Log Commercial (LOGG3): lucro líquido de R$ 87,9 milhões no 4T21

LinkedIn

A Log Commercial Properties, empresa de condomínios logísticos, reportou lucro líquido de R$ 87,9 milhões no quarto trimestre de 2021 (4T21), o que representa um crescimento de 138,6% em relação ao mesmo período de 2020.

A receita líquida somou R$ 38,9 milhões no 4T21, alta de 4,1% em relação ao mesmo período do ano anterior.

Segundo a companhia, o desempenho foi em função de novas entregas de projetos, novas locações e reajustes contratuais, os contratos de aluguel apresentaram um crescimento de 0,63% acima da inflação.

ebtida – lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização – cresceu 94,9% na comparação com igual etapa de 2020, totalizando R$ 98,3 milhões.

Já a margem Ebitda alcançou 254,2% no 4º trimestre de 2021, alta de 115,5 p.p. na comparação com igual trimestre de 2020.

O fluxo de caixa proveniente das operações (FFO, na sigla em inglês) somou R$ 88,2 milhões entre outubro e dezembro de 2021, expansão de 137,9% frente aos números registrados em igual etapa de 2020.

Em relação à dívida líquida, a companhia informou que houve um aumento de 561,5%, a R$ 371,1 milhões.

Dessa forma, o índice de alavancagem, medido pela relação entre dívida liquida e o Ebitda ajustado foi de 0,9 vez, uma elevação de 0,7 vez em relação ao 4T20.

Log Commercial Properties aprova o pagamento de dividendos no valor de R$ 87 milhões

A Log Commercial Properties aprovou dividendos no valor de R$ 87.626.790,20 correspondentes a R$ 0,866641612 por ação ordinária, com base no lucro registrado no balanço anual do exercício encerrado em 31 de dezembro de 2021, a serem imputados aos dividendos obrigatórios relativos ao exercício de 2021.

Os resultados da Log Commercial (BOV:LOGG3) referente a suas operações do quarto trimestre de 2021 foram divulgados no dia 09/02/2021. Confira o Press Release completo!

Teleconferência

Apesar do cenário macro, de taxa de juros alta, a Log Comercial Properties aposta no crescimento e no desenvolvimento do e-commerce. Conforme Sergio Fischer, CEO da Log, os drives de demanda do setor não devem mudar.

“O e-commerce vai continuar crescendo. Em relação aos países desenvolvidos, o Brasil está muito aquém ainda. Então, isso não deve mudar”, afirmou o executivo em teleconferência com analistas. E afirmou ainda que a demanda cresce fora do eixo Rio-São Paulo “onde a Log está bem posicionada”.

Outro drive de demanda que deve seguir no setor é o Flight to Quality, que é o aumento da demanda por galpões mais modernos. De acordo com o executivo, o e-commerce, independente do cenário macro, a estimativa de crescimento do segmento seguirá em dois dígitos.

“O setor está blindado. O e-commerce está bombando e temos novos BTS em negociação pra player de e-commerce e esperamos assinar contrato ao longo do ano”, acrescentou.

A estimativa de crescimento do e-commerce no Brasil para 2022, de acordo com o relatório de divulgação dos resultados da Log referentes ao 4T21, é de 16,5%.

Nesse mesmo documento, no ano passado, a Log apresentou recorde na entrega de empreendimentos. Foram seis projetos em cinco cidades, totalizando 231,1 mil m² de ABL (Área bruta Locável). Até o final de 2022, serão mais 414,4 mil m² de ABL, em seis cidades distintas.

O CEO da Log também comentou sobre desinvestimentos. Ano passado, a LOG fez recorde de desinvestimentos que alcançaram pouco acima de R$ 300 milhões, de acordo com Sergio Fischer.

“A meta é manter o mesmo em 2022”, comentou ele sobre desinvestimentos na teleconferência. Segundo o executivo, existem conversas com interessados e as vendas podem ser tanto de BTS como de parque especulativo.

Os três ativos negociados pela companhia ano passado foram BTS Extrema (MG), Plaza Mirante Sul (SP) e Strip Mall Cabral (MG).

Com relação ao custo de construção, índice importante para o resultado da empresa já que há vários empreendimentos da Log em construção, Sergio Fischer acredita que ele tenha “chegado ao platô”. A tendência, segundo ele, é de alguma queda.

“Tenho visto esse movimento de aço, nas cotações de estrutura metálica. A pressão de custo ficou pra trás”, afirma, ressaltando que a visão é otimista. Custo de construção subiu por volta de 30% entre 12 e 18 meses, de acordo com o executivo.

VISÃO DO MERCADO 

BTG Pactual 

A LOG apresentou resultados sólidos no 4T21, conforme o esperado. A receita líquida atingiu R$ 39 milhões (+6% a/a; 5% abaixo do que esperávamos) e o EBITDA ajustado totalizou R$ 28 milhões (-7% a/a; 7% abaixo da nossa projeção), com sólida margem EBITDA de 71%. Já o FFO foi de R$ 28 milhões (+7% a/a), 2% acima das nossas expectativas, auxiliado pelos resultados financeiros, e o LPA foi de R$ 0,93 (+170% a/a), explicado pelos ganhos de valor justo do projeto entregas no trimestre.

Os resultados do 4T foram sólidos, uma vez que a LOG aumentou sua receita em 7% a/a; manteve a margem Ebitda bastante elevada em 71%; e a taxa de vacância encerrou o ano em apenas 5,5%, apesar do crescimento da ABL no período. A LOG está em grande momento no setor de logística, pois a demanda por novos espaços continua sólida e tem um pipeline considerável de projetos a desenvolver nos próximos anos. Com as ações negociadas em 13x P/FFO 2023E, reafirmamos nossa classificação de Compra.

BTG Pactual tem recomendação de compra com preço-alvo de R$ 44,00…

XP Investimentos 

A Log CP apresentou resultados sólidos e em linha com nossas estimativas no 4T21. Do lado operacional, a absorção bruta no trimestre foi de 121,3 mil m², o que representou um aumento de 18% em relação ao 3T21. A produção de ABL foi de 349,2 m² (%Log) no ano.

Em 2021, a Log entregou 6 projetos em 5 cidades, atingindo 231,1 mil m² de ABL. Até 2022, a empresa espera entregar mais de 414 mil m² de ABL. Em 2021, a Log firmou 5 contratos (BTS) com grandes players de e-commerce, atingindo 313,6 mil m² de ABL, refletindo um bom momento comercial para a empresa. Reiteramos nossa recomendação neutra, negociando a 28x P/FFO em 2022.

Do lado financeiro, a receita líquida foi de R$ 39 milhões, levemente abaixo das nossas estimativas (-12%). Além disso, o Ebitda ficou pouco abaixo das nossas estimativas (-11%), e o FFO ficou acima das nossas estimativas (+9%).

No balanço, a alavancagem financeira (dívida Líquida/Ebitda) apresentou no 4T21 um patamar superior ao do 4T20 (0,9x 4T21 vs. 0,2x 4T20), e LTV de 33,6% no 4T21 vs. 38,6% no 3T21. Em 2021, a Log CP apresentou fluxo de caixa operacional de R$ 164 milhões, com dívida líquida de R$ 371 milhões, explicada pelo maior capex de crescimento.

XP mantém recomendação neutra com preço-alvo a R$ 40,40…

* Com informações da ADVFN, RI das empresas, Valor, Infomoney, Estadão, Reuters

Deixe um comentário