Ações do Alibaba (BABA, BABA34) despencaram mais de 10% na quinta-feira ao divulgar resultados do 2º trimestre

LinkedIn

Alibaba (NYSE:BABA) divulgou na quinta-feira os resultados que perderam as expectativas de receita e lucro para o trimestre encerrado em setembro, já que a desaceleração do crescimento econômico na China pesou sobre os resultados, contribuindo para obstáculos regulatórios.

Veja como o Alibaba se saiu em seu segundo trimestre fiscal, em comparação com as estimativas de consenso do Refinitiv:

  • Receita: 200,69 bilhões de yuans (US$ 31,4 bilhões) contra 204,93 bilhões de yuans estimados, um aumento de 29% com relação ao ano anterior.
  • Lucro por ação (EPS): 11.20 yuan vs. 12.36 yuan estimados, queda de 38% ano a ano.

A empresa também reduziu sua orientação de receita para o ano fiscal atual. Anteriormente, esperava-se obter 930 bilhões de yuans, o que representaria um crescimento anual de cerca de 29,5%. Mas agora espera que o crescimento fique entre 20% e 23% ano a ano.

Durante as negociações na tarde de quinta-feira na NYSE, as ações despencaram -11,1%.

Na B3, as ações do Alibaba negociadas através do ticker (BOV:BABA34), caíram -10,5%, ou menos R$ 3,36 reais por ação – cotadas a um último preço de R$ 28,54 no momento da publicação, 16h00 (horário de Brasília).

A economia da China desacelerou no terceiro trimestre do ano, o que também atingiu o consumo. O Alibaba também foi alvo da repressão da China à sua indústria de tecnologia doméstica, que viu uma série de novas regulamentações trazidas do antitruste à proteção de dados.

Embora os gigantes da tecnologia da China tenham crescido amplamente desimpedidos nos últimos anos, Pequim procurou limpar alguns dos comportamentos de suas corporações. O Alibaba foi multado em US$ 2,8 bilhões em abril como parte de uma investigação antimonopólio.

Como resultado, as expectativas eram baixas no relatório de lucros do segundo trimestre fiscal, com os analistas esperando que fosse um dos trimestres mais desafiadores de todos os tempos para o gigante do comércio eletrônico chinês.

O principal negócio de comércio do Alibaba viu a receita crescer 31% com relação ao ano anterior, para 171,17 bilhões de yuans, perdendo as expectativas.

A receita de gerenciamento de clientes, ou CMR, é a maior parte das vendas do Alibaba. CMR é a receita que o Alibaba obtém de serviços como marketing que a empresa oferece aos comerciantes em suas plataformas de comércio eletrônico Taobao e Tmall.

O CMR cresceu apenas 3% ano a ano. O Alibaba disse que isso se deveu ao lento crescimento das vendas em sua plataforma “que resultou da desaceleração das condições do mercado e de mais participantes no mercado de comércio eletrônico da China”.

O Alibaba tem enfrentado intensa competição de seu rival JD.com, mas também de players mais novos como Pinduoduo e até mesmo empresas de mídia social como o proprietário da TikTok, a ByteDance.

A empresa está voltando do Singles Day, um grande evento de compras na China onde as plataformas de e-commerce oferecem grandes descontos e faturam bilhões de dólares em vendas.

O Alibaba arrecadou o volume bruto de mercadorias durante o período de 11 dias, totalizando 540,3 bilhões de yuans (US$ 84,54 bilhões). Qualquer receita que o Alibaba obtiver deste evento não será refletida no trimestre de setembro.

Investimentos pesam sobre os lucros

O Alibaba disse que o EBITDA (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) caiu 27% ano a ano para 34,84 bilhões no trimestre de setembro, principalmente em mais investimentos em novos negócios. O EBITDA é uma medida de lucratividade.

No início deste ano, a administração sinalizou que iria investir mais em alguns de seus negócios incipientes, como o aplicativo de descontos Taobao Deals e seu serviço de entrega de comida Ele.me. O Alibaba também tem tentado perseguir clientes em cidades chinesas menores por meio de alguns desses serviços.

“Neste trimestre, o Alibaba continuou a investir firmemente em nossos três pilares estratégicos de consumo doméstico, globalização e computação em nuvem para estabelecer bases sólidas para nosso objetivo de longo prazo de crescimento sustentável no futuro”, disse o CEO Daniel Zhang em um comunicado.

A computação em nuvem, outra área observada de perto pelos investidores, cresceu 33% com relação ao ano anterior, para 20 bilhões de yuans. O EBITA ajustado para o segmento foi de 396 milhões de yuans, contra um prejuízo de 567 milhões de yuans no mesmo período do ano passado.

Fontes: CNBC, WSJ, FX empire, FX Street, Reuters, The Street, TipRanks

Deixe um comentário