ADVFN Logo ADVFN

Não encontramos resultados para:
Verifique se escreveu corretamente ou tente ampliar sua busca.

Tendências Agora

Rankings

Parece que você não está logado.
Clique no botão abaixo para fazer login e ver seu histórico recente.

Hot Features

Registration Strip Icon for discussion Cadastre-se para interagir em nossos fóruns de ativos e discutir com investidores ideias semelhantes.

Futuros do petroleo operam de lado apesar de dados de inflação na Europa

LinkedIn

Os preços dos contratos futuros de petróleo operam em ligeira alta no início da tarde com a queda da inflação na zona do euro sendo compensada pela maior produção da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep).

Ambos os contratos do Brent negociaram em alta de US$ 1 no início do dia, mas os preços permanecem abaixo de US$ 90 o barril devido aos dados econômicos chineses fracos e à medida que o conflito no Oriente Médio permanece contido por enquanto.

Por volta de 13h18 (horário de Brasília), o preço do contrato do petróleo WTI (CCOM:OILCRUDE) negociado na Nymex com entrega para novembro subia 0,12%, cotado a US$ 82,41 o barril.

Já o preço do contrato do Brent (CCOM:OILBRENT) negociado na plataforma ICE, com entrega para dezembro avançava 0,11%, cotado a US$ 87,65 o barril.

A produção de petróleo da Opep aumentou em 180 mil barris por dia (bpd) em outubro, de acordo com uma pesquisa da Reuters, impulsionada principalmente por Nigéria e Angola.

A inflação da zona do euro atingiu seu nível mais baixo em dois anos em outubro, caindo para 2,9%, de 4,3% em setembro, de acordo com a estimativa provisória do Eurostat.

Mas dados de atividade manufatureira e não manufatureira mais fracos do que o esperado na China alimentaram temores de desaceleração da demanda de combustível do número 2 do mundo consumidor de petróleo.

Seu índice oficial de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) perdeu uma previsão e voltou a cair abaixo do nível de 50 pontos que separa contração de expansão.

Os preços do petróleo caíram na segunda-feira em parte “porque a ofensiva terrestre de Israel na Faixa de Gaza está até agora a decorrer apenas gradualmente e, portanto, ainda não provocou qualquer nova escalada do conflito no Médio Oriente”, disseram analistas do Commerzbank.
Mas os investidores continuam cautelosos com a possibilidade de outros países da região entrarem no conflito.

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, rejeitou hoje os apelos para a suspensão dos combates para aliviar uma crise humanitária, enquanto as forças israelenses atacavam o Hamas na rede de túneis sob o enclave palestino.

Os investidores também estavam de olho na reunião do banco central dos Estados Unidos que termina amanhã. Analistas esperam que as taxas de juros se mantenham estáveis, de acordo com uma pesquisa da ferramenta Fedwatch da CME.

Deixe um comentário

Seu Histórico Recente

Delayed Upgrade Clock