McDonald’s venderá negócios russos para licenciado siberiano existente

LinkedIn

O McDonald’s (NYSE:MCD) disse na quinta-feira (19) que fechou um acordo para vender seus negócios russos para seu atual licenciado no mercado, Alexander Govor.

A Govor adquirirá todas as unidades do McDonald’s na Rússia e as operará sob uma nova marca. Ele também concordou em manter os funcionários por pelo menos dois anos, em termos equivalentes, e financiar os salários dos funcionários corporativos que trabalham em 45 regiões do país até o fechamento do negócio e as responsabilidades existentes com fornecedores, proprietários e concessionárias.

Os termos financeiros do negócio não foram divulgados.

O McDonald’s disse na segunda-feira que espera registrar uma despesa não monetária de US$ 1,2 bilhão a US$ 1,4 bilhão relacionada ao seu investimento líquido na Rússia e perdas em moeda estrangeira.

A venda deve ser concluída nas próximas semanas se garantir a aprovação regulatória. Isso significa o fim de uma era para a gigante do fast-food, que entrou no país apenas alguns meses antes da dissolução da União Soviética.

“O McDonald’s na Rússia incorporou a própria noção de glasnost e assumiu um significado descomunal”, escreveu o CEO Chris Kempczinski em uma carta ao sistema McDonald’s na segunda-feira, depois que a empresa anunciou sua intenção de vender.

Nas três décadas desde a abertura de seu primeiro local em Moscou, o McDonald’s aumentou seus negócios na Rússia para cerca de 850 locais. A empresa possuía cerca de 84% desses restaurantes, enquanto o restante era operado por franqueados. Possuir mais de seus restaurantes gera maior receita para a empresa, mas a expõe a maiores riscos em tempos de turbulência ou recessão econômica.

No início de março, depois que o Kremlin invadiu a Ucrânia, o McDonald’s disse que fecharia temporariamente suas unidades na Rússia. A empresa disse no final de abril que a suspensão de suas operações na Ucrânia e na Rússia devido à guerra custou US$ 127 milhões durante o primeiro trimestre. E na segunda-feira, revelou que estava planejando vender o negócio.

“Alguns podem argumentar que fornecer acesso a alimentos e continuar empregando dezenas de milhares de cidadãos comuns é certamente a coisa certa a fazer. Mas é impossível ignorar a crise humanitária causada pela guerra na Ucrânia”, disse Kempczinski em sua carta.

Outras empresas ocidentais também estão optando por vender seus negócios russos, incluindo a montadora Renault e a gigante do petróleo Exxon Mobil (XOM, EXXO34).

Govor opera 25 unidades do McDonald’s na Sibéria e é licenciada da cadeia de fast-food desde 2015.

Deixe um comentário