Principais talentos de inteligência artificial da Meta Platforms se demitiram nos últimos meses

LinkedIn

A Meta Platforms (NASDAQ:FB), controladora do Facebook, perdeu alguns de seus principais cientistas de inteligência artificial este ano, à medida que a empresa continua seu pivô em direção ao metaverso.

A Meta Platforms também é negociada na B3 através do ticker (BOV:FBOK34).

Pelo menos quatro membros proeminentes da Meta AI partiram nos últimos meses, de acordo com o LinkedIn. Entre eles, os cientistas publicaram dezenas de trabalhos acadêmicos em periódicos de renome mundial e fizeram vários avanços que o Meta usou para aprimorar o Facebook e o Instagram.

Karl Hermann, um empresário de IA que costumava trabalhar no laboratório rival DeepMind, disse na segunda-feira que o número real pode ser mais de meia dúzia, acrescentando que o laboratório de IA da empresa em Londres viu um número alarmante de saídas. “O escritório da Meta em Londres entrou em colapso e eles perderam a maioria de seus [principais] pesquisadores no período de seis semanas”, disse ele.

Neil Lawrence, professor de aprendizado de máquina da Universidade de Cambridge, disse que não ficou surpreso. “Mark [Zuckerberg] virou Meta agora… e eles nunca investiram adequadamente em nada em Londres em primeiro lugar”, disse ele.

Aqueles que deixaram a empresa incluem Edward Grefenstette, um cientista de pesquisa que liderou os esforços da Meta em um ramo de IA conhecido como aprendizado por reforço, que partiu em fevereiro.

Heinrich Kuttler, um dos gerentes de engenharia de pesquisa da Meta AI, saiu nas últimas semanas para se juntar à Inflection AI, uma start-up criada pelo cofundador da DeepMind, Mustafa Suleyman, e pelo bilionário do LinkedIn, Reid Hoffman. Kuttler ingressou na Meta em janeiro de 2019 depois de passar mais de dois anos na DeepMind.

Outra saída recente é Ahmad Beirami, que deixou seu cargo de cientista de pesquisa na Meta em janeiro e ingressou no Google na mesma função.

E no ano passado, em dezembro, Douwe Kiela deixou seu cargo de cientista de pesquisa na Meta depois de passar cinco anos na empresa. Ele agora é chefe de pesquisa da startup de IA Hugging Face.
Vários outros funcionários da Meta AI saíram ou devem sair nas próximas semanas, segundo a CNBC.

“Algumas pessoas pulam para outro grande laboratório porque acham que isso avançará melhor em sua carreira ou agenda de pesquisa”, disse a fonte.

“Outros vão porque o potencial de contratação para sua equipe é melhor em outros lugares”, acrescentou a fonte. “Outros querem apenas fazer uma start-up ou se envolver com uma empresa menor. Para alguns, pode estar ligado ao estoque de ações da Meta, mas eu não diria que esse é necessariamente o principal motivo”.

O cientista-chefe de IA da Meta, Yann LeCun, que co-fundou o laboratório de IA da empresa em 2013 após um jantar na casa de Zuckerberg, disse à CNBC que “as pessoas mudaram de interesse e seguem em frente”.

Ele acrescentou: “Ed [Grefenstette] está se juntando a uma start-up sem nome. Estou triste que ele foi embora. Mas eu entendo que os interesses das pessoas mudam. Não tenho certeza de quais são os planos de Heinrich. Não há nenhuma causa comum subjacente que eu conheça. Não houve migração detectável da FAIR (Facebook AI Research) Londres nem de outros sites.”

Vale a pena notar que várias pessoas da DeepMind e outros laboratórios de IA também se juntaram à Meta nos últimos dois anos.

Alimentados pela crença de que a IA vai mudar o mundo, os gigantes da tecnologia dos EUA têm investido pesadamente na área nos últimos anos, com a maior parte do dinheiro indo para a contratação de talentos de faculdades líderes como Oxford e Cambridge, no Reino Unido, e MIT, Stanford e NYU nos EUA

As últimas saídas da Meta AI vêm logo após várias outras grandes saídas nos últimos dois anos. Rob Fergus, cofundador do laboratório de IA da Meta, deixou a Meta em 2020 para se juntar à DeepMind e construir uma equipe DeepMind em Nova York.

Em outros lugares, Marc’Aurelio Ranzato deixou seu cargo de gerente de cientista de pesquisa na Meta AI em agosto passado e ingressou na DeepMind.

Além do laboratório de IA da Meta, houve várias outras saídas importantes na empresa em 2021.

Com informações de CNBC

Deixe um comentário