Fechamento Ibovespa: Bolsa fecha em alta a 1,14% e todos os destaques de hoje (07/01/2022)

LinkedIn

O Ibovespa, principal índice da bolsa brasileira, subiu e estendeu a recuperação da véspera, apesar de um clima cauteloso nos mercados externos após a divulgação de dados de emprego nos Estados Unidos.

Ações de empresas ligadas ao setor de commodities e papéis de bancos novamente deram suporte ao índice.

O Ibovespa subiu 1,14%, a 102.719,47 pontos, o que ainda assim significa queda de mais de 2% na semana, dado que o índice caiu nos três primeiros pregões do ano. O volume financeiro da sessão foi de R$ 23,5 bilhões.

Wall Street encerrou a primeira semana do novo ano com perdas diárias e semanais, conforme investidores mostraram preocupação com a iminência de aumentos nas taxas de juros e com o desdobramento de notícias sobre a Ômicron.

Os índices S&P 500 e Nasdaq fecharam em queda hoje, depois de o mais recente relatório de empregos nos EUA ressaltar receios de investidores de que o Federal Reserve (Fed, banco central norte-americano) elevará os juros de forma agressiva para combater a inflação.

De acordo com dados preliminares, o S&P 500 perdeu 0,42%, para 4.676,51 pontos. O índice de tecnologia Nasdaq Composite cedeu 0,98%, para 14.934,57 pontos. O Dow Jones teve variação negativa de 0,02%, para 36.228,20 pontos.

O dólar interbancário fechou em queda hoje, tomando distância do nível psicológico de R$ 5,70 superado pela manhã, em meio a uma correção global de baixa na divisa norte-americana conforme o mercado tenta decifrar dados mistos de emprego nos Estados Unidos e seus impactos sobre o cenário de alta de juros por lá.

O recuo de hoje, porém, não impediu que o dólar completasse a primeira semana de negócios de 2022 em alta no Brasil.

A moeda negociada no mercado à vista caiu 0,85% hoje, a R$ 5,6318, menor patamar desde 30 de dezembro (R$ 5,5735).

Ainda assim, a cotação acumulou na semana ganho de 1,05%, após duas semanas consecutivas de perdas.

Na máxima da sessão, o dólar foi a R$ 5,7114, alta de 0,55%. Esse pico foi alcançado nas reações iniciais de investidores ao relatório de empregos dos Estados Unidos, que mostrou metade da geração de postos esperada, mas também queda na taxa de desemprego em dezembro e sinais de pressão nos salários, indicativo de que a inflação pode se manter alta – o que por sua vez levaria o banco central dos EUA a manter o plano de subida dos juros.

Juros mais altos nos EUA aumentam a atratividade do dólar ao mesmo tempo que prejudicam o cenário para ativos de países emergentes, caso da moeda brasileira.

➡️ Veja o fechamento desta sexta-feira:

🇧🇷 IBOV: +1,14% a 102.719 pts
🏢 IFIX: +2,28% a 2.760 pts
💵 Dólar: -0,82% a R$ 5,6325
💶 Euro: -0,15% a R$ 6,4001
💰Bitcoin: -3,44% a R$ 238.961

🇺🇸 Nova York

Dow Jones: -0,01% a 36.231 pts
S&P 500: -0,41% a 4.677 pts
Nasdaq: -0,96% a 14.936 pts

Acompanhe as altas e baixas da bolsa nos últimos dias:

Data Variação Pontuação Volume Financeiro
03/01/2022 -0,9% 103.921,59 R$ 24,2 bilhões
04/01/2022  -0,39%  103.513,64 R$ 27,8 bilhões
05/01/2022  -2,4% 101.005,64 R$ 29,7 bilhões
06/01/2022 0,6%  101.561,05 R$ 30,6 bilhões
07/01/2022 1,1% 102.719,47 R$ 30,1 bilhões

DESTAQUES DO IBOVESPA – (pregão à vista)

  • ALTAS IBOVESPA

BIDI11: +15,46% a R$ 26,73
RRRP3: +6,88% a R$ 34,00
VALE3: +5,82% a R$ 84,00
USIM5: +4,78% a R$ 14,68
PRIO3: +4,54% a R$ 19,82

  • BAIXAS IBOVESPA

LAME4: −5,44% a R$ 5,21
AMER3: −5,33% a R$ 27,70
ELET3: −4,38% a R$ 30,36
VIIA3: −4,36% a R$ 4,17
POSI3: −3,74% a R$ 8,24

Confira o ranking completo de todos os papéis negociados na B3.

  • 💥 Confira os destaques corporativos de hoje 💥

Alphaville (AVLL3)

A Alphaville extinguiu de pleno direito os bônus de subscrição. Saiba mais…

Azul (AZUL4)

A Azul informou na véspera que o aumento do número de casos de covid-19 e influenza entre funcionários gerou um impacto em 10% dos voos programados para janeiro, o que obrigou a empresa a realizar ajustes para continuar operando. Saiba mais…

Banco do Brasil (BBAS3)

O Banco do Brasil confirmou a emissão de bônus ESG no valor de US$ 500 milhões. Saiba mais…

O BB firmou acordo com a Cielo para serviços de captação de clientes, pelo prazo de um ano.

Banco Modal (MODL11)

A XP assinou um acordo para a compra de 100% do Banco Modal, numa operação de troca de ações que avalia o banco em cerca de R$ 3 bilhões, o que, segundo o Brazil Journal representa um prêmio de 50% sobre o fechamento da ação de ontem e de 33% sobre a cotação média de dezembro. Saiba mais…

BK Brasil (BKBR3)

A Burger King aprovou a aquisição de até 16 milhões de ações ordinárias, equivalentes a cerca de 6% dos papéis que estão em circulação no mercado. Saiba mais…

CBA (CBAV3)

A CBA informou que o Cade aprovou, em 21/12/2021, a aquisição pela empresa de 80% da Alux do Brasil. Saiba mais…

Dommo (DMMO3)

A Dommo informou que a produção da companhia foi de 27.728 barris em dezembro de 2021. Saiba mais…

Eletrobras (ELET3/ELET6)

As estimativas do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) de realizar a oferta de ações para privatização da Eletrobras em março foram vistas como “otimistas demais” no Tribunal de Contas da União (TCU). Saiba mais…

Neoenergia (NEOE3)

A Neoenergia informou que em 05 de janeiro entrou em operação comercial a linha de transmissão de Jalapão (Lote 4 –Leilão de Transmissão nº 02/2017, de dezembro de 2017). Saiba mais…

Oncoclínicas (ONCO3)

A Oncoclínicas anunciou investimentos da ordem de R$ 138,6 milhões para montar centro de tratamento de câncer em Salvador. Saiba mais…

Petrobras (PETR3/PETR4)

A Petrobras reiterou, em resposta a notícias divulgadas na mídia, que mantém plano de vender até 100% das ações preferenciais que detém na Braskem por meio de follow-on, junto com a Novonor, que também faz parte do bloco de controle. Saiba mais…

PetroRio (PRIO3)

A PetroRio anunciou um aumento de 2,1% na produção de óleo no quarto trimestre de 2021. Saiba mais…

Raízen (RAIZ4)

A B3 autorizou a Raízen a manter percentual de free float em 12%. Diante disso, a empresa aprovou programa de recompra de até 40 milhões de ações, equivalentes a 3,21% das ações em circulação. Saiba mais…

  • (Com informações da Forbes Money e Momento B3)

Deixe um comentário