Nem Bitcoin, nem Cardano, nem Solana: Trader aponta qual será a próxima criptomoeda a subir mais de 100%

LinkedIn

Depois da alta de mais de 30% no preço do Bitcoin (BTC) e dos mais de 70% no valor da Cardano (ADA) e Solana (SOL) os analistas estão atentos aos gráficos para apontar qual a próxima criptomoeda deve subir acima de 50%.

Assim, em um novo vídeo do YouTube, o trader e analista do mercado de criptomoedas Lark Davis afirma que a plataforma de contrato inteligente Terra (LUNA) é o grande candidato para uma próxima etapa de alta no mercado.

Lark diz que a plataforma percorreu um longo caminho de valorização simplesmente por permanecer focada em aplicativos altamente desejáveis e que ainda estão em seu começo, sinalizando que um maior desenvolvimento deve ser seguido por uma alta nos preços.

“O importante é construir coisas que as pessoas queiram, e é isso que o Terra conseguiu fazer. Na verdade, é muito, muito impressionante porque o ativo do Terra, o LUNA … está subindo posições no ranking de capitalização de mercado, com realmente apenas três aplicações em todo o blockchain. ”

Os três aplicativos aos quais Davis se refere são o protocolo de empréstimo de criptomoedas ANCHOR (ANC), o protocolo da plataforma de negociação de ações sintéticas Mirror (MIR) e o aplicativo de pagamentos móveis Chai.

Atualizações

Davis também destaca que uma característica única do protocolo é sua stablecoin nativa com indexação algorítmica, chamada UST. O recurso requer que tokens LUNA sejam eliminados do suprimento quando um novo UST é criado.

“O que acontece quando temos dezenas de aplicativos rodando na blockchain da LUNA, todos esses protocolos DeFi que estão ávidos por negociar no mercado eles vão precisar da stablecoin UST, e, quando isso ocorre, as pessoas estão queimando LUNA para obter mais UST.”, disse.

Com este protocolo o LUNA, de certa forma, imita a atualização ativada pelo hard fork Londres no Ethereum (ETH) que usa parte das taxas para queimar ETH.

Ainda segundo o trader isso é só o começo para o LUNA tendo em vista que a equipe de desenvolvimento do projeto já anunciou novas atualizações que devem tornar o protocolo ainda mais robusto e interconectado.

Davis conclui sua tese otimista cobrindo a próxima atualização do ecossistema Terra, apelidada de “Columbus 5″, que trará mais um sistema de queima para os tokens LUNA, uma recompensa maior para os holders que mantém seus ativos em stake entre outros.

Além disso a LUNA está trabalhando uma um integração, via interoperabilidade, para conectar seu protocolo com o Ethereum, Solana e Binance Smart Chain (BSC) como fez a Linear em sua exchange descentralizada (DEX).

“Assim que os desenvolvimentos forem sendo anunciados o token LUNA deve subir ainda mais visto que pode ser o primeiro protocolo realmente interoperável e com isso inaugurar uma nova era para as blockchains públicas”, disse.

Por Cassio Gusson

Deixe um comentário