Microsoft fica abaixo das estimativas no 4T22, cita taxas de câmbio e mercado de PCs ‘deteriorando’

LinkedIn

As ações da Microsoft (NASDAQ:MSFT) caíram inicialmente em negociações estendidas de terça-feira (26), mas depois se recuperaram, depois que a fabricante de software divulgou resultados fiscais do quarto trimestre que não conseguiram superar o consenso de Wall Street.

A Microsoft também é negociada na B3 através do ticker (BOV:MSFT34).

Resultados:

  • Lucro por ação: US$ 2,23 por ação, ajustado, contra US$ 2,29 por ação, conforme esperado pelos analistas, de acordo com a Refinitiv.
  • Receita: US$ 51,87 bilhões, contra US$ 52,44 bilhões, conforme esperado pelos analistas, segundo a Refinitiv.

A Microsoft registrou o crescimento de receita mais lento desde 2020, com 12% ano a ano no trimestre, encerrado em 30 de junho, de acordo com um comunicado. O lucro líquido subiu 2%, para US$ 16,74 bilhões.

O maior desafio no trimestre decorreu da piora das taxas de câmbio. A Microsoft disse que reduziu a receita em US$ 595 milhões e os lucros em 4 centavos por ação. Em junho, a Microsoft reduziu sua receita trimestral e orientação de receita apenas por causa das flutuações das taxas.

O segmento de Nuvem Inteligente da Microsoft, que inclui a nuvem pública do Azure para hospedagem de aplicativos, SQL Server, Windows Server e serviços corporativos, gerou US$ 20,91 bilhões em receita. Isso foi um aumento de 20% e abaixo do consenso de US$ 21,10 bilhões entre os analistas consultados pela StreetAccount.

A empresa disse que a receita do Azure e de outros serviços em nuvem cresceu 40%, em comparação com 46% no trimestre anterior. Analistas consultados pela CNBC esperavam 43,1%, enquanto a estimativa de consenso da StreetAccount era de 43,4%. A Microsoft não divulga a receita do Azure em dólares.

O segmento de Produtividade e Processos de Negócios da Microsoft, incluindo software de produtividade Office, Dynamics e LinkedIn, registrou US$ 16,60 bilhões em receita. Isso foi um aumento de quase 13% e um pouco menos do que o consenso da StreetAccount de US$ 16,66 bilhões.

O segmento de Computação Mais Pessoal, com o sistema operacional Windows, consoles de videogame Xbox, o mecanismo de busca Bing e dispositivos Surface, gerou US$ 14,36 bilhões em receita no trimestre. A receita aumentou 2% ano a ano e pouco abaixo do consenso de US$ 14,65 bilhões da StreetAccount. A Microsoft disse que a publicidade em buscas e notícias, excluindo os custos de aquisição de tráfego, aumentou 18% graças ao maior volume de buscas e receita por busca. Ainda assim, uma contração nos gastos com publicidade resultou em um corte de US$ 100 milhões na receita das categorias de publicidade de busca e notícias e LinkedIn.

As vendas de licenças do Windows para fabricantes de dispositivos caíram 2% no trimestre. O Gartner, pesquisador do setor de tecnologia, disse no início deste mês que as interrupções logísticas no trimestre contribuíram para uma queda de 12,6% nas remessas trimestrais de PCs, uma entrada importante para essa métrica. A empresa disse que as paralisações de fábricas na China em abril e maio e a piora do mercado de computadores em junho reduziram a receita do Windows dos fabricantes de dispositivos em US$ 300 milhões.

A Microsoft viu US$ 126 milhões em despesas operacionais vinculadas à sua decisão de parar de vender produtos e serviços na Rússia após a invasão da Ucrânia pelo país.

Durante o trimestre, o CEO Satya Nadella disse que os funcionários receberão aumentos salariais e a empresa introduziu serviços para ajudar os clientes a lidar com incidentes de segurança.

Excluindo o movimento after-hours, as ações da Microsoft caíram 25% até agora este ano, em comparação com um declínio de aproximadamente 18% no índice S&P 500.

Os executivos discutirão os resultados com analistas e emitirão orientações em um webcast a partir das 18h30 (horário de Brasília).

Com informações de CNBC

Deixe um comentário