Tesla cresce 42% em receita no 2T22, mas margens automotivas caem

LinkedIn

A Tesla (NASDAQ:TSLA) relatou ganhos após o fechamento do mercado de quarta-feira (20), e os resultados elevaram as ações cerca de 2% nas negociações estendidas.

A Tesla também é negociada na B3 através do ticker (BOV:TSLA34).

  • Lucro por ação (EPS): US$ 2,27 (ajustado) contra US$ 1,81 esperado, de acordo com a Refinitiv
  • Receita: US$ 16,93 bilhões, contra US$ 17,1 bilhões esperados, de acordo com a Refinitiv

A margem bruta automotiva ficou em 27,9%, ante 32,9% no trimestre passado e 28,4% um ano atrás, impactada pela inflação e mais concorrência por células de bateria e outros componentes que entram em veículos elétricos. As receitas automotivas representaram US$ 14,6 bilhões do total da empresa, com US$ 1,47 bilhão provenientes de serviços e outras receitas e US$ 866 milhões do segmento de energia da empresa.

A empresa gerou US$ 344 milhões em receita de créditos regulatórios automotivos no segundo trimestre, disse a empresa em seu deck de acionistas. Isso representa um declínio de US$ 10 milhões ou quase 3% em relação ao mesmo período de 2021.

A Tesla aumentou sua infraestrutura de carregamento mais do que suas lojas e centros de serviço, relatando 709 lojas e locais de serviço no trimestre e 3.971 locais de Supercharger (com 36.165 conexões totais de Supercharger) no segundo trimestre. Esses números representaram um crescimento de 19% nas lojas e centros de atendimento ano a ano e um crescimento de 34% no número de pontos de recarga.

A empresa ofereceu detalhes limitados sobre seus investimentos e vendas de criptomoedas, escrevendo: “No final do segundo trimestre, convertemos aproximadamente 75% de nossas compras de Bitcoin em moeda fiduciária. As conversões no segundo trimestre adicionaram US$ 936 milhões em dinheiro ao nosso balanço.” A Tesla provocou ondas entre os entusiastas de criptomoedas quando anunciou no início de 2021 que havia comprado US$ 1,5 bilhão em bitcoin.

No início deste mês, a Tesla relatou entregas de veículos de 254.695 carros elétricos para o período encerrado em 30 de junho de 2022, mostrando um crescimento de 27% em relação ao trimestre do ano anterior, mas uma queda de 18% sequencialmente. As entregas são a maior aproximação das vendas divulgadas pela Tesla. Seus veículos Modelo 3 e Modelo Y representaram 93% dessas entregas.

A invasão brutal da Rússia na Ucrânia e os surtos de Covid na China exacerbou a escassez contínua de semicondutores e peças, juntamente com outros problemas na cadeia de suprimentos. As restrições da Covid em Xangai forçaram a Tesla a suspender ou limitar temporariamente a produção em sua fábrica durante o segundo trimestre de 2022.

O CEO Elon Musk também lamentou os altos custos de iniciar a produção em novas fábricas em Austin, Texas e Grünheide em Brandenburg, Alemanha. Durante uma entrevista com os proprietários da Tesla Silicon Valley, um fã-clube reconhecido pela empresa, Musk disse que as duas novas fábricas “são gigantescas fornalhas de dinheiro”.

O CEO também anunciou cortes no número de funcionários em junho.

As participações em criptomoedas da Tesla também provavelmente caíram de valor substancialmente, dependendo de como a empresa as negociou. O analista do Barclay, Brian Johnson, disse na segunda-feira que espera que a Tesla registre um prejuízo de até cerca de US$ 460 milhões devido ao  declínio do bitcoin.

Pelo lado positivo, a Tesla recentemente marcou um marco com um funcionário postando no LinkedIn esta semana que a empresa ultrapassou a produção de 2 milhões de veículos em sua fábrica de Fremont, Califórnia.

De acordo com um memorando da Casa Branca de 28 de junho, a Tesla também planeja “começar a produção de novos equipamentos Supercharger que permitirão que motoristas de veículos elétricos não Tesla na América do Norte usem Tesla Superchargers”.

Fontes: CNBC, WSJ, FX empire, FX Street, Reuters, The Street

Deixe um comentário