Bom dia ADVFN - Decisão do BCE, reajuste de 5% para todos os servidores e projeto de LDO/2023 na agenda

LinkedIn

Esse é o Bom dia, Investidor!  14 de abril de 2022, com tudo o que você precisa saber antes da Bolsa abrir!

📣  Confira as principais manchetes dos jornais de hoje 📰

Bolsas mundiais:  Os futuros americanos e mercados europeus operam próximos da estabilidade, enquanto as bolsas asiáticas fecharam em alta, com investidores aguardando os resultados trimestrais dos maiores bancos dos EUA e a última decisão da política monetária do Banco Central Europeu (BCE).

Na Ásia, as bolsas fecharam em alta na véspera de feriado, com exceção de Taiwan, após Wall Street ter tido ganhos e sob expectativa de novos estímulos monetários na China. O índice Xangai subiu +1,22% e o Shenzhen valorizou +1,11% após indicação de que o governo pretende reduzir taxas de compulsórios bancários para fortalecer a economia após novo surto de covid na China. Em Tóquio, Nikkei teve alta de +1,22% e, em Hong Kong, o Hang Seng encerrou o dia em alta de +0,67%. Em Seul, o Kospi ficou estável, em +0,01% e, em Taiwan, o Taiex recuou -0,32%.

Na Europa, os mercados operam estáveis. Os investidores estão à espera de decisão sobre política monetária para o bloco europeu (BCE), que deverá ser divulgada ainda esta manhã, com entrevista da presidente do BCE, Christine Lagarde (9h30). Os negócios também refletem o otimismo dos investidores em relação aos balanços corporativos que saem hoje nos EUA — quatro grandes bancos anunciam seus resultados.

Nos Estados Unidos, os índices futuros operam estáveis no momento. O presidente dos EUA, Joe Biden, anunciou mais US$ 800 milhões em armamento para a Ucrânia ontem (13), após um telefonema de uma hora com o presidente do país, Volodymyr Zelenskyy. No campo corporativo, Goldman Sachs, Morgan Stanley, Wells Fargo e Citigroup divulgarão seus resultados do primeiro trimestre antes da abertura dos mercados. Os investidores procurarão verificar como os bancos enfrentaram os ventos contrários durante o trimestre, particularmente uma curva de juros achatada. Em dados econômicos, vendas no varejo, preços de importação e pedidos de auxílio-desemprego nos EUA saem hoje.

==> Acompanhe os mercados mundiais pela ADVFN (aqui)

Os futuros internacionais de petróleo WTI estão sendo negociados a US$ 102,94 com baixa de 1,26%. O Brent opera em baixa de 1,41%, negociado a US$ 107,28.

Bitcoin (COIN:BTCUSD) é negociado a US$ 41.199,51 (+2,57%). O ouro  é negociado a US$ 1.970,20 por onça-troy (-0,70%).

⇒ Bitcoin – Acompanhe o Mundo Cripto na ADVFN

Minério de ferro: O minério de ferro negociado na bolsa de Dalian teve alta de 0,11%, a 901,50 iuanes, o equivalente a US$ 122,09.

Coronavírus

O número de novos casos de Covid-19 no mundo continuou a diminuir pela terceira semana consecutiva, com uma redução de 24% em comparação com a semana anterior. O número de mortes semanais também segue a tendência de queda, com índice 18% abaixo em relação à semana anterior. Apesar da melhora no cenário epidemiológico da doença, a OMS mantém a classificação da Covid-19 como pandemia. O diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom, determinou em uma declaração publicada na quarta-feira (13) que a pandemia continua a constituir uma emergência de saúde pública de âmbito internacional (PHEIC, na sigla em inglês).

O mundo registra 501.923.457 casos de coronavírus e 6.189.867 mortes, confirmadas pela Universidade Johns Hopkins.

O Brasil registrou 163 óbitos e 26.924 novos casos de Covid-19 nas últimas 24 horas, segundo atualização do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), realizada na quarta-feira (13). A média de móvel de mortes está 133, o menor número desde 13 de janeiro, quando o índice marcava 129. Já a média móvel de casos está em 20.515. O Piauí não notificou novos dados ao Conass por conta de problemas técnicos no acesso à base de informações. Com isso, o país registrou 30.210.853 casos e 661.656 mortes por Covid-19 desde o início da pandemia, em março de 2020.

Brasil

A desunida e desorganizada América Latina canta em coro, numa só voz, quando o assunto é crise. Colapso político no Peru, economia em frangalhos na Argentina, riscos fiscais e institucionais no Brasil e aprofundamento generalizado dos problemas sociais. Por aqui nunca se muda o roteiro. Jamais. Segundo o Banco Mundial, os países da região e do Caribe vão crescer 2,3% em 2022 (a média mundial será quase 80% maior e chegará a 4,1%). No ano que vem, a evolução será igualmente pífia, de 2,2% (o restante do planeta crescerá 45% mais, em média, a 3,3%). Para o Brasil, o cenário é mais desastroso. Oscilação de 0,7% do PIB este ano e de 1,3% em 2023. Segundo o Banco Mundial, a saída dessa sinuca é a mesma de sempre: reformas estruturais. Na avaliação do economista-chefe da entidade para a América Latina, William Maloney, os países do continente foram duramente impactos pela Covid-19, mas o Brasil tem sido especialmente penalizado com a morte de mais de 660 mil pessoas e, mais recentemente, a ameaça de indisponibilidade de fertilizantes, trazida pelas sanções à Rússia. “O Brasil é dos que mais têm dificuldade na recuperação da pandemia, talvez porque tenha sido atingido de modo especialmente duro por ela”, disse Maloney.

