ADVFN Logo ADVFN

Não encontramos resultados para:
Verifique se escreveu corretamente ou tente ampliar sua busca.

Tendências Agora

Rankings

Parece que você não está logado.
Clique no botão abaixo para fazer login e ver seu histórico recente.

Hot Features

Registration Strip Icon for smarter Negocie de forma mais inteligente, não mais difícil: Libere seu potencial com nosso conjunto de ferramentas e discussões ao vivo.

Oi: Justiça atende pedido da companhia de proteção contra credores

LinkedIn

A Justiça do Rio de Janeiro atendeu o pedido da Oi de proteção contra credores.

O comunicado foi feito pela companhia (BOV:OIBR3) (BOV:OIBR4) nesta sexta-feira (03).

A companhia informou que o Juízo da 7ª Vara Empresarial da Comarca da Capital do Estado do Rio de Janeiro deferiu os pedidos formulados.

“A Tutela de Urgência configura a medida mais adequada, neste momento, para proteger a companhia e suas subsidiárias contra execução/exigibilidade de créditos e de excussão de garantias e permitir o avanço das discussões e tratativas com credores visando potencial renegociação de dívidas da companhia, com o intuito de resguardar o resultado útil de um eventual processo de recuperação judicial que venha a ser ajuizado no prazo legal, bem como otimizar a sua liquidez e perfil de endividamento”, afirmou a Oi no fato relevante.

Em outro comunicado enviado, onde responde a um pedido da B3 e da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) de esclarecimento de notícia veiculada na imprensa, a Oi destaca que o acordo com credores financeiros é essencial para a sustentabilidade de curto e médio prazo, uma vez que “o inadimplemento de obrigações financeiras de curto prazo da companhia poderão desencadear o vencimento antecipado cruzado de uma série de obrigações financeiras da companhia de médio e longo prazo, tornando, assim, o perfil de dívida da companhia incompatível com seu fluxo de caixa”.

Segundo a Oi, o resultado gerado pelo negócio de fibra ótica, em que pese o crescimento que tem sido experimentado, ainda não é suficiente para permitir o equacionamento de obrigações pecuniárias anteriores, o que impõe a necessidade de se reestruturar a estrutura de capital.

Informações FinanceNews

Deixe um comentário

Seu Histórico Recente