Goldman Sachs esmaga as expectativas dos analistas no 2T22 sobre fortes resultados de negociação de títulos

LinkedIn

O Goldman Sachs (NYSE:GS) divulgou na segunda-feira (18) lucro e receita que superaram as estimativas dos analistas, já que os operadores de renda fixa geraram cerca de US$ 700 milhões a mais do que o esperado.

Aqui está o que a empresa relatou em comparação com o que Wall Street esperava, com base em uma pesquisa com analistas da Refinitiv:

  • Lucro por ação: US$ 7,73 contra US$ 6,58 esperados
  • Receita: US$ 11,86 bilhões contra US$ 10,86 bilhões esperados

O lucro do segundo trimestre caiu 48%, para US$ 2,79 bilhões, ou US$ 7,73 por ação, impulsionado por quedas em todo o setor na receita de banco de investimento. Ainda assim, os resultados por ação foram mais de um dólar acima da estimativa média dos analistas relatada pela Refinitiv.

A receita caiu 23%, para US$ 11,86 bilhões, um total de US$ 1 bilhão a mais do que os analistas esperavam, impulsionado por um aumento de 55% na receita de renda fixa.

As operações de renda fixa do banco geraram US$ 3,61 bilhões em receita, superando a estimativa de US$ 2,89 bilhões da StreetAccount. O Goldman atribuiu o desempenho à atividade comercial “significativamente mais alta” em taxas de juros, commodities e moedas. A receita de ações subiu 11%, para US$ 2,86 bilhões, superando a estimativa de US$ 2,68 bilhões da StreetAccount.

As ações do Goldman subiram 2,64% nas negociações de Nova York, no momento da publicação, 12h17 (horário de Brasília).

O Goldman Sachs também é negociado na B3 através do ticker (BOV:GSGI34).

“Entregamos resultados sólidos no segundo trimestre, pois os clientes nos procuraram por nossa experiência e execução nesses mercados desafiadores”, disse o CEO David Solomon no comunicado.

“Apesar do aumento da volatilidade e incerteza, continuo confiante em nossa capacidade de navegar no ambiente, gerenciar dinamicamente nossos recursos e gerar retornos de longo prazo para os acionistas”, disse ele.

O Goldman tende a superar outros bancos durante períodos de alta volatilidade, conforme demonstrado pelos fortes resultados de renda fixa da empresa.

Semelhante a rivais como JPMorgan Chase e Morgan Stanley, que registraram quedas acentuadas na receita de consultoria do segundo trimestre, o Goldman disse que a receita de banco de investimento caiu 41%, para US$ 2,14 bilhões, ligeiramente acima da estimativa de US$ 2,07 bilhões. A empresa culpou uma forte desaceleração nas emissões de ações e dívidas no trimestre, uma das vítimas do aumento das taxas de juros e quedas nos ativos financeiros.

O banco disse que sua carteira de negócios encolheu em comparação com o primeiro trimestre, o que pode indicar que potenciais fusões e IPOs estão sendo eliminadas em vez de serem adiadas para trimestres futuros.

O Goldman também tende a se beneficiar do aumento dos preços dos ativos por meio de seus vários veículos de investimento e, portanto, amplos declínios nos ativos financeiros afetaram a empresa no trimestre.

A receita de gerenciamento de ativos caiu 79% em relação ao ano anterior, para US$ 1,08 bilhão, superando a estimativa de US$ 924,4 milhões. O declínio veio de perdas em ações negociadas em bolsa e ganhos menores em participações de private equity, disse o banco.

“Preocupações macroeconômicas e a guerra prolongada na Ucrânia continuaram a contribuir para a volatilidade dos preços das ações globais e spreads de crédito mais amplos”, observou o banco.

Na semana passada, o JPMorgan e o Wells Fargo também divulgaram baixas contábeis vinculadas a quedas nas carteiras de empréstimos ou participações acionárias.

A receita de consumo e gestão de patrimônio do Goldman aumentou 25%, para US$ 2,18 bilhões, essencialmente correspondendo às estimativas dos analistas, com taxas de administração crescentes, saldos de cartão de crédito e depósitos em seu negócio de banco digital.

Apesar da queda no lucro e na receita, a administração adotou um tom cauteloso durante uma teleconferência com analistas, dizendo que havia desacelerado as contratações.

As ações do Goldman caíram 23% este ano até sexta-feira, pior do que o declínio de 16% do KBW Bank Index.

Na semana passada, o JPMorgan e o Wells Fargo registraram quedas no lucro do segundo trimestre , uma vez que os bancos reservaram mais fundos para perdas com empréstimos esperados, enquanto o Morgan Stanley decepcionou após uma desaceleração maior do que o esperado nos bancos de investimento. O Citigroup superou as expectativas de receita, pois se beneficiou do aumento das taxas e dos fortes resultados comerciais.

Com informações de CNBC

Deixe um comentário