ADVFN Logo ADVFN

Não encontramos resultados para:
Verifique se escreveu corretamente ou tente ampliar sua busca.

Tendências Agora

Rankings

Parece que você não está logado.
Clique no botão abaixo para fazer login e ver seu histórico recente.

Hot Features

Registration Strip Icon for charts Cadastre-se para gráficos em tempo real, ferramentas de análise e preços.

O CEO da BlackRock, Fink, diz que não planeja deixar a empresa ‘tão cedo'

LinkedIn

O presidente e diretor executivo da BlackRock Inc (NYSE:BLK), Larry Fink, disse nesta quarta-feira (14) que não planeja deixar a maior gestora de ativos do mundo “tão cedo”, enquanto sua equipe revela planos de receita crescimento.

A BlackRock também é negociada na B3 através do ticker (BOV:BLAK34).

Fink, 70, disse que não tem planos de se aposentar, mas a BlackRock ainda planeja sua sucessão.

“Não tenho maior prioridade do que desenvolver os líderes da próxima geração para a BlackRock”, disse ele no evento do dia dos investidores da empresa.

Fink co-fundou a BlackRock em 1988 junto com sete sócios. Agora, investidores e analistas começaram a questionar quem será o próximo a assumir o comando da gestora de ativos com sede em Nova York.

“A BlackRock está em um ponto de inflexão estratégica, pois busca aumentar o crescimento e atender às necessidades dos clientes. Como resultado, a sucessão na BlackRock assume um significado adicional”, disse Cathy Seifert, vice-presidente da empresa de pesquisa CFRA.

Os principais executivos da BlackRock disseram que a empresa está de olho nas aquisições e tem como meta um crescimento orgânico de 5% na receita de taxas básicas entre 2023-2027, o mesmo ritmo que cresceu entre 2019 e 2022. Ainda assim, a empresa vê sua participação de mercado em receita de taxas chegar a 3,1 % de 2,8%.

Os mercados privados desempenharão um papel importante no crescimento da BlackRock no futuro, de acordo com Edwin Conway, chefe global do mercado privado de ações, pois os investidores buscarão a diversificação além da dívida e das ações. “Acreditamos firmemente que vamos dobrar nossas receitas nos próximos cinco anos”, disse ele.

A empresa administra US$ 320 bilhões em ativos alternativos, como imóveis, crédito privado e infraestrutura. No ano passado, a área de mercados privados registrou receita de US$ 1 bilhão.

As ações da BlackRock subiram quase 2% após os comentários dos executivos da BlackRock e as expectativas de que uma pausa do Federal Reserve nos aumentos das taxas beneficiará os gestores de ativos.

Fink falou sobre potenciais oportunidades de crescimento inorgânico para a empresa que seriam “transformacionais”, um conceito que ele já havia expressado em abril, acrescentando que possíveis áreas para expandir a pegada da empresa poderiam incluir dados, informações, tecnologia ou poderiam estar relacionadas à distribuição.

“O mais importante, garanto, é um processo de nos testar e realmente nos perguntar como devemos evoluir nosso modelo de negócios para melhor atender nossos clientes”, disse ele.

Por Reuters/Imagem: Getty Images

Deixe um comentário