Fed afirma que balanço patrimonial do órgão está significativamente maior do que o necessário

LinkedIn

O presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), Jerome Powell, afirmou que o balanço patrimonial do órgão está significativamente maior do que o necessário e que medidas para diminuí-lo serão discutidas nas próximas reuniões. Sua redução de fato deve começar após o aumento das taxas básicas de juros.

“A taxa básica de juros é nosso principal meio de ajuste da política monetária e (…) a redução de nosso balanço ocorrerá após o início do processo de elevação das taxas de juros”, afirmou ele durante coletiva de imprensa após a decisão de política monetária do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês) desse mês.

Segundo ele, as reduções ocorrerão ao longo do tempo de maneira previsível, principalmente por meio de ajustes por meio de reinvestimentos. “Com o tempo, pretendemos manter títulos nos valores necessários para a estrutura operacional de nossa ampla reserva e, no longo prazo, pretendemos manter principalmente títulos em de Treasuries norte-americanos”, disse ele.

Powell reafirmou que as decisões sobre redução de balanço serão guiadas pelas metas de emprego máximo e estabilidade de preços. “Nesse sentido, estaremos preparados para ajustar quaisquer detalhes de nossa abordagem de gestão de balanço à luz dos desenvolvimentos econômicos e financeiros”, disse.

O presidente do Fed, no entanto, destacou que nenhuma decisão sobre o momento específico, ritmo ou outros detalhes da redução do balanço patrimonial foram discutidos. Para Powell, entre duas a três reuniões devem ser necessárias para decisões mais específicas sobre o movimento de redução do patrimônio e, de acordo com ele, as comunicações sobre o assunto devem continuar claras.

Fomc considera o mercado de trabalho forte em relação à inflação

O presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), Jerome Powell, afirmou que um aumento das taxas básicas de juros deve ocorrer na reunião de março. Segundo ele, o Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês) considera o mercado de trabalho forte em relação à inflação e deve se concentrar na retirada de apoios esse anos.

“A maioria dos membros acredita ser apropriado elevar as taxas básicas de juros na reunião de março”, afirmou Powell em coletiva de imprensa após a decisão de política monetária do Fed.

De acordo com ele, a maior parte do conselho vê o mercado de trabalho dos Estados Unidos muito forte para a atual situação dos preços e, portanto, se tudo permanecer como está, a retirada de políticas monetárias acomodatícias deve ser a prioridade do banco este ano.

Powell no entanto reiterou que o Fomc deve reagir de acordo com a economia, sem manter um rumo fixo para a política monetária. “Nos mantemos humildes em relação a previsões e planejamentos. Decidiremos à medida que consultamos os dados econômicos. Se a inflação acelerar além do que o previsto, agiremos. Se ela desacelerar junto com a economia, também faremos o necessário”, disse ele.

O presidente também comentou que o cenário da estabilidade financeira atual é confiável. Para ele, o alto custo de ativos de risco não é uma ameaça. “Famílias e empresas estão em boa foram. Banco possuem liquidez”, explicou Powell. Para ele, os únicos riscos estão no setor financeiro não bancário e nos Treasuries que, segundo Powell, não são algo controlável e apenas fonte de monitoramento.

Informações Agência CMA

Deixe um comentário