ADVFN Logo ADVFN

Não encontramos resultados para:
Verifique se escreveu corretamente ou tente ampliar sua busca.

Tendências Agora

Rankings

Parece que você não está logado.
Clique no botão abaixo para fazer login e ver seu histórico recente.

Hot Features

Registration Strip Icon for tools Aumente o nível de sua negociação com nossas ferramentas poderosas e insights em tempo real, tudo em um só lugar.

Coluna do TradingView: Fim da recessão?

LinkedIn

Análises para a expectativa para o mercado na semana e nas próximas semanas, entre análises de cenário econômico, índices de composição e até mesmo milho. Confira o que estão pensando os analistas do TradingView.

Erickmfg

A curva de juros americana esta em patamares de inversão nunca vistos na historia, chegando a ficar mais de 100 bps invertido no inicio de Junho. Historicamente, a inversão da curva costuma anteceder uma recessão em um período de 6 meses a pouco mais de 1 ano.

Os marcadores no gráfico demonstram os períodos de recessão nos EUA (vermelho) e o steepening da curva (amarelo).

Steepening da curva significa quando a ponta longa volta a subir mais do que a ponta curta, começando um processos e desinclinação da curva. Muito desse movimento se da na espera de uma economia mais fraca ou inflação mais baixa no short-run, o que exigirá menos juros e uma economia mais forte e maior inflação no long-run. Podemos identificar também que esse movimente de steepening geralmente acontece pouco antes de uma recessão. O steepening pareceu que ia se iniciar mais cedo esse ano, em Fevereiro, mas logo voltou a continuar um movimento mais acentuado de inversão.

O movimento atual ja esta começando a ser comentado pelo mercado. Alguns traders ja falam que a sinalização de que o FED não subirá mais ou está muito perto do pico das taxas e indicadores sinalizando um economia forte dos EUA, dão espaço para a ponta mais longa da curva voltar a subir mais do que a curta, gerando o movimento de steepening.

Porém, uma economia forte, com dados de desemprego em patamares ultra baixos e mercado de trabalho ainda bem pujante, a inflação se manterá baixa e em convergência para a meta do FED? Alguns indicadores também demonstram um arrefecimento, apesar de leve, da economia americana, como por exemplo a concessão e demanda por credito para diversos setores. Alguma sinalização pode estar sendo dada. A se observar se o movimento continuará. (Ver o gráfico dinâmico).

GFauth

A composição do Icon é muito ampla, vai desde empresas de alimentos e bebidas até farmácias, saúde e artigos para pets. Mas, é para onde a renda do consumidor vai e essa é a nossa métrica para entender o varejo. As empresas varejistas estão amassadas com o aperto monetário, isso é indiscutível, a pergunta é, qual é a melhor empresa para se apostar na retomada do varejo?

Bom essa pergunta vale muito, mas acho que a reflexão aqui é, quero assimetria de risco em um setor altamente alavancado ou simetria de risco em um setor consolidado na crise?

Para mim está bem claro que as empresas que melhor seguiram o ICON são as que atendem o público que tem dinheiro, na prática, Arezzo. Petz e Renner em certa medida. Arezzo foca na classe A e B. Petz e Renner focam em classes B, C e D. uma boa capilaridade. Equanto Magazine Luíza e Via Varejo focam em C, D e E. Isso explica muita coisa sobre consumo / taxa de juros, ou lucro versus dívida.

Falando com um amigo recentemente, ele me contou que estava investindo em um imóvel na praia, ai perguntei a ele se o momento não era meio arriscado para fazer tal movimento, e ele me afirmou que o momento só está ruim para pobre, pois tem muita coisa com desconto por aí.

Na bolsa não é diferente, mas o importante é a avaliação de risco x retorno nesse caso. Importante ressaltar que empresas mais alavancadas como MGLU3, VIIA3 e LREN3 podem se beneficiar e muito com o ciclo de cortes nos juros, facilitando seu crediário (pois afinal essas empresas são credores para o varejo). Ao mesmo passo que é importante avaliar o risco de crédito envolvido aqui.

Empresas que tem consumo de classes que tem dinheiro podem não ter muito mais para andar, e uma rotação dos setores pode estar no radar. Essa é minha visão. (Ver a análise na íntegra).

Leo Sousa

A semana é marcada por importantes dados para o mercado de grãos, ontem no final da tarde tivemos o relatório semanal de condições de lavoura onde o mercado espera uma melhora após uma semana de boas chuvas e temperaturas mais amenas, ja na sexta temos o relatório WASDE, o mais importante do semestre oferta e demanda global e dos Estados Unidos e pode ser visto no calendário econômico, onde dados de produtividade, demanda e exportações serão o drive, o mercado futuro aguarda os dados para tomar novas direções, tensões no mar negro se matem no radar com novos ataques Ucranianos frente aos Russos.

Os preço do milho se mantem na casa dos 485 no aguardo. Perdendo a mínima de sexta devera buscar a mínima de julho 474 rumos aos 450. Uma correção também seria valida ate a casa ados 515/520, antas de buscar maiores quedas. (Ver o mais sobre Milho).

Evaldo Invest

Itaú é 8 ou 80. Hoje dia 08 de Agosto o banco soltou balanço e segundo analistas de mercado a única linha que deixou a desejar foi na parte de Seguros.

O ativo abriu com um gap de baixa de certa forma surpreendendo aos demais operadores. Mas mostrando uma força compradora forte fechou o gap e virou para uma alta tímida. Agora é aguardar para ver se o ativo consegue vir a trabalhar acima dos níveis de 28 ,00 e quem sabe fazer valer a verdade das projeções que a pouco tempo atrás indicava o ativo na casa dos 30,00. Lembrando que não poder perder os 27,00 reais pois já olharia para o próximo suporte em 25,80 e 24,88. Eu me atrevo a não acreditar nesta correção até estes níveis para o banco mas se vier seria um bom ponto de compra. (Ver mais sobre Itau).

Disclaimer: As análises aqui apresentadas são apenas estudos. Elas não são recomendações de investimento, nem de compra nem de venda, tampouco refletem a opinião do veículo de mídia na qual estão sendo divulgadas. São estudos direcionados a pessoas com conhecimento e experiência no mercado financeiro.

Nossos Autores: Erick MFGGabriel FauthLeo Sousa e Evaldo Invest.

Deixe um comentário