Transações correntes registraram déficit de US$ 4,1 bilhões em julho

LinkedIn

O resultado das transações correntes do Brasil em julho de 2022 mostrou um déficit de US$ 4,1 bilhões, ante resultado negativo de US$ 1,2 bilhão no mesmo mês de 2021, informou nesta segunda-feira (26) o Banco Central (BC)

O déficit em transações correntes nos doze meses até julho de 2022 somou US$ 36,6 bilhões (2,08% do PIB), ante US$ 33,6 bilhões (1,92% do PIB) no mês anterior e US$ 20,9 bilhões (1,37% do PIB) em julho de 2021.

A balança comercial de bens registrou superávit de US$4,2 bilhões em julho de 2022, ante saldo positivo de US$6,3 bilhões em julho de 2021. As exportações de bens totalizaram US$30,2 bilhões, enquanto as importações somaram US$26,1 bilhões, alta de 17,4% e de 33,8% em comparação a julho de 2021, respectivamente.

Serviços

O déficit na conta de serviços somou US$2,1 bilhões em julho de 2022, crescendo 59,2% em relação a julho de 2021. A conta de viagens internacionais mostrou despesas líquidas de US$ 661 milhões no mês, ante US$229 milhões em julho de 2021.

Na mesma base comparativa, e seguindo a tendência dos meses recentes, os fluxos brutos de receitas de viagens expandiram 74,4%, totalizando US$389 milhões, enquanto as despesas brutas de viagens cresceram 132,1%, somando US$1,0 bilhão.

As despesas líquidas de transportes somaram US$726 milhões em julho de 2022, ante US$273 milhões em julho de 2021, aumento de 166,3%. Aluguel de equipamentos registrou despesas líquidas de US$670 milhões no mês, ante US$609 milhões em julho de 2021.

Renda

Em julho deste ano, o déficit na conta de renda primária totalizou US$ 6,5 bilhões, praticamente estável relativamente aos US$ 6,4 bilhões ocorridos em julho de 2021.

As despesas líquidas de lucros e dividendos aumentaram para US$ 3,6 bilhões, ante US$ 2,9 bilhões em julho de 2021. As despesas líquidas com juros somaram US$ 3,0 bilhões em julho de 2022, ante US$ 3,5 bilhões em julho do ano passado. A redução de despesas de juros concentrou-se em operações de empresas do mesmo grupo econômico.

Investimento direto

Os ingressos líquidos em investimentos diretos no país (IDP) totalizaram US$ 7,7 bilhões em julho de 2022, ante US$6,6 bilhões em julho de 2021. Houve ingressos líquidos de US$ 5,6 bilhões em participação no capital e de US$ 2,1 bilhões em operações intercompanhias.

Nos doze meses encerrados em julho de 2022, o IDP totalizou US$65,6 bilhões (equivalente a 3,73% do PIB), ante US$ 64,5 bilhões (3,69% do PIB) no mês anterior e US$ 44,9 bilhões (2,95% do PIB) em julho de 2021.

Os investimentos em carteira no mercado doméstico apontaram saídas líquidas de US$ 60 milhões em julho de 2022, compostos por saídas de US$ 816 milhões em ações e fundos de investimento e entradas de US$ 755 milhões em títulos de dívida. Nos doze meses encerrados em julho de 2022, os investimentos em carteira no mercado doméstico somaram saídas líquidas de US$269 milhões.

Reservas internacionais

As reservas internacionais alcançaram US$ 346,4 bilhões em julho de 2022, um aumento de US$ 4,4 bilhões em comparação ao mês anterior. O resultado decorreu, principalmente, das variações por preços e da receita de juros, que contribuíram para elevar o estoque em US$ 3,9 bilhões e US$ 540 milhões, respectivamente.

Informações Infomoney

Deixe um comentário