Méliuz (CASH3): prejuízo líquido de R$ 28,2 milhões no 2T22, aumento de 320%

LinkedIn

A Méliuz registrou prejuízo líquido de R$ 28,2 milhões no segundo trimestre, ante um resultado negativo em R$ 4,7 milhões um ano antes.

“Esse resultado foi impactado principalmente por menor receita do business de Shopping, em função da sazonalidade do período e da desaceleração do e-commerce brasileiro e a consolidação dos resultados do Bankly (-R$ 6,1 milhões)”, informa a empresa.

A receita líquida atingiu R$ 79,1 milhões no 2T22, um aumento de 45% em relação ao mesmo período de 2021. Deste total, a receita líquida do Shopping Brasil somou R$ 55,7 milhões, um aumento de 59% em relação ao 2T21.

ebitda – lucro antes de juro, impostos, depreciação e amortização – foi negativo em R$ 52 milhões no 2T22, contra R$ 17,1 milhões negativos do 2T21.

A Méliuz reportou Ebitda ajustado negativo em R$ 19,3 milhões, ao excluir gastos com desenvolvimento de novos produtos (-R$13,8 milhões) e itens extraordinários (-R$ 18,9 milhões), ante R$ 3,3 milhões negativos do 1T22.

Segundo a Méliuz, o resultado é fruto da menor receita do business de Shopping, em função da sazonalidade do período e da desaceleração do e-commerce brasileiro no 2T22.

O resultado do 2T22 do Méliuz foi  impactado principalmente pela menor receita do business de Shopping, em função da sazonalidade do período e da desaceleração do e-commerce brasileiro no 2T22; consolidação dos resultados do Bankly (-R$ 6,1 milhões).

O volume bruto negociado (GMV, na sigla em inglês) foi de R$ 170 milhões, sendo que aproximadamente 22% já são referentes à operação de cashback, um crescimento de 10 p.p. quando comparado ao 1T22, onde a operação de cashback representava 12% do GMV total do período. Vale ressaltar que o nosso foco atual no Shopping Internacional é direcionar o tráfego para a operação de cashback, que permite construir engajamento com retenção de usuários, fazendo com que eles retornem periodicamente.

No mesmo período, o GMV no Shopping Brasil do Méliuz totalizou R$ 1,249 bilhão, sendo R$ 1,2 bilhão no Méliuz e R$ 46 milhões no Promobit. O valor registrado no Méliuz cresceu 38% contra o 2T21.

“O 2T22 foi um período desafiador para o setor de varejo devido à desaceleração do e-commerce brasileiro no período. Apesar do cenário adverso, conseguimos manter um crescimento operacional robusto e sustentável – bem acima da média do mercado – e com margens mais saudáveis”, explicou o Méliuz no relatório de divulgação de resultados do 2T22.

As despesas operacionais totalizaram R$ 133,9 milhões, mas a companhia observa que excluindo as despesas do Bankly e os itens extraordinários, o total seria de R$ 101,3 milhões, redução de 7% em relação ao primeiro trimestre. Em março, a Méliuz recebeu aprovação do Banco Central para transferência do controle acionário do Bankly.

No Méliuz, a taxa de serviço (take rate) foi de 6,3%, alta de 0,8 p.p. em relação ao mesmo período do ano passado.

Este crescimento é explicado principalmente pela contínua melhora nas negociações com os parceiros ao longo dos últimos trimestres, com o Méliuz sendo canal chave para estes parceiros continuarem alavancando suas vendas.

A empresa finalizou o segundo trimestre com um total de 25,2 milhões de contas totais no Méliuz, um crescimento de 34% no comparativo com o 2T21, fruto das estratégias de testes dos diferentes canais de aquisição de usuários de forma eficiente ao longo dos últimos trimestres.

Despesas

As despesas de cashback totalizaram R$ 43,7 milhões entre abril e junho, 18% a menos do que no trimestre anterior, explicado principalmente pelo descasamento entre o GMV e a receita nos trimestres. “Uma considerável parte das vendas do quarto trimestre de 2021 – período de alta sazonalidade – foram confirmadas e reconhecidas na receita referente ao primeiro trimestre de 2022, aumentando assim a despesa de cashback deste período”, explica a companhia.

Já os gastos com pessoal somaram R$ 47,5 milhões. Excluindo as despesas do Bankly e os itens extraordinários, a cifra atingiu R$ 31,1 milhões ante
R$ 30,7 milhões no trimestre anterior.

As despesas comerciais e de marketing totalizaram R$ 6 milhões. Excluindo as despesas do Bankly, as despesas comerciais e de marketing foram de R$ 5,9 milhões, redução de 19% em relação aos R$ 7,3 milhões nos três meses anteriores.

“Essa redução reflete o esforço da companhia em ser mais eficiente na alocação de capital. Apesar dessa redução, continuamos apresentando um crescimento consistente impulsionado principalmente por nossos usuários retidos e pela aquisição orgânica de usuários”, diz a companhia no release de resultados.

Os resultados da Méliuz (BOV:CASH3) referente suas operações do segundo trimestre de 2022 foram divulgados no dia 16/08/2021. Confira o Press Release!

* Com informações da ADVFN, RI das empresas, Valor, Suno, Infomoney, Estadão, Reuters

Deixe um comentário