Amazon compra provedora de cuidados primários de saúde One Medical por cerca de US$ 3,9 bilhões

LinkedIn

A Amazon (NASDAQ:AMZN) está adquirindo a One Medical (NASDAQ:ONEM) por US$ 18 por ação, um acordo em dinheiro que avalia o provedor de cuidados primários de saúde em cerca de US$ 3,9 bilhões, disseram as empresas na quinta- feira (21).

A Amazon também é negociada na B3 através do ticker (BOV:AMZO34).

O acordo aprofunda a presença da Amazon na área de saúde, que Neil Lindsay, vice-presidente sênior da Amazon Health Services, disse estar “no topo da lista de experiências que precisam ser reinventadas”.

A gigante do comércio eletrônico espera melhorar a forma como as pessoas marcam consultas e a experiência de serem atendidas por um médico, disse Lindsay em comunicado.

“Adoramos inventar para facilitar o que deveria ser fácil e queremos ser uma das empresas que ajudam a melhorar drasticamente a experiência de saúde nos próximos anos”, disse ele.

A One Medical, que abriu seu capital em 2020, opera uma rede de consultórios boutique de cuidados primários e também oferece uma variedade de serviços de telemedicina.

Ele cresceu para supervisionar 188 consultórios médicos em 25 mercados e conta com 767.000 membros, de acordo com seus últimos resultados trimestrais. A One Medical reportou um prejuízo líquido de US$ 90,9 milhões em receita de US$ 254,1 milhões no primeiro trimestre.

“Há uma imensa oportunidade de tornar a experiência de assistência médica mais acessível, econômica e até mesmo agradável para pacientes, provedores e pagadores”, disse o CEO da One Medical, Amir Dan Rubin, em comunicado.

Assim que o acordo for fechado, Rubin continuará administrando a One Medical.

As ações da 1Life Healthcare, controladora da One Medical, abriram cerca de 66% mais altas na quinta-feira, sendo negociadas logo abaixo do preço de compra, a US$ 17,09. No fechamento de quarta-feira, antes do anúncio do acordo, as ações da One Medical estavam sendo negociadas a US$ 10,18.

As ações AMZN subiram cerca de 1% no pré-mercado de quinta-feira, mas reverteram em queda de -0,8% às 11h23 (horário de Brasília).

A Amazon sinalizou um interesse maior no setor de saúde quando comprou a PillPack em 2018 por US$ 750 milhões, usando a aquisição para lançar sua própria farmácia online anos depois. A empresa também ampliou seu serviço de telessaúde, chamado  Amazon Care, e procurou desenvolver diagnósticos médicos em casa.

Com informações de CNBC

Deixe um comentário