Poderes

O governo decidiu conceder um reajuste de 5% a todos os servidores públicos federais a partir de julho, informaram à Reuters três fontes da equipe econômica na quarta-feira, buscando debelar paralisações que já afetam órgãos públicos.

O Grupo de Trabalho da Câmara que analisa a adoção do semipresidencialismo no Brasil realizou a terceira reunião nesta terça-feira (13/04) para discutir o tema. Na ocasião, foram ouvidos especialistas — tanto contrários quanto a favor do regime — para apresentarem seus pontos de vistas técnicos. O grupo afirmou aos parlamentares que para que o semipresidencialismo seja possível no Brasil, reformas que reduzam a quantidade de partidos do país serão necessárias. Hoje existem 23 legendas com representação na Câmara.

O Ministério da Economia apresentará hoje (14), às 15 horas, o Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (PLDO) de 2023.

Economia

O Makro está preparando o terreno para dar adeus ao Brasil depois de cinco décadas. Em um movimento já antecipado pelo mercado há pelo menos dois anos, quando a rede repassou 30 lojas para o Atacadão, a empresa agora arquiteta a venda de seus 24 pontos de venda remanescentes no País. Para isso, contratou o Santander para encontrar um comprador – a instituição, apesar de apenas ter começado a trabalhar no caso, já avisou toda a concorrência que o negócio do Makro está na mesa.

A venda das redes móveis da Oi para a aliança das rivais TIM, Vivo e Claro será selada na próxima quarta-feira, 20, conforme anunciaram as empresas na última quarta-feira, 13 – após concluírem os preparativos para o fechamento do negócio, de R$ 16,5 bilhões. A Oi destinará R$ 12 bilhões desse montante para pagar credores.

Agenda Econômica

– EUA: Balanços de Citigroup, Wells Fargo, Goldman Sachs e UnitedHealth, antes da abertura do mercado
– Turquia: Decisão de política monetária do BC (8h)
– Zona do euro: Decisão de política monetária do BCE (8h45)
– Zona do euro: Coletiva com a presidente do BCE, Christine Lagarde (9h30)
– EUA/Dpto Comércio: vendas no varejo em março (9h30)
– EUA/Dpto Trabalho: Pedidos de auxílio-desemprego da semana até 09/04 (9h30)
– EUA: Diretora-gerente do FMI, Kristalina Georgieva, faz discurso de Spring Meetings Curtain Raiser (10h)
– EUA/Univ. Michigan: sentimento do consumidor preliminar de abril (11h)
– EUA: Presidente do Fed de Cleveland, Loretta Mester, participa de evento da University of Akron College of Business (15h30)
– EUA: Presidente do Fed de Filadélfia, Patrick Harker, participa de evento da Rider University (19h)
Ibovespa e dólar no último pregão:

Ibovespa:  

Referência do mercado brasileiro, o ibovespa fechou em alta de 0,55%, a 116.781 pontos, acompanhando o desempenho das bolsas internacionais, após um leve respiro na alta do rendimento dos títulos do tesouro norte-americano. A valorização das commodities também ajudou a alta do índice.

💲 Carteira Mensal💲

Maiores altas do Ibovespa

UGPA3: +4,03% a R$ 14,71
ELET6: +3,81% a R$ 42,54
CMIG43: +3,43% a R$ 15,39
BEEF3: +3,26% a R$ 13,61
ELET3: +2,76% a R$ 43,40

Maiores baixas do Ibovespa

CVCB3: -2,81% a R$ 14,53
ENBR3: -2,53% a R$ 21,98
PCAR3: -2,32% a R$ 24,05
MRFG3: -2,07% a R$ 20,32
HAPV3: -2,07% a R$ 10,42

Na Toro, traders podem usar a plataforma Profit Pro grátis

Dólar    

O dólar fechou em alta de 0,27%, cotado a R$ 4,6880. A moeda chegou a perder durante alguns momentos da sessão, mas acabou refletindo a alta dos preços ao produtor nos Estados Unidos de 1,4% em março ante fevereiro, aumentando as expectativas para o aumento iminente dos juros norte-americanos, em maio.

Juros

O DI para janeiro de 2023 tinha taxa de 13,065% de 13,100% % no ajuste anterior; o DI para janeiro de 2024 projetava taxa de 12,700%, de 12,680%, o DI para janeiro de 2025 ia a 12,030%, de 12,000% antes.

Ifix   

O índice fechou a sessão em queda de 0,19%, aos 2.804 pontos. A mínima foi de 2.802 pontos enquanto a máxima foi de 2.809 pontos. No acumulado para abril, o índice concentra uma alta de 0,84%. Já no ano, recua 0,04%.

Fonte: CNN, CNBC, Infomoney, TC, G1, Agência Brasil e BDM, correio braziliense, estadão, isto é dinheiro.

Deixe um comentário