Mercados imprimem bastante volatilidade antes do relatório de empregos dos EUA

LinkedIn

Bem-vindo à sua leitura matinal de cinco minutos de como os mercados estão reagindo ao redor do mundo nesta manhã.

ÁSIA: As bolsas asiáticas fecharam de forma mista nesta quinta-feira, depois da interrupção do rali de dois dias de Wall Street, depois que a OPEP+ concordou em cortar 2 milhões de barris por dia para sustentar os preços.

O Nikkei do Japão ganhou 0,70%, para 27.311,30 pontos.

O Kospi na Coreia do Sul subiu 1,02% para 2.237,86 pontos.

Na Austrália, o S&P/ASX 200 fechou praticamente estável, acrescentando 0,03%, em 6.817,50 pontos. O setor de energia continuou seu rali, mas seu salto foi compensado por perdas em outros setores, com consumo discricionários e imobiliário. Woodside Energy e Santos negociaram em alta de 2,7% e 1,7%, respectivamente, à medida que os preços globais do petróleo saltavam depois que a OPEP+ desafiou os governos ocidentais ao decidir cortar drasticamente a produção para apoiar as recentes quedas nos preços do petróleo. Entre as mineradoras, BHP avançou 0,9%, Fortescue Metals adicionou 0,3% e Rio Tinto avançou 0,2%. Whitehaven Coal subiu 7,17% renovando uma nova alta, enquanto a Pilbara Minerals fechou em alta de 5,6%, após bater recorde de US$ 5,60;

Após subir 5,79% na quarta-feira quando liderou as altas regionais, o índice Hang Seng de Hong Kong caiu 0,42%, fechando em 18.012,15 pontos nesta quinta-feira.

O índice MSCI para a Ásia-Pacífico exceto Japão ganhou 0,37%.

Os mercados da China continental permanecem fechados por conta de feriados nesta semana.

EUROPA: As bolsas europeias operam com bastante volatilidade nesta quinta-feira.

O pan-europeu Stoxx 600 subia 0,4% no início da manhã, tendo reduzido pela metade seus ganhos da abertura. No fim do pregão matinal, o pan-índice cai 0,4%, com ações de viagens e lazer subindo, enquanto ações de petróleo e gás caem.

O alemão DAX 30 cai 0,5%, o francês CAC 40 perde 0,6% e o FTSE MIB da Itália recua 0,9%.

Na Península Ibérica, o IBEX 35 da Espanha cai 0,5% e o português PSI 20 cede 0,4%.

Em Londres, o FTSE 100 cai 0,5%. Entre as mineradoras listadas na LSE, Anglo American cai 2,9%, Antofagasta recua 0,8%, enquanto as gigantes BHP e Rio Tinto recuam 0,7% cada. A produtora de petróleo British Petroleum cai 1,8%.

Ba primeira reunião presencial da OPEP e da OPEP+ em Viena desde 2020, marcou o maior corte desde o início da pandemia. A Opep+ decidiu reduzir a produção de petróleo em mais de 2 milhões de barris por dia e é vista como interferência política e um “golpe” contra o presidente dos EUA, Joe Biden, segundo Dan Yergin, vice-presidente da S&P Global. Na quarta-feira, o cartel dos produtores de petróleo mais poderosos do mundo concordou em impor cortes profundos na produção para sustentar os preços do petróleo, apesar dos pedidos dos EUA para bombear mais petróleo para ajudar a economia global. Há algumas semanas, o Departamento de Energia dos EUA anunciou que venderia até 10 milhões de barris de petróleo de sua reserva estratégica, enquanto a UE chegou a um acordo para limitar os preços do petróleo russo como parte de um novo pacote de sanções.

EUA: Os futuros dos índices de ações dos EUA operam em baixa ​​na manhã de quinta-feira, depois que as ações caíram no pregão regular e interromperam um rali de dois dias.

Na quarta-feira, o Dow fechou caiu 0,14%, fechando em 30.273,87 pontos. O S&P 500 caiu 0,20%, em 3.783,28 pontos, mas registra alta de 5,5% em outubro, mas permanece em queda de 20,6% no acumulado do ano até o momento. O Nasdaq Composite perdeu 0,25%, para 11.148,64 pontos. Enquanto isso, os rendimentos crescentes adicionaram pressão às ações na quarta-feira. A taxa do Tesouro dos EUA de 10 anos atingiu 3,7%, ante 3,6% em relação ao dia anterior.

Os investidores continuam monitorando os dados econômicos para ver se a inflação está esfriando ou se os aumentos das taxas do Federal Reserve estão empurrando os EUA para mais perto de uma recessão. Depois que a inflação subiu persistentemente por meses sem nenhum sinal de desaceleração, os dados econômicos divulgados esta semana deram alguns sinais insipientes de que os preços começaram a cair. Uma queda inesperada nas vagas de emprego anunciada na terça-feira, levou os investidores a acreditar que a força do mercado laboral nos EUA pode estar começando a arrefecer A diferença crescente foi um dos principais impulsionadores do aumento da inflação, uma vez que elevou os salários.

