Dow Jones caiu 500 pontos na quinta-feira e encerrou pior trimestre em 2 anos

LinkedIn

Os índices de ações dos Estados Unidos caíram pela segunda sessão consecutiva na quinta-feira (31), com os investidores encerrando um primeiro trimestre difícil para Wall Street.

O Dow Jones caiu 550 pontos, ou -1,56%, para 34.678,35 pontos. O S&P 500 caiu -1,57% para 4.530,41 pontos. O Nasdaq Composite caiu -1,54%, para 14.220,52 pontos. O Russell 2000 caiu -1,00%, para 2.070,13 pontos. As perdas se aprofundaram na última hora de negociação e as ações fecharam nas mínimas da sessão.

As ações de semicondutores e hardware de tecnologia ficaram sob pressão na quinta-feira em meio a preocupações de analistas sobre o mercado de PCs daqui para frente. As ações da AMD caíram mais de 7% depois que analistas do Barclays rebaixaram as ações para equal weight de overweight. Enquanto isso, a HP Inc e a Dell caíram 5,2% e 5,5%, respectivamente, após serem rebaixadas para equal weight de overweight no Morgan Stanley.

As ações da Walgreens Boots Alliance caíram 5%, pesando no Dow Jones. A rede de farmácias superou as estimativas para o segundo trimestre fiscal, embora isso se deva em parte à demanda por produtos relacionados à pandemia.

As ações de bancos foram outra área de fraqueza, com o JPMorgan Chase caindo 2,3% e o Goldman Sachs perdendo mais de 1%.

Quinta-feira marcou o último dia de negociação de março e do primeiro trimestre, o que pode ter contribuído para a fraqueza do final do dia, já que os gerentes de dinheiro profissionais ajustaram suas carteiras para o final do período.

No primeiro trimestre, o Dow Jones e o S&P 500 fecharam em queda de 4,8% e 5,2%, respectivamente. O Nasdaq perdeu 10%. O início de um ciclo de aumento das taxas do Federal Reserve, a alta inflação e a invasão da Ucrânia pela Rússia contribuíram para as lutas por ações.

Para os três maiores índices, este foi o primeiro trimestre negativo desde o primeiro trimestre de 2020, que marcou o início da pandemia de Covid-19 nos EUA.

No entanto, março foi um ponto positivo, já que os principais índices desfrutaram de um sólido rali de duas semanas na segunda metade do mês. O S&P 500 e o Nasdaq subiram mais de 3% em março, enquanto o Dow Jones subiu 2,2%.

Os preços do petróleo caíram, com os futuros do West Texas Intermediate caindo mais de 6%, para cerca de US$ 100 por barril. Isso ocorre quando o governo do presidente Joe Biden anunciou um plano para liberar 1 milhão de barris de petróleo por dia da reserva estratégica de petróleo por cerca de seis meses.

Os preços voláteis do petróleo pairaram sobre as ações, com os preços do petróleo nos EUA subindo mais de 3% na quarta-feira. A Alemanha alertou para um possível racionamento de gás natural devido a disputas com a Rússia.

Na Ucrânia, as forças russas continuaram a manter suas posições em torno de Kiev e bombardear a capital, segundo oficiais de inteligência do Reino Unido. O presidente da Rússia, Vladimir Putin, disse que os pagamentos pelo gás natural russo precisarão ser feitos em rublos, informou a Reuters, complicando ainda mais os problemas de fornecimento de energia para a Europa.

Na frente dos dados econômicos, os pedidos semanais de seguro-desemprego chegaram a 202.000. Economistas consultados pelo Dow Jones esperavam 196.000. A renda pessoal subiu 0,5%, atendendo às expectativas, enquanto os gastos do consumidor subiram menos do que o esperado.

Os lançamentos de dados vieram à frente do relatório mensal de empregos do Departamento do Trabalho. O relatório de março será divulgado antes da abertura do mercado de sexta-feira.

Com informações de CNBC

Deixe um comentário