06h00)
🇧🇷 Relatório Boletim Focus (08h25) ⭐️
🇧🇷 Índice de atividade do IBC-BR BC anual e mensal (09h00)⭐️
🇧🇷 Balança comercial semanal (15h00)

Terça-feira (15/06/2021)

Na terça-feira, as vendas no Varejo, Produção Industrial e preços ao produtor, o PPI, todos de maio, nos Estados Unidos se destacam. Na China, à noite, tem produção industrial, taxa de desemprego e vendas no varejo do mês passado.

🇩🇪 Índice de preço ao consumidor mensal e anual (03h00)
🇬🇧 Taxa de desemprego mensal (03h00)
🇪🇺 Balança comercial mensal (06h00)
🇺🇸 Índice de preços ao produtor mensal (09h30)
🇺🇸 Vendas no varejo anual e mensal (09h30) ⭐️
🇺🇸 Produção industrial mensal e anual (10h15)
🇺🇸 Índice do mercado imobiliário residencial NAHB mensal (11h00)
🇧🇷 BC – Primeira dia da reunião do Copom – parte 1 (11h00)⭐️
🇧🇷 BC – Primeira dia da reunião do Copom – parte 2 (14h00)⭐️
🇺🇸 Variação no estoque de petróleo EIA semanal (17h30)
🇯🇵 Balança comercial mensal (20h50)
🇨🇳 Taxa de desemprego mensal (23h00)
🇨🇳 Produção industrial mensal e anual (23h00) ⭐️

Quarta-feira (16/06/2021)

A quarta-feira, é o dia mais esperado da semana, os investidores estarão de olho nas declarações do presidente Jerome Powell dos Estados Unidos e na divulgação da Taxa Fed Funds, no Brasil o IGP-10 de junho e a decisão do Banco Central sobre a taxa Selic são os mais aguardados.

🇬🇧 Índice de preços ao consumidor mensal e anual (03h00)
🇧🇷 Índice IGP-10 mensal (08h00) ⭐️
🇧🇷 Índice IPC-S semanal (08h00)
🇺🇸 Variação no preço de bens importados e exportados mensal (09h30)
🇺🇸 Variação no estoque de petróleo EIA semanal (11h30) ⭐️
🇺🇸 Construções de casas novas mensal (09h30)
🇺🇸 Variação no estoque de petróleo EIA semanal (11h30) ⭐️
🇧🇷 Fluxo cambial mensal (14h30)
🇺🇸 Federal Reserve – Taxa Fed Funds (15h00) ⭐️
🇺🇸 Federal Reserve – Discurso do presidente Jerome Powell (15h30) ⭐️
🇧🇷 BC – Decisão da taxa Selic (18h30) ⭐️

Quinta-feira (17/06/2021)

Na quinta-feira, é esperado a inflação ao consumidor, o CPI da Zona do Euro de maio, os pedidos semanais de seguro-desemprego e os indicadores nos EUA.

🇧🇷 índice IPC-Fipe (05h00)
🇪🇺 Índice de preços ao consumidor mensal e anual (06h00)
🇺🇸 Pedidos de seguro-desemprego semanal (09h30) ⭐️
🇺🇸 Índice de atividade industrial do FED de Filadélfia mensal (09h30)
🇯🇵 Índice de preços ao consumidor mensal e anual (20h30)

Sexta-feira (18/06/2021)

Na sexta-feira, a segunda prévia do IGP-M de junho e os preços ao produtor na Alemanha de maio estão em destaque.

🇯🇵 Banco do Japão – decisão de taxa de juros (00h00)
🇩🇪 Índice de preços ao produtor mensal e anual (03h00)
🇬🇧 Núcleo de vendas no varejo mensal e anual (03h00)
🇪🇺 Saldo da conta corrente mensal (05h00)
🇧🇷 B3 – Vencimento de opções sobre ações (09h00)
🇺🇸 Pesquisa de negócios U. de Michigan mensal (11h00)
🇺🇸 Contagem de Sondas Baker Hughes (15h00)

Resumo do que passou…

⭐️ –  Confira tudo que aconteceu dia a dia no melhor resumo diário dos indicadores econômicos do Brasil e do mundo

Brasil

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) foi de 0,83% em maio, 0,52 ponto percentual (p.p.) acima da taxa de abril (0,31%). Foi o maior resultado para um mês de maio desde 1996 (1,22%). O acumulado no ano foi de 3,22%, e o dos últimos 12 meses, de 8,06%, acima dos 6,76% registrados nos 12 meses imediatamente anteriores. Em maio de 2020, a taxa havia sido -0,38%.

O Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI) subiu 3,40% em maio, percentual superior ao apurado no mês anterior, quando havia registrado taxa de 2,22%. Com este resultado, o índice acumula alta de 14,13% no ano e de 36,53% em 12 meses. Em maio de 2020, o índice havia variado 1,07% e acumulava elevação de 6,81% em 12 meses.

Também o  volume de serviços cresceu 0,7% na passagem de março para abril, segundo a Pesquisa Mensal de Serviços (PMS) divulgada, hoje (11), pelo IBGE. Com isso, o setor recuperou uma pequena parte da queda registrada em março (-3,1%), mas ainda está 1,5% abaixo do patamar de fevereiro do ano passado, período pré-pandemia.

O Brasil teve superávit comercial de US$ 2,425 bilhões na semana encerrada em 6 de junho, resultado de US$ 4,847 bilhões em exportações e de US$ 2,422 bilhões em importações o que representa médias diárias de, respectivamente, US$ 1,6158 bilhão e US$ 807,4 milhões, de acordo com dados divulgados pelo Ministério da Economia.

Estados Unidos

O índice de confiança do consumidor dos Estados Unidos, medido pela Universidade de Michigan e pela Thomson Reuters, subiu para 86,4 pontos em junho, depois dos 82,9 pontos de maio, de acordo com dados preliminares. Analistas esperavam 84,4 pontos.

Enquanto ao  índice de Preços ao Consumidor (CPI, na sigla em inglês) subiu 0,6% em maio na comparação com o mês anterior, já descontados os fatores sazonais, segundo dados do Departamento de Trabalho do país. Analistas previam alta de 0,5%.

Já o  número de pedidos de auxílio-desemprego nos Estados Unidos caiu 9 mil na semana encerrada em 5 de junho, a 376 mil, segundo dados com ajustes sazonais publicados nesta quinta-feira (10) pelo Departamento do Trabalho americano.

Também se destacou o déficit da balança comercial dos Estados Unidos recuou de uma máxima recorde em abril em meio à queda nas importações, mas a melhora provavelmente foi temporária uma vez que a demanda interna permanece robusta.

Zona do Euro

Na Zona do Euro, o Banco Central Europeu (BCE) manteve suas principais taxas de juros e seu programa de compra de ativos inalterado, citando que o ritmo de compras no próximo trimestre será mantido mais elevado do que nos primeiros meses do ano e que ele pode ser recalibrado se necessário.

O banco manteve o programa de compra de emergência pandêmica (PEPP, na sigla em inglês) de US$ 1,850 trilhão de euros, com duração até março de 2022 ou até que o BCE “julgue que a fase de crise do novo coronavírus terminou”, segundo comunicado.

O Produto Interno Bruto (PIB) da zona do euro no segundo trimestre caiu 0,3% na comparação com os três meses anteriores e recuou 1,3% em relação ao primeiro trimestre de 2020, segundo dados da leitura final publicada pela agência de estatísticas Eurostat.

E o índice de confiança dos analistas financeiros e investidores na economia da zona do euro caiu 2,7 pontos em junho ante o mês anterior, marcando 81,3 pontos, segundo dados divulgados pelo instituto de pesquisas Zentrum für Europaische Wirtschaftsforschung (Zew).

China

A balança comercial da China registrou superávit de US$ 45,53 bilhões em maio, após o saldo positivo de US$ 42,85 bilhões em abril, segundo dados da Administração Geral das Alfândegas do país. Os analistas esperavam superávit de US$ 47,9 bilhões.

As exportações da China subiram 27,9% em maio em base anual, após a alta de 32,3% de abril. Analistas esperavam avanço de 32,3% nas exportações.

Por sua vez, as importações chinesas subiram 51,1% em maio na comparação com o mesmo mês de 2020, após a alta de 43,1% em abril. A previsão era de alta de 53,0%.

(Com informações do TC, Estadão e ADVFN)

Deixe um comentário