Mercados mundiais reagem à decisão do Federal Reserve dos EUA

LinkedIn

ÁSIA: As principais bolsas asiáticas fecharam em alta nesta quinta-feira depois que o Federal Reserve dos EUA anunciou que começará a reduzir o ritmo de suas compras de títulos no final de novembro.

O Nikkei do Japão fechou em alta de 0,93%, em 29.794,37 pontos enquanto o índice Topix avançou 1,18%, para 2.055,56 pontos.

O Kospi da Coreia do Sul subiu 0,25% no dia, para 2.983,22 pontos.

Na China continental, o composto de Xangai terminou o pregão em alta de 0,81%, em cerca de 3.526,87 pontos, enquanto o Shenzhen Component saltou 1,31% para 14.555,27 pontos. O índice Hang Seng de Hong Kong subiu cerca de 0,80%, em 25225.19 pontos.

Na Austrália, o S & P / ASX 200 subiu 0,48%, fechando em 7.428,00 pontos, apesar do recuo das ações de energia após queda nos preços do petróleo. Woodside Petroleum terminou 2,7% menor, Santos caiu 3% e Oil Search caiu 2,8%. Entre as mineradoras, BHP subiu 0,8%, mas Fortescue Metals e Rio Tinto caíram 1,1% e 1,3%, respectivamente.

O índice MSCI para a Ásia-Pacífico exceto Japão subiu 0,31%.

Os mercados em Cingapura, Malásia e Índia fecharam por conta de feriados.

EUROPA: As bolsas europeias sobem nesta quinta-feira, com os investidores europeus tendo a oportunidade de reagir ao anúncio do Federal Reserve dos EUA de que começará a reduzir seu programa de compra de títulos.

O pan-europeu Stoxx 600 adiciona 0,40% nas negociações do fim da manhã.

O alemão DAX 30 sobe 0,26%, o francês CAC 40 avança 0,39% e o FTSE MIB da Itália avança 0,33%. Na Península Ibérica, o IBEX 35 da Espanha avança 0,35% e o PSI 20 de Portugal cai 1,62%.

Em Londres, o FTSE 100 sobe 0,32%. Entre as mineradoras listadas na LSE, Anglo American cai 0,5%, Rio Tinto recua 0,3%, enquanto Antofagasta sobe 0,1% e BHP avança 0,5%. As produtoras de petróleo BP e Royal Dutch Shell sobem 0,9% e 1,3%, respectivamente.

Os investidores seguem de olho na decisão do Comitê de Política Monetária do Banco da Inglaterra nesta quinta-feira. O banco decidirá se puxará o gatilho para aumentar as taxas de juros. Os legisladores tem insinuado que um aumento é iminente, mas o MPC que é composto por nove membros determinará hoje se aperta a política nesta semana ou espera até sua reunião de meados de dezembro, à luz da persistente alta da inflação. Os mercados estão incertos sobre o momento, com analistas sugerindo que a votação provavelmente será apertada. Alguns formuladores de políticas do BOE, como o governador Andrew Bailey e Michael Saunders, sugeriram que poderiam recuar imediatamente, enquanto outros pareciam mais relutantes.

A Berenberg destacou na terça-feira, que os mercados precificam uma probabilidade de 64% de um aumento de 15 pontos-base na taxa nesta semana, embora sua equipe considere a primeira alta em dezembro “um pouco” mais provável, mas uma mudança nesta semana não seria uma surpresa.

EUA: Os futuros dos índices de ações dos EUA operam entre pequena altas e baixas nas negociações da manhã de quinta-feira, depois que as principais índices fecharam em recordes, após o Federal Reserve dizer que o banco central começará a desacelerar seu programa de compra de títulos.

Durante as negociações regulares de quarta-feira, o Dow Jones ganhou 104,9 pontos alta de 0,29%, sua quinta sessão positiva consecutiva, registrando o seu 51º recorde intradiário do ano e o 42º fechamento recorde de 2021. O S&P 500 também registrou seu quinto dia consecutivo de ganhos, avançando 0,65%, em 4.660,57 pontos. O índice atingiu sua 74ª alta intradiária e 61º fechamento recorde do ano. O Nasdaq Composite ganhou 1,04%, fechando em 15.811,60 pontos e está em sua sequência de altas diárias mais longa desde junho de 2020, após oito dias consecutivos de ganhos. O índice de alta tecnologia atingiu seu 41º recorde de alta e fechou na quarta-feira.

O Federal Reserve disse que começará a reduzir o ritmo de seu programa mensal de compra de títulos, que foi implementado no início da pandemia, “no final deste mês”. O ritmo de compras desacelerará em US $ 15 bilhões por mês, o que significa que a flexibilização quantitativa deve terminar em junho de 2022. Nesse ponto, o Fed poderá começar a elevar sua taxa de juros de curto prazo, que afeta muitos empréstimos para consumidores e empresas. O Banco Central disse que pode alterar a taxa de redução das compras de títulos, que tem sido destinadas para segurar as taxas de longo prazo e estimular empréstimos e gastos. O anúncio do Fed ficou em linha com o que economistas e mercados esperavam à medida que o banco central se move para combater a inflação.

Na sequência, o Presidente do Fed, Jerome Powell também procurou acalmar os nervos sobre a inflação e o crescimento econômico e reafirmou que o banco central continuaria observando os dados do mercado de trabalho de perto à medida que o afunilamento começasse. Isso colocará os holofotes nos dados iniciais de seguro-desemprego nesta quinta-feira, antes do relatório de empregos dos EUA na sexta-feira.

Na agenda desta quinta-feira, o pedido de seguro-desemprego sairá às 9h30, com economistas prevendo que haverá 275.000 pedidos de indenização pela primeira vez, de acordo com estimativas da Dow Jones. Na semana passada 281.000 desempregados solicitaram o benefício, o menor desde o início da pandemia. No mesmo horário, sairá a balança comercial, o Prelim Nonfarm Productivity, que mede a produtividade da mão-de-obra da economia norte-americana, excluída a agropecuária e o Prelim Unit Labor Costs que mede a variação no custo total do emprego.

O importante relatório de empregos de outubro sairá na sexta-feira. As estimativas de consenso apontam para 450.000 empregos adicionados, de acordo com a Dow Jones. O Payrolls aumentaram em 194.000 em setembro, muito aquém da estimativa de 500.000.

A temporada de relatórios de balanços segue nesta quinta-feira. Antes do sino de abertura, Toyota Motors, Regeneron Pharmaceuticals e Kellogg estão entre as empresas que publicarão suas atualizações trimestrais. Após o sino de fechamento, Dropbox, Expedia, Airbnb, Shake Shake, Square e Uber entre outras, estão no radar.

No mercado cripto, o Bitcoin cai 1,84%, em US $ 61.837,16, o Ethereum cai 2,34% para US $ 4.522,77, Litecoin cai 2,74%, mas XRP sobe 0,79%.

ÍNDICES FUTUROS – 7h20:
Dow: -0,09%
SP500: +0,05%
NASDAQ100: +0,36%

COMMODITIES:
MinFe Dailan: +0,34%
Brent: +1,46%
WTI: +1,16%
Soja: -0,20%
Ouro: +0,72%

OBSERVAÇÃO: Este material é um trabalho voluntário, independente, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado, enquanto a europeia e a americana estão no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados. O texto não é indicação de compra, manutenção ou venda de ativos.

Deixe um comentário