JSL (JSLG3): lucro líquido de R$ 29,8 milhões no 2T22, queda de 68%

LinkedIn

A empresa de logística JSL registrou lucro líquido de R$ 29,8 milhões no segundo trimestre deste ano, uma queda de 68% na comparação com o mesmo período de 2021.

A receita líquida alcançou R$ 1,43 bilhão no segundo trimestre, alta de 56% sobre igual intervalo do ano passado.

“A agilidade em desenvolver novas soluções com nossos clientes e a transparência nas negociações nos permitiram entregar resultados sólidos e consistentes. Na comparação anual, crescemos em faturamento nos principais setores que atuamos com destaque para bens de consumo, siderurgia e mineração, automotivo, papel e celulose e alimentos e bebidas”, disse a companhia no comunicado que acompanha o balanço.

Ebitda – juros, impostos, depreciação e amortização – somou R$ 250,7 milhões no 2T22, um crescimento de 102,5% na comparação ano a ano. A margem Ebitda (Ebitda sobre receita líquida) ajustada atingiu 18,3% entre abril e junho, alta de 4,5 pontos percentuais (p.p.) frente a margem registrada em 2T21.

O consenso Refinitiv com analistas de mercado projetava lucro de R$ 36 milhões, Ebitda de R$ 228 milhões e receita de R$ 1,34 bilhão.

De abril a junho, a JSL fechou R$ 1,4 bilhão em novos contratos, com prazo médio de operação de 47 meses e destaque para os setores de alimentos e bebidas (59%), automotivo (21%) e florestal (8%).
A companhia encerrou o 2T22 com uma receita bruta de R$ 1,7 bilhão, crescimento de 54% em relação ao 2T21 decorrente de crescimento orgânico das operações e da consolidação total da Marvel, TPC e Rodomeu (TPC e Rodomeu estavam parcialmente consolidadas no 2T21). Em relação ao 1T22, registramos alta de 10,5%, proveniente do crescimento orgânico das empresas por aumento de volume de projetos e melhoria de preços.
O resultado financeiro líquido foi negativo em R$ 143,3 milhões no segundo trimestre de 2022, uma elevação de 421% sobre as perdas financeiras da mesma etapa de 2021.
O lucro bruto atingiu a cifra de R$ 234,8 milhões no segundo trimestre de 2022, um aumento de 82,3% na comparação com igual etapa de 2021.
O retorno sobre capital investido (ROIC) UDM no 2T22 foi 15%, crescimento de 2,3 p.p. em relação a 2T21 e 1,1 p.p. na comparação com 1T22. Mais uma vez, esse valor evidencia nosso compromisso com o crescimento acelerado sem abrir mão da rentabilidade. Além disso, uma parte relevante do Capex realizado ainda não é refletido nos nossos resultados e contribuirá para a sustentação da rentabilidade futura da companhia.
O capex líquido do período fechou em R$ 220,8 milhões fazendo frente à implantação dos novos contratos vendidos e sustentando o crescimento da receita futura. A venda de ativos no patamar de R$ 68,3 milhões reflete em grande medida o maior valor de nossos ativos e medidas de otimização de frota. Aproximadamente 74% do capex bruto do 2T22 é referente à expansão da frota para suportar a mobilização dos novos contratos celebrados.
 Além da expansão e renovação da frota, nosso Capex também é direcionado à expansão do parque tecnológico. Estes investimentos geram benefícios como maior visibilidade de cargas, redução de custos logísticos por meio de aumento de produtividade da Companhia e dos nossos clientes e visam, cada vez mais, um atendimento diferenciado.

Em 30 de junho de 2022, a dívida líquida da companhia era de R$ 3,022 bilhões, um crescimento de 56,5% na comparação com a mesma etapa de 2021.

O indicador de alavancagem financeira, medido pela dívida líquida/Ebitda ajustado, ficou em 2,99 vezes em junho de 2022, alta de 0,69 vez em relação ao mesmo período de 2021.
Os resultados da JSL (BOV:JSLG3) referentes suas operações do segundo trimestre de 2022 foram divulgados no dia 03/08/2022. Confira o Press Release completo!

* Com informações da ADVFN, RI das empresas, Valor, Infomoney, Estadão, Reuters

Deixe um comentário