Dados da ADP mostraram que o mercado de trabalho continua forte entre as empresas privadas em setembro ao criar 208 mil empregos, superando a estimativa de 200.000 empregos. Os olhares se voltam para o relatório de empregos de setembro do Bureau of Labor Statistics que será divulgado na sexta-feira, que fornecerá subsídios ao banco central para definir sua taxa de juros na reunião de novembro.

Nesta quinta-feira, os rendimentos do Tesouro sobem. O rendimento da nota do Tesouro de 10 anos subia 1 ponto-base, em 3,7732% por volta das 5h30, enquanto o Título do Tesouro de 2 anos, sensível à política do Federal Reserve, subiu menos de um ponto-base para 4,1562%. Os rendimentos e os preços se movem em direções opostas e um ponto base é igual a 0,01%.

Na agenda econômica, os pedidos iniciais de auxílio-desemprego semanais sairá às 9h30 de hoje.

Os investidores continuam procurando pistas sobre a política do Federal Reserve, especificamente se o banco central continuará a aumentar as taxas de juros. Os temores sobre os aumentos das taxas de juros arrastando a economia dos EUA para uma recessão vem crescendo. Isso ocorre quando os oradores do Fed vem adotando um tom “hawkish” nas últimas semanas, sustentando que eles não se esquivarão de mais aumentos nas taxas de juros para controlar a inflação.

Os investidores, portanto, seguem em busca de qualquer mudança no tom nas observações feitas por uma série de palestrantes do Fed nesta quinta-feira. Lisa Cook, membro do Board of Governors do Federal Reserve falará às 14h00, Christopher Waller, também do FOMC discursará às 18h00, enquanto a presidente do Federal Reserve de Cleveland, Loretta Mester se apresentará às 19h30.

O presidente do Federal Reserve de Atlanta, Raphael Bostic, falou duramente sobre a inflação em um discurso na quarta-feira, dizendo que o banco central ainda tem muito trabalho a fazer antes de declarar vitória. “Devemos permanecer vigilantes porque essa batalha inflacionária provavelmente ainda está nos primeiros dias se as projeções de meus colegas [Federal Open Market Committee] estiverem corretas”, disse Bostic em discurso no Instituto de Pesquisa Política da Universidade Northwestern e acrescentou que provavelmente “levará algum tempo” para que a inflação volte à meta de 2% do Fed. Bostic não é membro votante do FOMC neste ano e no próximo, embora possa expressar sua posição política durante as reuniões. Em relação às taxas de Juros, Bostic disse que prevê a taxa de referência do Fed subindo entre 4% a 4,5% antes que os formuladores de políticas do Fed possam avaliar um afrouxamento. No entanto, ele acrescentou que responderia a quem espera que o Fed corte as taxas no próximo ano: “Não tão rápido”. A taxa de fundos federais atualmente está na faixa de 3% a 3,25%. As projeções divulgadas pelo FOMC em setembro previam que as taxas subam para 4,6% em 2023.

CRIPTOMOEDAS: Os mercados de criptomoedas seguem praticamente inalterados na quinta-feira à medida que o quadro macro torna-se cada vez mais importante para o Bitcoin este ano, com o relatório de empregos dos EUA previsto para ser divulgado na sexta-feira, provavelmente será um importante catalisador.

O preço do Bitcoin sobe menos de 1% nas últimas 24 horas, sendo negociado acima de US $ 20.100. A maior criptomoeda avançou acima do nível de US $ 20.000 no início desta semana em meio a um aumento nas ações, com o Dow Jones Industrial Average e o S&P 500 marcando seu melhor período de dois dias desde o início de 2020. Enquanto o ímpeto nas ações desapareciam na quarta-feira, as criptos estavam sustentando seus ganhos.

Segundo a Arcane Reserach, dados do mercado de derivativos apontam que uma explosão de volatilidade pode estar à frente para o Bitcoin. O volume de Bitcoin em posições alavancadas perpétuas no mercado futuro alcançaram uma nova máxima histórica, de 450.000 Bitcoin, o equivalente a mais de US$ 9 bilhões. Os swaps perpétuos de Bitcoin, uma inovação no mercados de criptomoedas que oferece alavancagem aos “traders” especulativos, semelhantes aos contratos futuros nos mercados tradicionais, mas sem datas de validade. Essas posições em aberto provavelmente exacerba qualquer movimento direcional”. Segundo a casa de análises, o volume de Bitcoin nesses contratos perpétuos alavancados disparou o equivalente a mais de 60.000 Bitcoin apenas nesses primeiros dias de outubro.

O Ether, a segunda maior criptomoeda, sobe 1%, para US$ 1.350.

Bitcoin: +0,23%, em US $ 20.128,90
Ethereum: +1,06%, em US $ 1.357,58
Cardano: +0,44%
Solana: +0,97%
Dogecoin: +1,68%
Terra Classic: -3,62%

ÍNDICES FUTUROS – 7h50:
Dow: -0,71%
SP500: -0,84%
NASDAQ: -0,92%

COMMODITIES:
MinFe Dailan: — p%
Brent: -0,28%
WTI: -0,26%
Soja: -0,76%
Ouro: +0,11%

OBSERVAÇÃO: Este material é um trabalho voluntário, independente, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado, enquanto a europeia e a americana estão no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados. O texto não é indicação de compra, manutenção ou venda de ativos.

Deixe um comentário