Gigante indiana de TI, Tech Mahindra, se associa com sistema de blockchain para rastreamento de vacinas

LinkedIn

À medida que os programas de vacinação em massa contra a COVID-19 se tornam cada vez mais críticos para as estratégias de muitos governos para o gerenciamento de pandemia, as empresas de blockchain estão agindo rapidamente para propor maneiras pelas quais a tecnologia poderia oferecer soluções para alguns dos obstáculos logísticos envolvidos.

A empresa de blockchain, StaTwig – formada pelo Fundo de Inovação da UNICEF – já estava testando sua solução baseada em blockchain, VaccineLedger, em 2019, na Índia e nos Estados Unidos. Avançando para 2021 e para a campanha de vacinação global contra COVI-19, a empresa agora fez parceria com a gigante indiana de TI Tech Mahindra para lançar a solução em todo o mundo.

A VaccineLedger está focado em melhorar a transparência das cadeias de abastecimento de vacinas no nível de frascos, com o objetivo de prever e prevenir problemas como expiração de estoque, falsificação, controle de qualidade e disponibilidade. Poucos dias depois de uma tentativa de troca de vacina entre Israel e o Reino Unido fracassar – resultando no desperdício iminente de 1 milhão de doses da Pfizer – a necessidade de tal solução é mais evidente do que nunca.

A solução da StaTwig suporta a integração de contratos inteligentes e tecnologias IoT para detectar produtos que estão prestes a expirar e garantir o controle de temperatura para unidades sensíveis. Em parceria com a Tech Mahindra, a StaTwig aproveitará a experiência da empresa em escala de recursos e integração de sistema para oferecer suporte à implementação da solução em todo o mundo.

Além disso, ambas as empresas desenvolveram em conjunto vários módulos de segurança corporativa para o aplicativo móvel e web da solução, projetados para atender aos diversos requisitos de fabricantes e governos em diferentes jurisdições.

Os desafios enfrentados por vários países permanecem desiguais: nos Estados Unidos, milhões de doses da vacina contra a COVID-19 correm o risco de expirar neste verão devido à hesitação de vacinação em muitos estados. A maioria dos países do Sul Global enfrenta um problema ainda mais crítico – a falta de vacinas. Enquanto os países do Norte Global respondem por 85% das vacinas administradas em todo o mundo, os países de renda mais baixa respondem atualmente por apenas 0,3% das doses de vacinas administradas até o momento.

Embora uma solução de contabilidade eficiente e globalmente integrada não consiga superar a desigualdade da vacina, cujas raízes são políticas, ela pode ter como objetivo ajudar os atores globais a mitigar os piores efeitos do desperdício, da burocracia e dos atrasos na entrega devido a ineficiências logísticas. Em áreas onde as vacinas permanecem escassas, esses ganhos de eficiência podem ajudar a garantir que o pouco que está disponível seja usado de forma rápida e máxima. Rajesh Dhuddu, da Tech Mahindra, esclareceu o escopo e os objetivos do produto, declarando:

“O desperdício de medicamentos que salvam vidas, como vacinas, deve ser tratado com prioridade e precisamos nos unir para encontrar uma solução eficaz aqui. Nossa parceria estratégica com a StaTwig fornecerá aos participantes da cadeia de suprimentos um único aplicativo para aprimorar a rastreabilidade e a cadeia de custódia. Isso não apenas garantirá a segurança e a validade do fornecimento da vacina, mas também ajudará na adesão a requisitos regulatórios complexos, estabelecidos pela Autoridade de Administração de Medicamentos em qualquer país.”

O Serviço Nacional de Saúde do Reino Unido já usou, em escala limitada, um sistema baseado na Hedera Hashgraph para monitorar o armazenamento refrigerado de vacinas. Enquanto isso, tecnologias de blockchain estão sendo usadas para gerenciar registros de vacinação e passaportes de saúde digitais.

Por Marie Huillet

Deixe um comentário