Airbnb afirma que planeja abrigar temporariamente 20.000 refugiados afegãos

LinkedIn

Airbnb (NASDAQ:ABNB) planeja começar a abrigar 20.000 refugiados afegãos em todo o mundo gratuitamente, disse o CEO da empresa, Brian Chesky, na terça-feira (24).

Os refugiados serão alojados em propriedades listadas na plataforma do Airbnb e as estadias serão custeadas pelo Airbnb, disse Chesky no Twitter, sem especificar exatamente quanto a empresa planeja gastar no compromisso ou por quanto tempo os refugiados ficarão hospedados.

Brian cheeky

Os EUA disseram na segunda-feira que evacuaram cerca de 48 mil pessoas do Afeganistão nos últimos dias, enquanto milhares ainda estão tentando escapar, temendo represálias dos militantes do Taliban agora no poder.

O principal ponto de saída é o aeroporto de Cabul, onde grandes multidões se aglomeram. O Taliban definiu um prazo de transporte aéreo até 31 de agosto e há preocupações de que muitos que querem deixar o país não possam.

“O deslocamento e reassentamento de refugiados afegãos nos Estados Unidos e em outros lugares é uma das maiores crises humanitárias de nosso tempo”, disse Chesky. “Sentimos a responsabilidade de dar um passo à frente”.

Ele acrescentou: “Espero que isso inspire outros líderes empresariais a fazer o mesmo. Não há tempo a perder”.

Chesky exortou os anfitriões do Airbnb a “entrar em contato” com ele se quiserem hospedar uma família de refugiados e prometeu colocá-los em contato com as pessoas certas na empresa.

Empresas de todas as formas e tamanhos correm para mostrar seu apoio às vítimas em tempos de uma grande crise; é uma oportunidade de ser caridoso e impulsionar as relações públicas no processo.

O Airbnb, avaliada em cerca de US$ 92 bilhões, costuma se oferecer para cobrir o custo de hospedagem em emergências. Diz que 75.000 pessoas encontraram um lugar para ficar em um momento de crise desde 2012.

O Airbnb também é negociado na B3 através da BDR (BOV:AIRB34).

(Com CNBC)

Deixe um comentário