BTG Pactual aumenta exposição às criptomoedas com novo fundo

LinkedIn

O BTG Pactual aumenta seu portfólio de produtos com exposição às criptomoedas, ao lançar mais um fundo atrelado ao setor. Chamado “BTG Pactual Reference Ethereum 20“, o novo fundo foi anunciado nesta terça-feira (7). Com ele, o produto terá 20% de exposição a Ethereum, segunda maior criptomoeda, abaixo do Bitcoin.

O BTG Pactual (BOV:BPAC11) é o maior banco de investimentos da América Latina. Para trabalhar com o mercado de criptomoedas, o banco anunciou a corretora de Bitcoin e Ethereum chamada Mynt, anunciada em setembro de 2021.

Em maio, o banco já havia lançado outro fundo multimercado atrelado 100% ao Bitcoin, mostrando que nos últimos meses o BTG Pactual partiu para cima das criptomoedas.

BTG Pactual lança mais um fundo multimercado atrelado à criptomoedas, dessa vez em Ethereum

Em um comunicado de lançamento compartilhado com o Livecoins, o BTG Pactual informa que “expande seu portfólio para oferecer mais uma opção segura e acessível para o investidor que deseja ingressar no universo dos criptoativos“.

Para André Portilho, sócio e head de Digital Assets do BTG Pactual, a criação do fundo foi pensada para democratizar o acesso ao mercado de criptomoedas, o que tem movido o banco a criar esses fundos.

“Cripto já é conhecido em praticamente todo o mundo e o investidor brasileiro tem acompanhado o crescimento da relevância desse setor, mas não necessariamente domina a burocracia necessária para operar esse ativo. Agora ele pode ter essa exposição com a mesma facilidade com a que está acostumado a investir em qualquer fundo”.

Quem pretende investir no novo fundo multimercado BTG Pactual Reference Ethereum 20 terá 20% de exposição ao Ether. Os outros 80% são aplicados em renda fixa.

Para aplicar no fundo, os investidores podem aportar no mínimo R$ 100,00, com uma taxa de administração de 0,5% ao ano. Não haverá cobrança de taxa de performance neste produto, que é o 14.ª da família Reference do BTG Pactual.

Portilho declarou ainda que investidores que conhecem o mercado de criptomoedas tem como as opções mais naturais a diversificação entre Bitcoin e Ethereum, as duas maiores moedas. Ele acredita que para o futuro, essas desempenharão uma parte importante da revolução que é este mercado.

“Os criptoativos já estão transformando a forma como o capital circula pelo mundo e ainda temos espaço para uma verdadeira revolução na forma como as pessoas interagem com o dinheiro. Bitcoin e Ether serão vetores relevantes dessa transformação”.

A família Reference do banco foca em investimentos que não tem muita representação na bolsa de valores, como as criptomoedas, tecnologias e o setor de ESG. Criado em 1983, este é um banco tradicional de investimentos no Brasil e região.

Deixe um comentário