El Salvador comprou US$ 21 milhões em bitcoin ao se tornar o primeiro país a torná-lo uma moeda legal

LinkedIn

El Salvador comprou cerca de US$ 20,9 milhões em bitcoin um dia antes de adotar formalmente a criptomoeda mais popular do mundo como moeda legal.

Em uma série de tweets na segunda-feira (6), o presidente Nayib Bukele revelou que o país comprou um total de 400 bitcoins, o primeiro passo em um impulso maior para adicionar a moeda digital ao seu balanço patrimonial.

Os tweets foram postados com algumas horas de intervalo. Com base no preço do bitcoin na época dos tweets, o valor da moeda digital adquirida totalizou cerca de US$ 20,9 milhões.

“Nossos corretores comprarão muito mais conforme o prazo se aproxima” , escreveu ele.

O preço do bitcoin subiu após os tweets e estava sendo negociado em torno de US$ 52.681,85 às 1h16 (horário de Brasília) de terça-feira (7).

As postagens chegaram horas antes da lei do bitcoin de El Salvador, que foi aprovada em junho, entrar em vigor na terça-feira. El Salvador é o primeiro país a aceitar o bitcoin como moeda legal, que funcionará ao lado do dólar americano. Proponentes e críticos em todo o mundo estarão observando para ver como esse experimento sem precedentes se desenrola.

O anúncio de Bukele é um marco importante para o bitcoin. El Salvador é agora o primeiro país a colocar oficialmente o bitcoin em seu balanço patrimonial e mantê-lo em suas reservas.

Mas a política atraiu críticas em todo o país. Quase 70% dos salvadorenhos pesquisados ​​pela Universidade Centro-Americana discordaram da decisão do governo de adotar o bitcoin como moeda corrente. Muitos também não tinham certeza de como usar a moeda digital.

Apoiadores da medida de El Salvador dizem que ela indica uma aceitação crescente do bitcoin e que outros países podem acompanhá-la. O governo salvadorenho espera impulsionar a inclusão financeira em um país onde cerca de 70% dos cidadãos não têm acesso aos serviços financeiros tradicionais, de acordo com a lei do bitcoin.

As remessas, ou o dinheiro enviado para casa pelos migrantes, também são importantes para a economia, respondendo por mais de 24% do produto interno bruto de El Salvador, de acordo com o Banco Mundial.

A legislação permite que os preços sejam exibidos em bitcoin, as contribuições fiscais sejam pagas com a moeda digital e as trocas em bitcoin não estarão sujeitas ao imposto sobre ganhos de capital.

El Salvador lançou um aplicativo de carteira chamado Chivo, no qual os cidadãos podem se inscrever com uma identidade nacional para fazer transações usando bitcoin. Os usuários receberão US$ 30 em bitcoins quando se inscreverem para acelerar a adoção.

Na última terça-feira, o Congresso em El Salvador aprovou uma lei para criar um fundo de US$ 150 milhões para ajudar a facilitar as conversões de bitcoin para dólares americanos.

Mas o bitcoin às vezes é conhecido por sua grande volatilidade, o que levanta preocupações sobre sua eficácia como moeda.

“O bitcoin não foi realmente projetado para ser um meio de troca, então este é um experimento inicial para a moeda”, disse Philip Gradwell, economista-chefe da plataforma de dados Chainalysis.

“Eu acho que o principal uso em El Salvador será realmente em torno de remessas e pessoas usando-o para economizar alguma riqueza e, na verdade, talvez apenas para competir com o dólar no país”.

Deixe um comentário