Petrobras assina contratos com SBM Offshore para afretamento e prestação de serviços do FPSO

LinkedIn

A Petrobras assinou contratos com a empresa SBM Offshore para afretamento e prestação de serviços do FPSO (Unidade Flutuante de Produção, Armazenamento e Transferência) Alexandre de Gusmão, quarto sistema definitivo a ser instalado no campo de Mero, localizado no pré-sal da Bacia de Santos.

O comunicado foi feito pela empresa (BOV:PETR3) (BOV:PETR4) nesta segunda-feira (29).

Segundo a estatal, a previsão é que a unidade comece a produzir em 2025.

O FPSO será instalado a aproximadamente 160 quilômetros de Arraial do Cabo, no Rio de Janeiro, e terá capacidade de processamento de 180 mil barris de óleo e 12 milhões de m3 de gás por dia.

Os contratos terão duração de 22 anos e 6 meses, contados a partir da aceitação final da unidade. O projeto prevê a interligação de 15 poços ao FPSO, sendo 8 produtores de óleo, 6 injetores de água e gás, 1 poço conversível de produtor para injetor de gás, através de uma infraestrutura submarina composta por dutos rígidos de produção e injeção e dutos flexíveis de serviços.

A Petrobras afirmou que até o momento, o projeto já teve 4 poços perfurados e 2 completados.

Sobre o Campo de Mero 

O campo de Mero é o terceiro maior do pré-sal e está localizado na área de Libra, operada pela Petrobras (40%) em parceria com a Shell Brasil Petróleo Ltda. (20%), TotalEnergies EP Brasil Ltda. (20%), CNODC Brasil Petróleo e Gás Ltda. (10%), CNOOC Petroleum Brasil Ltda. (10%) e Pré-Sal Petróleo S.A. (PPSA), que exerce papel de gestora desse contrato.

A previsão é que a produção do primeiro sistema definitivo de Mero (Mero 1) seja iniciada no ano de 2022, através do FPSO Guanabara, seguido por Mero 2 (FPSO Sepetiba), em 2023, e Mero 3 (FPSO Marechal Duque de Caxias), em 2024.

Deixe um comentário