Minerva (BEEF3): lucro líquido de R$ 72,4 milhões, avanço de 24%

LinkedIn

Minerva registrou um lucro líquido de R$ 72,4 milhões no terceiro trimestre desse ano, o que corresponde a um avanço de 24% em comparação com o ganho apurado um ano antes.

A receita líquida foi de R$ 7,4 bilhões no terceiro trimestre de 2021, tendo um crescimento de 43% na comparação anualizada.

Segundo o balanço da Minerva, no penúltimo trimestre do ano, a receita bruta da divisão indústria Brasil alcançou R$ 3 bilhões, alta de 14,2% na comparação ano a ano. “A divisão foi responsável por 38% da receita bruta consolidada da companhia”, afirma o documento.

Ebitda – lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização – cresceu 16,9%, chegando a R$ 648,1 milhões – mesmo assim, alcançou um número recorde para o período de um trimestre.

O crescimento da receita da Minerva, segundo o documento publicado na noite desta quinta-feira (4), foi puxado, principalmente, pelo avanço das vendas da Athenas Foods.

A Athena Foods, braço da Minerva que produz nos demais países da América Latina (Argentina, Colômbia, Uruguai e Paraguai), viu seu volume de vendas crescer 37% ante o terceiro trimestre de 2020, chegando a 179,4 mil toneladas.

Enquanto isso, o volume produzido pela Indústria Brasil, braço da Minerva no país, recuou 16,8%, ficando em 118,1 mil toneladas.

O aumento da produção da Athena Foods e a diminuição da produção nacional são explicados pela desvalorização do Real no período, que tornou a carne mais cara no Brasil, diminuindo o poder de compra do mercado interno, e também pelo bloqueio na China da importação de parte da produção brasileira, por conta de casos de vaca louca. Esses casos levaram a companhia a aumentar sua produção nos demais países em que atua na América Latina.

A Athena Foods foi destaque e registrou alta de 82,3% em sua receita, com o seu volume produzido crescendo 37%.

O braço de produção brasileiro da Minerva, além da queda de vendas, viu a fatia da sua receita oriunda da exportação avançar 11,6% na base anual, chegando a R$ 1,9 bilhão. A receita proveniente do mercado interno, por conta do maior preço da carne, avançou 19%, chegando a R$ 1,1 bilhão.

Custos da Minerva acompanham crescimento do volume

No consolidado, os custos das mercadorias vendidas ficaram em R$ 6,1 bilhões, ante R$ 5,2 bilhões no mesmo período de 2020. As despesas com vendas, gerais e administrativas ficaram em R$ 502,2 milhões, antes R$ 377,9 milhões.

Essas altas, impulsionada pelos maiores volumes comercializados, entretanto, foram diluídas com o crescimento da receita: a margem bruta da Minerva (descontando custos com produtos) aumentou 0,5 pontos percentuais, para 17%. A margem Ebitda, que conta as despesas com vendas, gerais e administrativas, ficou estável no período, em 8,8%.

Por fim, a Minerva registrou um resultado financeiro negativo em R$ 464 milhões, número 44% maior do que os R$ 382,3 milhões registrados no terceiro trimestre de 2020. A companhia explica que a desvalorização do Real frente ao dólar norte-americano impactou negativamente esta parte da balanço, uma vez que R$ 9,8 bilhões da sua dívida bruta, que é de R$ 13,4 bilhões, estão emitidos na moeda estadunidense.

A Minerva fecha o terceiro trimestre com uma dívida líquida de R$ 5,5 bilhões, com sua alavancagem – medida pela relação entre dívida e Ebitda – estável na comparação anual, em um múltiplo de 2,4.

Os resultados da Minerva Foods (BOV:BEEF3) referentes suas operações do terceiro trimestre de 2021 foram divulgados no dia 04/11/2021.

VISÃO DO MERCADO 

Itaú BBA

O Itaú BBA avalia os resultados como ligeiramente positivos, com destaque mais uma vez para o forte desempenho de receita da empresa Athena, enquanto as margens foram comprimidas em meio a ventos contrários no custo do gado no Brasil.

Itaú BBA mantém recomendação de compra com preço-alvo de R$ 17,00…

* Com informações da ADVFN, RI das empresas, Valor, Infomoney, Estadão, Reuters

Deixe um comentário